O Que É Toxoplasmose? - []

O Que É Toxoplasmose?

O que a toxoplasmose pode causar na pessoa?

Sintomas – A maioria das pessoas infectadas pela primeira vez não apresenta sintomas e, por isso, não precisam de tratamentos específicos. A doença em outros estágios, no entanto, pode trazer complicações, como sequelas pela infecção congênita (gestantes para os filhos), toxoplasmose ocular e toxoplasmose cerebral em pessoas que têm o sistema imunológico enfraquecido, como transplantados, pacientes infectados com o HIV ou em tratamento oncológico.

Os sintomas da toxoplasmose são variáveis e associados ao estágio da infecção, (agudo ou crônico). Os sintomas normalmente são leves, similares à gripe, dengue e podem incluir dores musculares e alterações nos gânglios linfáticos. Pessoas com baixa imunidade: podem apresentar sintomas mais graves, incluindo febre, dor de cabeça, confusão mental, falta de coordenação e convulsões.

Gestantes: mulheres infectadas durante a gestação podem ter abortamento ou nascimento de criança com icterícia, macrocefalia, microcefalia e crises convulsivas. Recém-nascidos: dos recém-nascidos infectados (Toxoplasmose Congênita), cerca de 85% dos casos não apresentam sinais clínicos evidentes ao nascimento.

No entanto, essas crianças podem indicar alterações como restrição do crescimento intrauterino, prematuridade, anormalidades visuais e neurológicas. Sequelas tardias são mais frequentes na toxoplasmose congênita não tratada. Há casos relatados de surgimento de sequelas da doença, não diagnosticadas previamente, ocorrendo apenas na adolescência ou na idade adulta.

Os recém-nascidos que apresentam manifestações clínicas podem ter sinais no período neonatal ou nos primeiros meses de vida. Esses casos costumam ter, com mais frequência, sequelas graves, como acometimento visual em graus variados, retardo mental, anormalidades motoras e surdez.

O que é toxoplasmose E o que ela causa?

Recursos do assunto A toxoplasmose é uma infecção causada pelo parasita protozoário Toxoplasma gondii, A infecção ocorre quando as pessoas ingerem, sem saber, cistos de Toxoplasma provenientes de fezes de gatos ou comem carne contaminada. Geralmente, a infecção não provoca sintomas, mas algumas pessoas apresentam linfonodos inchados, febre, uma vaga sensação de mal-estar e às vezes dor de garganta ou visão embaçada e dor nos olhos.

As pessoas adquirem a infecção ao levar à boca ovos de parasita de um objeto contaminado com fezes de gato infectadas ou ao ingerir alimentos contaminados. A maioria das infecções causa poucos ou nenhum sintoma. Mulheres que se infectam durante a gravidez podem transmitir o parasita ao feto, por vezes causando um aborto espontâneo, natimorto ou problemas sérios no bebê. Menos frequentemente, outros órgãos são afetados em pessoas com o sistema imunológico enfraquecido. Os médicos geralmente fazem o diagnóstico da infecção através de um exame de sangue que detecte anticorpos contra o parasita. A maioria das pessoas saudáveis com toxoplasmose não necessita de tratamento, mas os adultos com envolvimento ocular, sintomas graves ou persistentes, ou sistemas imunológicos enfraquecidos, e mulheres grávidas e recém-nascidos com infecção congênita são tratados. As pessoas com AIDS ou outros quadros clínicos que enfraquecem o sistema imunológico são tratadas até que a doença esteja sob controle e são, então, colocadas em terapia preventiva até que sua deficiência imunológica seja revertida por terapia antirretroviral (para aquelas com AIDS) ou outras medidas Cozinhar carne por completo ou congelá-la e lavar as mãos cuidadosamente após manusear carne crua, terra ou caixa de gato ajudam a prevenir a propagação da infecção.

Embora o parasita possa crescer nos tecidos de muitos animais, apenas produz ovos (oocistos) nas células que revestem o intestino dos gatos. Os ovos são depositados nas fezes do gato e, depois de um a cinco dias, conseguem causar infecção. Os ovos no solo podem causar infecção por meses.

O que é toxoplasmose é perigoso?

A toxoplasmose congênita é uma forma potencialmente grave da doença, resultado da transmissão do parasita da mãe para o feto através da placenta durante a gravidez. Para que ocorra a transmissão, a mãe precisa adquirir a infecção durante a gestação, acometendo 40% dos recém-natos nesses casos.

Quais os órgãos que a toxoplasmose pode afetar?

Toxoplasmose | Biblioteca Virtual em Saúde MS Doença provocada pelo protozoário Toxoplasma gondii, é transmitida aos seres humanos através das fezes de diversos animais contaminados pelo agente transmissor. Vários animais domesticados e de produção podem ser transmissores; os mais conhecidos são os gatos, mas a lista inclui bovinos, suínos, caprinos, aves, animais silvestres.

Transmissão: O gato contrai a infecção ao comer carnes cruas, ratos ou pássaros contaminados. Outros animais se infectam alimentando-se de pastagens contaminadas pelas fezes. Contágio indireto: acontece devido à ingestão de carne com o agente transmissor. O gado e o porco, por exemplo, podem se contaminar e transmitir a doença por meio da carne, quando consumida mal passada.

Contágio direto: pode ocorrer por meio da inalação do agente transmissor, presente no solo, alimentos, fezes e contato com gatos, pombos e roedores. Transfusão de sangue e transplante de pacientes contaminados podem transmitir a doença. Sintomas: No organismo humano, os protozoários se multiplicam e atacam todos os órgãos através do sangue, provocando infecção generalizada.

