Como Falar Em Publico E Encantar Pessoas? - CLT Livre

Como Falar Em Publico E Encantar Pessoas?

Como Falar Em Publico E Encantar Pessoas

Como falar bem em público e encantar as pessoas?

Como falar em público e encantar as pessoas fornece a você tudo que precisa saber para se tornar um comunicador elegante, preparado e magistral. Este livro revela as técnicas que funcionaram para inúmeros grandes oradores ao longo da história.

Como falar em público Dale Carnegie resumo?

PMP | PSM I | PSPO I | MCP | Project & Portfolio Analyst Sr at BMW Financial Services – Publicado em 9 de jun. de 2020 Ao contrário do clássico Como fazer amigos e influenciar as pessoas, esse não foi escrito pelo próprio Dale Carnegie. Foi organizado e publicado pela fundação que leva seu nome, com base nos materiais dos seus cursos de oratória.

  • No entanto, as palavras a seguir vão te mostrar se vale a pena para você esta leitura.
  • Como talvez diria Pareto, 80% da importância deste livro reside em 20% do seu conteúdo.
  • Tive a impressão que os escritores aprofundaram tudo o que puderam, para começar a entregar o ouro no Capítulo 10, quando apresentam aquilo que chamam de Fórmula Mágica,

E realmente, o livro se paga nesse capítulo! É como uma receita de bolo para uma apresentação persuasiva e de “alto impacto”. Em suma, a Fórmula Mágica consiste em: 1) contar sua própria história e/ou um incidente relacionado à apresentação; 2) brevemente pedir que o público tome uma ação (e muito brevemente); e 3) expor o principal benefício de tomar tal ação.

Assim que tiver uma oportunidade, eu mesmo vou testar essa lição em copywritting e textos de vendas. Sei que é um cenário completamente diferente, mas sempre achei essas cartas de venda da internet cheias de coisas desnecessárias. Vamos ver no que dá. Como não poderia deixar de ser, os autores deixam várias instruções esmiuçadas sobre cada etapa da Fórmula Mágica e de outros aspectos da oratória e do tato com o público: perguntas & respostas, uso do humor, tempo, primeira impressão, conclusão, conflitos, etc.

O tom do livro assemelha-se ao de um professor rigoroso. – “Se for para dizer isso, pare de falar e sente-se logo.” – consta em várias passagens, seguido de instruções práticas para “fazer bonito”. Pode comprar sem medo que é uma delícia de ler, com linguagem super atual.

Como ter coragem para falar em público?

3. Ressignifique a oratória – Outra técnica poderosa para transformar o medo em energia é ressignificar o sentimento atrelado à oratória, Isso mesmo! Muita gente associa diretamente o falar em público a momentos de pânico e insegurança. E como vimos anteriormente, esses pensamentos podem ser matadores no momento da sua apresentação.

Afinal de contas, pensamentos negativos apenas reforçam o sentimento negativo e uma postura de medo ao falar em público. E aí está o grande pulo do gato! Quando estamos aprendendo algo em nossas vidas, mesmo quando crianças, ficamos inseguros, desconfortáveis em um primeiro momento, até que tal atividade se torne rotineira e um hábito.

Com o passar do tempo, nos tornamos mais confiantes, desenvolvemos nossa habilidade naquela atividade e inclusive a aprimoramos! Isso significa dizer que não adianta esperar momentos pontuais e de extrema relevância para falar em público você deve começar desde já! Incluir na rotina a comunicação é uma forma poderosa de ressignificar a oratória,

Ou seja, aproveitar pequenas reuniões de time, almoços em família, aniversários como oportunidades de falar em público, faz com que você já se coloque em situação desafiadora, domando esse medo ! Quanto mais se colocar em situações como essa, você conseguirá estar mais seguro no momento chave de se apresentar.

Por isso, agarre toda a oportunidade que passar à sua frente e torne o medo de falar em público cada vez menor! : Por que sentimos medo de falar em público e como superá-lo – Blog Conquer

You might be interested:  Como Resgatar Pontos Do Cartão De Crédito?

Quais são os três princípios do atendimento encantador?

Quais são os três pilares da excelência no atendimento? – Para conquistar os clientes é preciso investir em três pilares da excelência no atendimento: personificação, contratação de pessoas e ter processos de qualidade. Além disso, é recomendável contar com uma tecnologia que ofereça o melhor suporte ao cliente e aos seus funcionários, Confira melhor os detalhes de cada um abaixo.

Como convencer alguém em 90 segundos número de páginas?

Como convencer alguém em 90 segundos: Crie uma primeira impressão vendedora, de Boothman, Nicholas. Universo dos Livros Editora LTDA, capa mole em português, 2012 : Como convencer alguém em 90 segundos: Crie uma primeira impressão vendedora, de Boothman, Nicholas. Universo dos Livros Editora LTDA, capa mole em português, 2012

Quando ninguém está olhando quantas páginas?

Informações sobre o produto

Editora ‎Intrínseca; 1ª edição (19 novembro 2021)
Idioma ‎Português
Capa comum ‎ 400 páginas
ISBN-10 ‎6555602090
ISBN-13 ‎978-6555602098

Qual é o segredo de Carnegie?

Você conhece a história do livro Pense e Enriqueça? –

  • Em Pense e Enriqueça, você vai ver que Napoleon Hill era um repórter de uma revista de negócios que em 1908 conseguiu entrevistar Andrew Carnegie, um imigrante pobre que criou um império industrial nos EUA e se tornou uma das pessoas mais ricas do mundo.
  • Para Carnegie, o sucesso não acontecia por acaso, mas era consequência de atitudes e certas características de sua mentalidade.
  • Ele acreditava que se essas características fossem identificadas poderiam ser consolidadas criando assim a ciência do sucesso.
  • Mais do que isso, qualquer pessoa que aplicasse essa ciência poderia obter sucesso, criar riquezas e transformar sua vida.
  • Essa se tornou então a missão de Napoleon Hill.
  • Ele começou a entrevistar e estudar mais de 500 dos maiores empreendedores, líderes e inventores de todos os tempos.

Estão em sua lista nomes como Henry Ford, J.P. Morgan, Thomas Edison e John D. Rockfeller, o homem mais rico da história.

  1. Após todas essas entrevistas Napoleon Hill descobriu quais eram as características e comportamentos que criaram o sucesso extraordinário e a riqueza dessas pessoas.
  2. Foram 20 anos de pesquisa até que o segredo foi revelado no clássico “Quem Pensa Enriquece”.
  3. Assim o autor reuniu em um livro todo conhecimento necessário para atingir os mais altos níveis de sucesso profissional e as maiores riquezas.
  4. Preparado para conhecer essas ideias mais a fundo?

Qual era o segredo de Carnegie?