  • Surgem deficiências neurológicas, inflamações nos olhos, complicações musculares, hepatites, pancreatites.
  • Toxoplasmose congênita: Ocorre quando a gestante tem ou teve a doença, podendo transmiti-la ao recém-nascido.
  • O bebê pode apresentar complicações, como: hidrocefalia, convulsões, atrofia cerebral, anemia, problemas no fígado e alterações oculares.

Durante a gestação, a mulher deve fazer exames para detectar a doença e tratá-la, caso seja constatada. Prevenção: – evite comer alimentos crus; não prove a carne crua durante a preparação; coma verduras e legumes sempre bem lavados; – congele a carne por 3 dias, a 15º negativos; – lave bem as mãos após manipular carnes cruas e antes de comer; se estiver gestante, procure usar luvas; – evite contato com gatos ou lave bem as mãos após isso ocorrer; – mantenha seu gato bem alimentado para que ele não precise caçar para comer; nunca lhe dê carne crua; evite que ele ande pelas ruas.

Se não for possível, ponha um pequeno chocalho no pescoço do animal para que ele não consiga “caçar”; – a caixa de dejetos dos gatos deve ser renovada a cada 3 dias e colocada ao sol com freqüência; – os cães também podem transmitir toxoplasmose ao sujarem o pelo no solo onde haja fezes de gato; – evite acariciar cães que andem soltos; – controle ratos e insetos como moscas, baratas e formigas, descartando corretamente o lixo doméstico e os dejetos das criações de animais; – lave bem as mãos e as unhas após trabalhar na terra (horta ou jardim).

Gestantes devem evitar essa atividade ou utilizar luvas; – a água pode ser contaminada por fezes de gatos. Mantenha os reservatórios bem fechados e se a água não for tratada, deve ser fervida antes do consumo. A toxoplasmose é um grave problema à saúde humana.

  1. Para pessoas com defesas imunológicas diminuídas, como transplantados, portadores de aids e doenças crônicas, a doença pode ser fatal.
  2. IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios.
  3. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo.

Dica elaborada em dezembro de 2.009. Fontes: Secretaria Municipal de Saúde e Meio Ambiente do Município de Campo Bom (RS). Toxoplasmose. (Folder impresso) : Toxoplasmose | Biblioteca Virtual em Saúde MS

Como saber se tá com toxoplasmose?

Geral – Infecção causada pelo protozoário Toxoplasma gondii. Toxoplasmose é contagiosa? A toxoplasmose é uma doença infecciosa (não é contagiosa) e as principais vias de transmissão são oral, congênita e, de forma mais rara, por aerossóis, inoculação acidental, transfusão e transplante.

  1. Toxoplasmose é uma doença autoimune? Não.
  2. Quem teve toxoplasmose pode doar sangue? Quem teve toxoplasmose comprovada laboratorialmente fica inapto por 1 ano após a cura.
  3. Quem teve toxoplasmose uma vez pode ter de novo? Sim.
  4. A diversidade genética do parasito associada à proteção insuficiente do indivíduo infectado torna possível a reinfecção, principalmente em pessoas com baixa imunidade.

Quem teve toxoplasmose pode ter gato? Sim, inclusive quem não teve. Como interpretar o exame que detecta toxoplasmose? Recomendamos que busquem a unidade de saúde para que a interpretação, em conjunto com a avaliação de outros exames, seja realizada pelo profissional de saúde competente.

Quais os sinais e sintomas? A infecção aguda por toxoplasma, na maioria das pessoas infectadas pela primeira vez, resulta em quadros sem sintomas ou com sintomas leves e inespecíficos semelhantes à gripe, como febre, dor muscular e dor de garganta, podendo apresentar ainda aumento dos gânglios linfáticos e dor abdominal.

A infecção congênita pode resultar em sérios impactos à saúde com possibilidade de alterações na visão, inflamações em alguns órgãos e anormalidades neurológicas. As principais vias de transmissão são a via oral, por consumo de alimentos ou água contaminados, e a via congênita, por transmissão vertical da mãe infectada para o feto.

  1. Em casos raros pode haver transmissão por inalação de aerossóis contaminados, pela inoculação acidental, transfusão sanguínea e transplante de órgãos.
  2. Como sei se tenho toxoplasmose? Seu médico pode solicitar exames de sangue para verificar se há anticorpos para o Toxoplasma gondii e se a infecção é aguda ou crônica.

Como a toxoplasmose se dissemina? Os gatos desempenham um papel importante na disseminação da toxoplasmose. Eles são infectados por comer roedores infectados, pássaros ou outros pequenos animais. O parasita é então eliminado nas fezes do gato. Gatos, principalmente os muito jovens ou filhotes, podem eliminar milhões de parasitas em suas fezes por até três semanas após a infecção.

Os gatos preferem caixas de areia e solos de jardim para evacuação. Isso cria uma condição de risco quando, acidentalmente, a pessoa toca a boca depois de trocar uma caixa de areia ou enquanto faz jardinagem sem a proteção de luvas. Frutas e vegetais podem ter contato com solo ou água contaminados também, o que pode causar infecção pela ingestão destes alimentos se eles não estiverem bem lavados, ou cozidos quando for o caso.

O tratamento está disponível no SUS? Sim, o tratamento e acompanhamento da doença estão disponíveis, de forma integral e gratuita, pelo Sistema Único de Saúde. Em caso de gravidez, faça o pré-natal regularmente e pratique as orientações que forem repassadas pelas equipes de saúde.

Quais são os sinais e sintomas da toxoplasmose? A maioria das pessoas infectadas com o Toxoplasma gondii não tem conhecimento que estão infectadas, já que a doença, geralmente, não tem sintomas. Algumas pessoas que têm toxoplasmose podem apresentar uma condição semelhante a uma “gripe” com inchaço dos gânglios linfáticos ou dores musculares que duram um mês ou mais.

Os sinais e sintomas da toxoplasmose ocular podem incluir visão reduzida, visão turva, dor (geralmente com luz forte), vermelhidão do olho e, às vezes, lacrimejamento. Um oftalmologista fornecerá os melhores cuidados para a toxoplasmose ocular. A maioria das crianças infectadas ainda no útero não apresenta sintomas ao nascimento, mas pode desenvolver sintomas mais tarde na vida.

  1. Uma fração de recém-nascidos infectados tem graves lesões oculares ou cerebrais no nascimento.
  2. Quem está em risco de desenvolver toxoplasmose grave? As pessoas com maior probabilidade de desenvolver toxoplasmose grave incluem os fetos de mães recém-infectadas, durante ou logo antes da gravidez, e indivíduos com sistema imunológico enfraquecido, aqueles que têm aids, câncer, transplantados ou que fazem uso de medicamentos imunossupressores.
You might be interested:  Exame Tsh Para Que Serve?

O que devo fazer se achar que posso ter toxoplasmose? Se você suspeitar que está com toxoplasmose converse com o seu médico, que poderá solicitar exames de sangue específicos para a doença. Os resultados ajudarão o profissional a determinar se você realmente está com a doença e se a infecção é aguda (recente) ou crônica (antiga).

Qual é o tratamento para toxoplasmose? Uma vez confirmado o diagnóstico de toxoplasmose, você e seu médico podem discutir se o tratamento é necessário. Em uma pessoa saudável e que não está grávida, o tratamento geralmente não é necessário. Se os sintomas acontecerem, geralmente desaparecerão dentro de algumas semanas.

Para mulheres grávidas ou pessoas que têm sistema imunológico enfraquecido, medicamentos estão disponíveis para tratar a toxoplasmose e um tratamento específico é recomendado, caso a caso, pelas equipes de saúde responsáveis. Se estou em risco, posso manter meu gato? Sim, no entanto, existem várias medidas de prevenção:

Assegure-se de que a caixa de dejetos/areia do gato seja trocada diariamente; Evite trocar a caixa de dejetos/areia do gato, se possível. Se ninguém mais puder realizar a tarefa, use luvas descartáveis ​​e lave bem suas mãos com sabão e água depois; Não alimente gatos com carne malcozida ou crua; Mantenha suas caixas de areia ao ar livre.

Uma vez infectado com o Toxoplasma, meu gato é sempre capaz de eliminar a infecção para mim ou para o ambiente? Não, os gatos só eliminam o parasita em suas fezes por algumas semanas após a infecção. A eliminação nas fezes desaparecerá espontaneamente, portanto, não é necessário testar seu gato ou suas fezes.

Tem como eliminar a toxoplasmose do organismo?

Tratamento – A toxoplasmose normalmente evolui sem sequelas em pessoas com boa imunidade, desta forma não se recomenda tratamento específico, apenas tratamento para combater os sintomas. Pacientes com imunidade comprometida ou que já tenham desenvolvido complicações da doença (cegueira, diminuição auditiva) são encaminhados para acompanhamento médico especializado.

Atualização no manejo da gestante com toxoplasmose gestacional e congênita Protocolos da Atenção Básica: Saúde das Mulheres Atenção à saúde do recém-nascido: guia para os profissionais de saúde, volume 2. Gestação de alto risco: manual técnico. Protocolo clínico e diretrizes terapêuticas para prevenção da transmissão vertical de HIV, sífilis e hepatites virais.

Quanto tempo demora para se manifestar a toxoplasmose?

Aproximadamente 90% dos adultos e adolescentes imunocompetentes apresentam infecção assintomática. Quando a toxoplasmose é sintomática, o período de incubação varia entre 10 e 20 dias.

Como o gato pode transmitir toxoplasmose?

TOXOPLASMOSE O QUE É A TOXOPLASMOSE? É a doença causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, com alta prevalência no mundo inteiro entre pessoas e animais de sangue quente.

A infecção nos humanos é assintomática em 80 a 90 % dos casos. Esta doença é importante em gestantes e indivíduos imunodeprimidos, pois, nesses pacientes, pode produzir lesões e sintomas graves. COMO É TRANSMITIDA? O gato é o hospedeiro definitivo: é ele quem libera o parasito no ambiente.

  • Gatos geralmente apresentam a doença quando filhotes e, nesta fase, podem eliminar os oocistos do protozoário nas fezes.
  • Estima-se que apenas 1% da população felina elimine os cistos do protozoário T.
  • Gondii no ambiente.
  • O homem e outros animais são hospedeiros intermediários: neles, os cistos do protozoário se alojam nos músculos, no sistema nervoso e em vísceras, e não são eliminados pelas fezes.

Há três maneiras de se contrair o protozoário causador da toxoplasmose: 1) A mais comum é a ingestão de carne – bovina, suína ou de aves –, crua ou mal cozida, contendo cistos do protozoário. O consumo de leite cru, não pasteurizado, com presença de taquizoítos (uma outra forma do parasito) também consiste em uma fonte possível de infecção.

  • Queijos preparados com leite não pasteurizado podem transmitir a doença.2) A forma mais grave de infecção é a transmissão transplacentária (a mãe transmite a doença para seu bebê durante a gravidez).
  • Nesta forma de infecção, podem ocorrer malformações fetais e aborto.3) Através da ingestão de oocistos esporulados (forma que o protozoário adquire no meio ambiente) presentes nas fezes de um gato infectado.