Na última coluna para o Nidus Lab conversamos sobre hobbies, em que foram apresentadas 03 categorias de atividades para você explorar e estimular a criatividade, vitalidade física e uma renda extra. Se ainda não leu, vale a pena conferir e talvez ter alguns bons insights, ainda em tempo de colocá-los em prática no primeiro semestre deste ano. O tema de hoje também é leve, divertido e repleto de boas lembranças. Apresentarei algumas ideias do best seller do escritor e palestrante Dale Carnegie, publicado no Brasil com o título: ” Como fazer amigos e influenciar pessoas “. Digo que é divertido porque Carnegie nesse livro é como um professor amigo, que ensina lições para a vida por meio de exemplos reais, nas áreas de comunicação e relações pessoais. Os ensinamentos de Carnegie sobreviveram ao teste do tempo, pois apesar do livro ter sido escrito em 1936, ou seja, há quase 100 anos, seguem altamente relevantes e aplicáveis em nossas relações atuais. Isso é muito curioso, visto que, apesar de todo o avanço tecnológico e nas relações, a base de encantar e de cativar o outro é a mesma há gerações. Inclusive, se você assistir hoje qualquer TED ou palestra nas áreas de comunicação, negociação ou relações interculturais, verá ali os ensinamentos de Carnegie. Vamos lá: Faça as pessoas se sentirem importantes Logo no início do livro Carnegie transmite, talvez, sua principal mensagem e o grande segredo de tratar com as pessoas: fazê-las sentirem-se bem e importantes, E essa mensagem não vem no sentido de colocar os outros em um pedestal ou com bajulação, mas valorizar sinceramente os talentos alheios e se interessar por suas histórias. Carnegie lista os desejos fundamentais do indivíduo adulto como saúde, alimento, repouso, bem-estar dos filhos, dinheiro e outros, adicionando ainda a “sensação de importância” na lista. Para tanto, explica que, via de regra, esses desejos são razoavelmente supridos, menos um que “se apresenta quase tão profundo, quase tão imperioso como desejo de alimento ou de repouso e que raramente é satisfeito”, que é o desejo de se sentir grande e importante, Saber isso já é muito relevante para tentar entender alguns comportamentos sociais, razões de agir ou motivações, mas o autor vai além e apresenta o caminho para melhorar relações, cativar equipes e/ou transformar vidas com a valorização e destaque de talentos e ações, por meio da apreciação sincera e oportuna, O autor ensina que a crítica pura é altamente destrutiva, contudo, muito falada. Já a apreciação e o encorajamento é sempre deixado para depois e, na maioria das vezes, ignorado, Cita um ditado: “O mal fiz uma vez e nisso sempre falaram; o bem fiz duas vezes, mas nisso nunca falaram”. Ou seja, a principal forma de motivar alguém é destacando seus sucessos, vitórias e habilidades, mas quase sempre fazemos o contrário – estimulamos a crítica pura e o desabono. Identificar e eliminar esse tipo de comportamento para com os seus é uma forma incrível de transformar relações pessoais ou profissionais. Uma de suas frases que sintetiza tudo isso, é: “Seja sincero na sua aprovação e pródigo no seu elogio e as pessoas prezarão suas palavras, guardando-as e repetindo-as durante toda a vida – repetindo-as anos depois, quando você já as tiver esquecido”. Se você está em dúvida acerca da diferença entre elogio e bajulação, Carnegie também ensina: “Um sincero e a outra insincera. Um vem do coração; a outra da boca para fora. Um é altruísta; a outra é egoísta. Um é universalmente admirado; a outra universalmente condenada”. Lembre-se do nome dos outros “Lembre-se de que o nome de um homem é, para ele, o som mais doce e mais importante que existe em qualquer idioma”. Em um dos capítulos do livro, Carnegie ensina a importância do nome para o indivíduo, que é um atributo que torna a pessoa única entre a multidão, Isso, de certa forma, pode parecer clichê e senso comum, eis que é fácil reconhecer essa relevância, mas quando interagimos com outra pessoa, quantas vezes negligenciamos isso e esquecemos o nome do outro após alguns segundos? O quão frustrante pode ser para você se após ensinar algo, fazer um favor, oferecer uma proposta de negócio, comprar alguma coisa ou até mesmo flertar com outro, essa pessoa nem sequer lembrar seu nome ao final da interação, pronunciar de forma torta ou ainda inventar um apelido? O autor apresenta no livro vários exemplos de interações e negócios bem sucedidos por um simples gesto de lembrar o nome do outro, pronunciar de forma correta ou, ainda, valorizá-lo. Explica que muitos homens fazem doações vultosas para instituições, museus ou bibliotecas de forma a preservar seu legado na forma de seu nome. Eu que me chamo “Raony Kambará” sofro constantemente com esse problema. Falam meu nome das mais diversas maneiras, acentos e frequentemente escuto uma história sobre o cacique Raoni e sua interação com o Sting. Ao longo da vida aprendi a não dar muita bola para isso e mesmo que me chamem de “RaoLin”, acabo atendendo. No entanto, quando alguém de pronto fala >, certamente já ganha pontos e arranca um sorriso e atenção sincera. A lição aqui é, portanto, prestar muita atenção e memorizar o nome do seu interlocutor para, além de mostrar respeito, criar empatia e reforçar a conexão. Seja genuinamente interessado nas outras pessoas Carnegie ensina que: “Você faz mais amigos em dois meses tornando-se genuinamente interessado em outras pessoas do que em dois anos tentando fazer com que outras pessoas se interessem por você.” Uma das boas histórias de Carnegie é uma na qual participou de um jantar muito elegante oferecido para ilustres convidados em Nova York. Na ocasião sentou-se ao lado de um botânico e ouviu com muita curiosidade e atenção suas histórias por horas, que foram desde plantas exóticas, batatas e até cuidados com jardim. Ao final da noite, despediram-se amigavelmente e seu interlocutor falante o elogiou prontamente ao anfitrião, ” a prosa mais interessante da noite “. Sobre isso, Carnegie reflete no livro: “Uma prosa interessante? Eu? Porque, afinal de contas, quase nada disse. Nada poderia ter dito, se eu tivesse querido, sem mudar de assunto, pois conheço tanto de botânica como da anatomia de um pinguim, Mas fiz o seguinte: ouvi atentamente” Mais do que ouvir atentamente, ele se interessou genuinamente pela história do outro, navegou elegantemente em assuntos desconhecidos e, além de ter absorvido novo conteúdo, fez um novo amigo. Os ensinamentos de Dale Carnegie podem parecer fáceis de colocar em prática, mas na verdade não são. As pessoas gostam de falar de si, de contar suas histórias e de parecerem importantes, sem lembrar de estimular isso no outro. Se você conseguir trazer para sua vida algumas das práticas mencionadas, certamente será mais bem-vindo, amigável e, por consequência, uma pessoa mais interessante, afinal, quando você se interessa por outras pessoas, elas se interessam por você,