Ou seja: é preciso ingerir acidentalmente fezes contaminadas de gatos. Isto pode ocorrer através do consumo de verduras e legumes mal lavados ou pelo hábito de levar a mão à boca sem antes lavá-la, sobretudo após a prática de jardinagem ou outras formas de manipular terra e areia.

A infecção (contato com o parasita) não causa, necessariamente, a doença. Para isto, é necessário que o sistema imunológico esteja debilitado, como muitas vezes ocorre com pacientes idosos, portadores de HIV e transplantados. Nem todos os gatos têm toxoplasmose. Na verdade, são poucos os que apresentam a doença. Nem todos os gatos podem transmitir a toxoplasmose através da eliminação de oocistos nas fezes. Quando o fazem, é por um curto período de tempo, e geralmente só nas primeiras semanas de vida. Os oocistos de T. gondii que são eliminados nas fezes não são capazes de causar a doença imediatamente. É preciso que as fezes contaminadas permaneçam no meio ambiente por alguns dias para que os oocistos esporulem. Só então, estes se tornarem infectantes.

PRINCIPAIS SINTOMAS: No homem:

Febre, cansaço, mal estar, dores pelo corpo; Aumento dos linfonodos (íngua); Estes sintomas por vezes se confundem com os de uma forte gripe. Distúrbios da visão, que podem evoluir para a cegueira; Aborto.

Nos animais:

Emagrecimento, fraqueza, apatia, febre alta, vômitos e diarréia; Sintomas oculares (secreção, fotofobia, pupila dilatada, entre outros); Distúrbios respiratórios; Convulsões, tremores, fraqueza muscular, paresia, paralisia e outros sintomas neurológicos.

COMO EVITAR A DOENÇA: Nos humanos:

Lave bem as mãos antes de preparar alimentos; Lave bem as verduras, frutas e legumes antes de consumi-las; Não coma carne crua ou mal passada; Não beba leite que não seja pasteurizado; Mantenha bons hábitos de higiene; Não deixe seus filhos brincarem em areais ou pracinhas que não sejam telados, onde há fezes de animais; Lave bem as mãos após limpar a bandeja sanitária de seu gato ou mexer em terra, e procure sempre usar luvas ao praticar jardinagem.

Nos gatos (ações para prevenir a infecção dos gatos e das pessoas):

Leve seu gato regularmente ao médico veterinário; Mantenha-o sempre bem alimentado com ração comercial: isto reduz a chance de ele caçar e se infectar com a toxoplasmose; Nunca dê carne crua para seu gato; Leve-o ao veterinário se ele apresentar diarréia; Evite que seu gato faça passeios fora de casa; Mantenha sempre uma bandeja com areia sanitária para seu gato fazer as necessidades e remova os dejetos diariamente, sempre com o auxílio de luvas e uma pá; Higienize a bandeja sanitária no mínimo uma vez por semana.

LEMBRE-SE:

Você não pega toxoplasmose ao acariciar um gato. Não abandone seu gato por medo de contrair a doença. Você só pega toxoplasmose se ingerir terra ou alimentos contaminados com fezes de gatos, mas bons hábitos de higiene e limpeza no preparo dos alimentos evitam isso. Cães, pombos e mordidas de gatos ou outros animais NÃO transmitem a toxoplasmose. Não existe vacina contra a toxoplasmose. Você não precisa se desfazer de seu gato se estiver grávida. Basta manter bons hábitos de higiene.

:

Qual exame é feito para detectar toxoplasmose?

Publicado em 10/08/2022 13h35 Atualizado em 27/09/2022 11h20 O diagnóstico da toxoplasmose é apoiado, principalmente, pela realização de exames de sangue. Em alguns casos, pode ser necessário combinar outros tipos de exames para uma avaliação mais precisa.

O diagnóstico é realizado pela identificação de anticorpos específicos contra o parasito. A sorologia é sensível, específica e não exige uma estrutura complexa para sua realização. Em situações de surto, a identificação do vínculo de casos à fonte de transmissão deve ser feita criteriosamente, considerando sempre os achados laboratoriais que indicam o tempo provável da infecção.

A confirmação de casos de toxoplasmose deve ser realizada, necessariamente, por critério laboratorial específico. Durante a investigação de surtos, os exames devem ser realizados nos Laboratórios Centrais de Saúde Pública, Laboratórios de Referência Regional ou Nacional ou Centros Colaboradores do Ministério da Saúde.

Na ausência de surtos, a confirmação dos casos de toxoplasmose deve ocorrer por meio de avaliação clínica em conjunto com exames laboratoriais realizados de acordo com avaliação e recomendações médicas. BE Vol.50 Nº 38 – Influenza (SE 1 a 49 de 2019); ampliação do diagnóstico da toxoplasmose congênita, monitoramento de dengue, chikungunya e Zika, até a SE 49; atualizações das indicações da vacina Febre Amarela e Campanha de Vacinação contra o HPV Protocolo para investigação de Toxoplasma gondii em amostras ambientais e alimentares A portaria GM/MS Nº 1.369 de junho de 2022 alterou e incluiu procedimento relacionado a Triagem Neonatal na Tabela de Procedimentos, Medicamentos, Órteses, Próteses e Materiais Especiais (OPM) do Sistema Único de Saúde (SUS) e estabelece recurso do Bloco de Manutenção das Ações e Serviços Públicos de Saúde – Grupo de Atenção Especializada, a ser incorporado ao limite financeiro de Média e Alta Complexidade (MAC).

As orientações constantes nesta portaria deverão ser amplamente disponibilizadas aos profissionais responsáveis pela triagem neonatal, saúde indígena, laboratórios, saúde da criança, saúde da mulher, vigilância epidemiológica de toxoplasmose congênita, assistência farmacêutica e demais envolvidos com a pauta.

Quando devo me preocupar com toxoplasmose?

A grande preocupação em relação a toxoplasmose está nas mulheres grávidas e nos pacientes imunossuprimidos, ou seja, com sistema imune debilitado como transplantados, HIV positivo, pacientes em quimioterapia ou em uso de drogas imunossupressoras.

Tem como saber se o gato tem toxoplasmose?

Sintomas da toxoplasmose de gato – Na maioria dos casos, o gato com toxoplasmose não mostra sinais de doença. Quando eles adoecem, os sintomas mais comuns são bastante inespecíficos: febre, perda de apetite e letargia. Outros sintomas de toxoplasmose em gatos dependem da localização do cisto do parasita no corpo.

O que a toxoplasmose faz no cérebro?

Ciclo de vida do Toxoplasma gondii –

1a. Os ovos de Toxoplasma são eliminados nas fezes de gato. Muitos ovos são eliminados, mas geralmente durante apenas uma a duas semanas. Depois de um a cinco dias no ambiente, os ovos conseguem causar infecção. 1b. Os gatos podem ser reinfectados ao consumir alimentos ou outros materiais contaminados com os ovos. 2. Outros animais (como pássaros silvestres, roedores, veados, porcos e ovelhas) podem consumir os ovos em solo, água, material de plantas ou areia para gatos contaminada e contrair a infecção. 3. Pouco depois que os ovos forem consumidos, esses ovos liberam formas do parasita que podem se mover (chamados taquizoítos). 4. Os taquizoítos se disseminam pelo corpo do animal e formam cistos no tecido nervoso e muscular. 5. Os gatos são infectados depois de comer animais que contêm esses cistos. 6a. As pessoas podem ser infectadas ao comer carne mal cozida contendo esses cistos. 6b. As pessoas também podem infectar-se se ingerirem alimentos, água ou outros materiais (como solo) contaminados com fezes de gato ou tocar em areia para gatos domésticos e depois levar a mão à boca. 7. Em casos raros, as pessoas são infectadas ao fazerem uma transfusão de sangue ou transplante de órgão que contenha o parasita. 8. Em casos raros, a infecção é transmitida da mãe para o feto. 9. Nas pessoas, os parasitas formam cistos em tecidos, geralmente no músculo e no coração, cérebro e olhos. Os cistos podem permanecer na pessoa pelo resto da vida sem causar sintomas. Eles podem se tornar ativos e causar sintomas se o sistema imunológico da pessoa estiver enfraquecido por um distúrbio ou medicamento.

You might be interested:  Quando A Pessoa Morre Ela Consegue Nos Ver?

As pessoas podem contrair toxoplasmose de várias maneiras:

Ingestão de alimentos, água ou outros materiais (como terra) que estejam contaminados com fezes de gato contendo ovos de Toxoplasma Ingestão de carne que contenha cistos de Toxoplasma Transmissão de uma mãe recém-infectada para um feto Em casos raros, fazer uma transfusão de sangue ou transplante de órgão que contenha o parasita

As pessoas podem engolir ovos de Toxoplasma após tocarem em areia para gatos, solo ou outros objetos contaminados e depois levarem as mãos à boca ou manusearem e ingerirem alimentos sem lavar as mãos. As pessoas podem engolir cistos ao comer carne crua ou mal cozida (geralmente porco ou cordeiro) de animais infectados.

Raramente, o parasita é transmitido pelas transfusões de sangue ou por órgão transplantado de uma pessoa infectada. Uma mulher que contrai a infecção durante a gravidez pode transmitir Toxoplasma gondii ao feto pela placenta. A infecção é mais grave se o feto for infectado no início da gravidez. O resultado pode ser crescimento lento do feto, nascimento prematuro, aborto, bebê natimorto ou nascido com defeitos congênitos.

A toxoplasmose congênita pode causar problemas de visão, convulsões e incapacidade intelectual em uma fase posterior da vida. Uma mulher que tenha sido infectada antes da gravidez não transmite o parasita para o feto, a menos que seu sistema imunológico esteja debilitado (por exemplo, por infecção por HIV), reativando sua infecção.

Uma infecção reativada tem mais probabilidade de ocorrer no cérebro, mas pode afetar os olhos ou espalhar-se por todo o corpo (disseminar-se). Em pessoas com o sistema imunológico enfraquecido, a toxoplasmose é muito séria, podendo ser fatal se não for tratada. A maioria das pessoas com um sistema imunológico saudável apresenta poucos ou nenhum sintoma de toxoplasmose e se recupera totalmente.

Cerca de 10% a 20% dessas pessoas têm linfonodos inchados, porém indolores. Algumas dessas pessoas também têm febres baixas intermitentes, uma vaga sensação de mal-estar, dores musculares e às vezes dor de garganta. Os sintomas desaparecem por si só, geralmente depois de várias semanas.

As crianças nascidas com toxoplasmose congênita podem ficar gravemente doentes e morrer antes ou logo depois de nascer, ou podem apresentar defeitos congênitos. Algumas nunca ficam doentes. Outras parecem saudáveis no início, mas desenvolvem sintomas (como convulsões, deficiência intelectual ou problemas de visão) meses ou até mesmo anos depois.