You might be interested:  Como Saber Se Eu Gosto De Alguém?

Por que não consigo falar em público?

Por que as pessoas têm medo de falar em público? – Os motivos que levam ao medo de falar em público variam bastante. Porém, a maior parte dos profissionais da saúde acredita que esse medo, classificado como fobia social, pode estar ligado à timidez da infância e à falta de segurança.

Além disso, esses dois fatores podem estar ligados à algo inerente no ser humano, que é o impulso de “fugir ou lutar” que trazemos no nosso cérebro desde que morávamos nas cavernas. Fomos programados para correr das ameaças, pensando em nos proteger, ou enfrentá-las. O medo de falar em público é visto como uma ameaça pelo nosso cérebro porque normalmente está relacionado com alguma situação decisiva para as nossas vidas, e essa noção dispara a adrenalina.

Os batimentos cardíacos aumentam e nós precisamos escolher entre lutar (enfrentar o público para fazer uma apresentação) ou correr (desistir do discurso e ir embora). E como a situação é decisiva, não podemos correr, então ficamos ali enfrentando a rigidez muscular, o suor e a tremedeira.

Tem facilidade em falar em público?

Profissional que sabe falar em público leva vantagem, diz especialista Villela da Mata é presidente da Sociedade Brasileira de Coaching Imagem: Divulgação O profissional capaz de dominar técnicas de oratória dispara na frente dos concorrentes quando uma vaga ou promoção está em jogo, segundo o presidente da Sociedade Brasileira de Coaching Villela da Matta.

Para ele, liderar uma reunião de equipe, apresentar a empresa a um possível cliente, defender um case bem-sucedido em um prêmio do setor são atividades destinadas aos líderes. “Falar bem em público é uma habilidade a ser desenvolvida e poucas pessoas nascem com esse dom. O mais importante é buscar aprender e, assim, cativar o público, seja ele seu chefe ou uma plateia de 200 pessoas”, diz.

O especialista listou 4 dicas para quem pretende fazer uma boa apresentação: Preparar-se Quem não domina o assunto que será apresentado terá receios de defendê-lo e perderá a credibilidade. “Estudar com antecedência o conteúdo da apresentação, rever os argumentos dos pontos citados, prever possíveis dúvidas e ter respostas na ponta da língua são atitudes que dão confiança ao orador e transmitem segurança aos expectadores”, diz Villela.

  • Conheça o público Descubra para quem você irá falar.
  • Saber a área de formação e a qual geração e gênero o público pertence ajudam a adaptar a linguagem utilizada.
  • Por exemplo, para um público universitário, ainda em fase de aprendizagem, é preciso explicar termos técnicos.
  • Já para profissionais da mesma área não existe essa necessidade.
You might be interested:  Como Mudar A Cor De Um Objeto No Photoshop

Adequar a linguagem torna o discurso mais assertivo e atrativo aos ouvintes. Assuma o controle Não tente eliminar seu medo, mas sim controlá-lo. O receio faz as pessoas ficarem preparadas para os imprevistos. Valorize suas qualidades Identifique aptidões que você possui (como carisma e simpatia) e utilize a seu favor para comunicar melhor.