Os sintomas típicos em recém-nascidos podem incluir

Infecção do revestimento na parte posterior do globo ocular e da retina ( coriorretinite Uveíte ) Aumento do volume do fígado e do baço Erupção cutânea Facilidade de hematoma Convulsões

A coriorretinite pode causar visão embaçada, dor ocular, sensibilidade à luz e cegueira.

Toxoplasmose que se disseminou por todo o corpo (toxoplasmose disseminada aguda): erupção cutânea, febre, calafrios, dificuldade em respirar e fadiga

Exames de sangue para detectar anticorpos contra o parasita Tecido do cérebro ou de outro órgão afetado examinado microscopicamente e testado para detectar o DNA do parasita

Os médicos podem realizar esses exames de sangue em pessoas que tenham um sistema imunológico enfraquecido, mas não manifestem sintomas de toxoplasmose. Os exames são feitos para procurar evidências de uma infecção anterior que possa ser reativada se o seu sistema imunológico ficar ainda mais debilitado.

Pirimetamina e sulfadiazina, clindamicina ou atovaquona, em combinação com leucovorina; ou, alternativamente, trimetoprima-sulfametoxazol Para infecções oculares, medicamentos eficazes contra a toxoplasmose e um corticosteroide

A maioria das pessoas infectadas sem sintomas e com um sistema imunológico saudável não requer tratamento. Pessoas com sintomas de toxoplasmose podem ser tratadas com pirimetamina, sulfadiazina e leucovorina. A leucovorina é administrada para proteger contra a diminuição da produção de células sanguíneas na medula óssea, que é um efeito colateral da pirimetamina.

Se as pessoas não puderem tomar sulfadiazina, em seu lugar pode ser usada clindamicina ou atovaquona. Se não houver pirimetamina disponível, usa-se trimetoprima-sulfametoxazol. Se as pessoas tiverem o sistema imunológico saudável, elas são geralmente tratadas por algumas semanas. Pessoas com AIDS ou outros quadros clínicos que debilitem o sistema imunológico recebem os mesmos medicamentos, mas são tratadas por mais tempo (geralmente, durante pelo menos seis semanas) até que todos os sinais de infecção desapareçam.

Recorrências são comuns, e há várias opções de terapia de manutenção crônica, a qual é mantida até o sistema imunológico melhorar. Pessoas com infecção ocular podem receber pirimetamina associada a sulfadiazina (ou clindamicina) associada a leucovorina.

  • Trimetoprima-sulfametoxazol é uma alternativa.
  • Geralmente se administra prednisona ou outro corticosteroide ao mesmo tempo para reduzir a inflamação no interior do olho.
  • Mulheres que contraem toxoplasmose durante a gravidez devem consultar um médico especializado em toxoplasmose durante a gravidez.
  • A escolha de medicamentos é complicada e depende de quando a gestante contraiu a infecção (em que trimestre) e se o feto já foi infectado.

A pirimetamina pode causar defeitos congênitos e não é usada durante o primeiro trimestre de gravidez. A espiramicina (um antibiótico) pode ser usada durante o primeiro trimestre para ajudar a prevenir a transmissão da toxoplasmose da mulher para o feto.

  1. A espiramicina não está comercialmente disponível nos Estados Unidos.
  2. Os recém-nascidos que foram infectados antes do nascimento geralmente recebem pirimetamina, sulfadiazina e leucovorina por um ano após o nascimento.
  3. Mulheres grávidas devem evitar contato com gatos.
  4. Se o contato for inevitável, as mulheres grávidas devem evitar limpar as caixas dos gatos ou usar luvas quando o fizerem.

Luvas também devem ser usadas ao fazer jardinagem para evitar contato com o solo. A carne deve ser cozida completamente a uma temperatura de 74 a 77 °C e as mãos devem ser lavadas cuidadosamente após manusear carne crua, terra ou caixa de gato. Doadores de órgãos em potencial devem ser testados para evitar a propagação do parasita através de órgãos transplantados.

Pode-se usar trimetoprima-sulfametoxazol (um antibiótico) para prevenir a reativação da toxoplasmose em certas pessoas com AIDS ou outros quadros clínicos que causem o enfraquecimento do sistema imunológico. Pessoas que não puderem tomar esse medicamento poderão receber pirimetamina (um medicamento antiprotozoários) associada a sulfadiazina ou clindamicina (antibióticos).

Outras opções são atovaquona (um medicamento antiprotozoários), com ou sem pirimetamina, ou dapsona com pirimetamina. Como a pirimetamina pode diminuir a produção de células sanguíneas na medula óssea, administra-se leucovorina (também chamada ácido folínico) juntamente com ela para ajudar a proteger contra este efeito colateral. Direitos autorais © 2023 Merck & Co., Inc., Rahway, NJ, EUA e suas afiliadas. Todos os direitos reservados.

Quanto tempo dura o tratamento da toxoplasmose?

Tratamento/cirurgia da toxoplasmose ocular – O tratamento da depende de algumas variáveis, como aspecto clínico da lesão, localização etc., tendo duração aproximada de 6 a 12 semanas em pacientes imunocompetentes, ou mais tempo em pacientes com sistema imunológico comprometido, como transplantados ou aqueles que possuem AIDS, por exemplo.

A suspensão do tratamento irá depender, essencialmente, do aspecto clínico da lesão ao exame de dilatação pupilar, mapeamento de retina que, em fase ativa, apresenta limites mal definidos, ao contrário da fase cicatricial. As medicações utilizadas para o tratamento são Bactrin F, Clindamicina, Pirimetamina, Sulfadiazina, Espiramicina e Corticosteroides.

Essas medicações, geralmente, são utilizadas em associação. Existem complicações geradas pela doença que necessitam de tratamento cirúrgico. Entre elas, temos:,, turvação vítrea sequelar acentuada que não apresenta resolução e, Se o olho apresentar recorrência de toxoplasmose ocular, o mesmo tratamento pode ser instituído.

  1. Uma vez diagnosticada e tratada, exames posteriores de mapeamento de retina devem ser realizados para acompanhamento e detecção precoce de casos de recorrências.
  2. A prevenção é o grande tratamento a ser seguido, principalmente, por mulheres grávidas que nunca tiveram contato com a doença.
  3. Especialista em toxoplasmose ocular – Prof.

Dr. Rony C. Preti

Quando o resultado de toxoplasmose é positivo?

O que é Toxoplasma igG? – Toxoplasma igG é uma doença causada por um parasita chamado Toxoplasma Gondii. O problema é extremamente comum e geralmente não causa danos, porque o organismo humano consegue impedir. Quando há o contato com esse parasita, o corpo logo desenvolve o anticorpo igG para combatê-lo.

Quem tem toxoplasmose pode trabalhar?

Toxoplasmose pODE DAR DIREITO AO BPC – A Toxoplasmose é uma doença infecciosa causada pelo parasita Toxoplasma gondii. Conhecida também como Toxoplasmose Congênita, Toxoplasmose Ocular ou ainda pela sigla CID-10 B58.2, essa doença pode afetar diferentes órgãos do corpo, como o sistema nervoso central, olhos, coração, pulmões e outros.

Os sintomas da Toxoplasmose incluem febre, dor de cabeça, fadiga, calafrios, dor muscular e na garganta, náuseas, vômitos, diarreia e erupções cutâneas. Essa doença pode afetar a capacidade de trabalhar e a qualidade de vida de uma pessoa, especialmente se afetar o sistema nervoso central. A Toxoplasmose pode afetar a visão, audição, movimentação, memória, concentração e outras funções mentais.

As sequelas da Toxoplasmose incluem dificuldades para andar, cuidar da casa, realizar atividades básicas de auto-cuidado e até mesmo enfrentar preconceito por parte da sociedade. Além disso, o tratamento da Toxoplasmose pode incluir medicamentos que podem causar efeitos colaterais, como diarreia, náuseas, dor abdominal e outros, prejudicando ainda mais a qualidade de vida do doente.

A Toxoplasmose pode impedir que a pessoa desenvolva atividades profissionais, como levantar pesos, operar máquinas, trabalhar com exposição à luz solar e outras. Profissões como policial, soldado, cozinheiro, trabalhador agrícola, dentre outras, podem ser difíceis ou até mesmo impossíveis para uma pessoa com Toxoplasmose.

Se você ou alguém que você conhece tem a Toxoplasmose, o benefício de prestação continuada (BPC-LOAS) pode ser a solução para garantir uma vida digna e cidadã. O BPC é destinado a pessoas com deficiência, idosos e crianças com renda mensal de até um salário mínimo e meio.

  • Para requerer o benefício, é necessário atender aos requisitos legais, como apresentar comprovação da doença e comprovar a renda.
  • A empresa BUROCRACIA ZERO tem como objetivo simplificar o processo de requerimento do BPC-LOAS e garantir acesso a todas as pessoas que precisam.
  • O que é o CID B58.1? R: O CID B58.1 é a classificação de doenças da Organização Mundial da Saúde para a toxoplasmose.

Quais são os requisitos para uma pessoa com CID B58.1 receber o BPC-LOAS? R: Para receber o Benefício de Prestação Continuada (BPC-LOAS), a pessoa com CID B58.1 deve comprovar sua incapacidade para o trabalho e ter renda per capita familiar de até 1/4 do salário mínimo vigente.

  1. Quais benefícios previdenciários uma pessoa com CID B58.1 tem direito? R: Além do BPC-LOAS, a pessoa com CID B58.1 pode ter direito a aposentadoria por invalidez, auxílio-doença e pensão por morte.
  2. Como comprovar a incapacidade para o trabalho com o CID B58.1 com exemplos de laudos e exames? R: A incapacidade para o trabalho com CID B58.1 pode ser comprovada por meio de laudos médicos, exames laboratoriais, radiografias, ressonâncias magnéticas, entre outros.
You might be interested:  Dispneia O Que É?

Por exemplo, uma pessoa com lesão ocular devido à toxoplasmose pode apresentar laudos oftalmológicos que comprovem sua incapacidade. Quais sequelas as pessoas precisam ter desenvolvido para comprovar a incapacidade para o trabalho com o CID B58.1? R: As sequelas da toxoplasmose podem variar de acordo com a gravidade da doença e a localização das lesões.

Algumas sequelas possíveis incluem lesões oculares, neurológicas e cardíacas, além de outras manifestações sistêmicas. Como é avaliada a incapacidade laboral para quem tem o CID B58.1 para a concessão do BPC-LOAS com exemplos de incapacidades? R: A avaliação da incapacidade para o trabalho com o CID B58.1 é realizada pelo Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) e consiste em uma análise médica e social.

São considerados fatores como a gravidade da doença, as limitações decorrentes das sequelas, a idade e a escolaridade do requerente, entre outros. Por exemplo, uma pessoa com toxoplasmose que apresente lesões oculares que a impeçam de realizar atividades básicas, como ler ou escrever, pode ser considerada incapacitada para o trabalho.

O que acontece se não tratar a toxoplasmose?

Toxoplasmose Info A toxoplasmose é uma infecção causada por um protozoário chamado “Toxoplasma Gondii”, encontrado nas fezes de gatos e outros felinos, que pode se hospedar em humanos e outros animais. É causada pela ingestão de água ou alimentos contaminados e é uma das zoonoses (doenças transmitidas por animais) mais comuns em todo o mundo.

  1. Os casos agudos são, geralmente, limitados e com baixas incidências,
  2. A fase aguda da infecção tem cura, mas o parasita persiste por toda a vida da pessoa e pode se manifestar ou não em outros momentos, com diferentes tipos de sintomas.
  3. Quanto à infecção crônica, a taxa de incidência é baixa até os cinco anos de idade e começa a aumentar a partir dos 20.

A maioria das pessoas infectadas pela primeira vez não apresenta sintomas e, por isso, não precisam de tratamentos específicos. No entanto, a doença pode trazer complicações, como sequelas pela infecção congênita (transmitida da gestante para o bebê), toxoplasmose ocular, toxoplasmose grave e toxoplasmose cerebral.

Em indivíduos que estejam com o sistema imunológico comprometido, como transplantados, pacientes infectados com o HIV ou em tratamento oncológico a doença pode evoluir para gravidade. Os sinais e sintomas da toxoplasmose são variáveis e associados ao estágio da infecção (agudo ou crônico). Os sinais e sintomas normalmente são leves, similares à gripe e podem incluir dores musculares, fadiga, falta de apetite, febre e alterações nos gânglios linfáticos.

Pessoas com imunidade comprometida podem apresentar sintomas mais graves, incluindo confusão mental, falta de coordenação e convulsões. As gestantes com toxoplasmose podem permanecer sem sinais e sintomas, por isso é importante a realização das consultas de pré-natal e ações de prevenção da doença, seu diagnóstico e tratamento.

A maioria dos recém-nascidos com toxoplasmose congênita não apresenta sinais clínicos evidentes ao nascimento. No entanto, ao exame clínico podem apresentar alterações como restrição do crescimento intrauterino, prematuridade, anormalidades visuais e neurológicas. Sequelas tardias são mais frequentes na toxoplasmose congênita não tratada.

Há casos relatados de surgimento de sequelas da doença, não diagnosticadas previamente, ocorrendo apenas na adolescência ou na idade adulta. Os recém-nascidos que apresentam manifestações clínicas podem ter sinais no período neonatal ou nos primeiros meses de vida.

Esses casos podem ter, com maior frequência, sequelas graves, como acometimento visual em graus variados, acometimento mental, alterações motoras e perda auditiva. É importante saber que o contato com gatos e felinos não causa a doença. O risco está no contato com as fezes contaminadas de felinos, no consumo de água contaminada ou alimentos mal lavados ou mal cozidos.

A toxoplasmose normalmente evolui sem sequelas em pessoas com imunidade adequada, desta forma não se recomenda tratamento específico, apenas tratamento para combater os sintomas. Pacientes com imunidade comprometida ou que já tenham desenvolvido complicações da doença (cegueira, diminuição auditiva) são encaminhados para acompanhamento médico especializado.

O tratamento e acompanhamento da doença estão disponíveis, de forma integral e gratuita, no Sistema Único de Saúde. Em caso de toxoplasmose na gravidez, é importante o acompanhamento no pré-natal e a prática das orientações que forem repassadas pelas equipes de saúde. Para gestantes e crianças, o Ministério da Saúde publicou protocolos com recomendações a serem seguidas, caso a caso.

A principal medida de prevenção da toxoplasmose é a promoção de ações de educação em saúde, principalmente para mulheres que estão em idade fértil e gestantes. É fundamental manter boas práticas higiene pessoal e higiene dos alimentos. Saiba mais sobre as medidas de prevenção e controle que devem ser adotados para evitar a infecção por toxoplasmose.

Tem vacina para toxoplasmose?

TOXOPLASMOSE O QUE É A TOXOPLASMOSE? É a doença causada pelo protozoário Toxoplasma gondii, com alta prevalência no mundo inteiro entre pessoas e animais de sangue quente.

A infecção nos humanos é assintomática em 80 a 90 % dos casos. Esta doença é importante em gestantes e indivíduos imunodeprimidos, pois, nesses pacientes, pode produzir lesões e sintomas graves. COMO É TRANSMITIDA? O gato é o hospedeiro definitivo: é ele quem libera o parasito no ambiente.

Gatos geralmente apresentam a doença quando filhotes e, nesta fase, podem eliminar os oocistos do protozoário nas fezes. Estima-se que apenas 1% da população felina elimine os cistos do protozoário T. gondii no ambiente. O homem e outros animais são hospedeiros intermediários: neles, os cistos do protozoário se alojam nos músculos, no sistema nervoso e em vísceras, e não são eliminados pelas fezes.

Há três maneiras de se contrair o protozoário causador da toxoplasmose: 1) A mais comum é a ingestão de carne – bovina, suína ou de aves –, crua ou mal cozida, contendo cistos do protozoário. O consumo de leite cru, não pasteurizado, com presença de taquizoítos (uma outra forma do parasito) também consiste em uma fonte possível de infecção.

Queijos preparados com leite não pasteurizado podem transmitir a doença.2) A forma mais grave de infecção é a transmissão transplacentária (a mãe transmite a doença para seu bebê durante a gravidez). Nesta forma de infecção, podem ocorrer malformações fetais e aborto.3) Através da ingestão de oocistos esporulados (forma que o protozoário adquire no meio ambiente) presentes nas fezes de um gato infectado.

Ou seja: é preciso ingerir acidentalmente fezes contaminadas de gatos. Isto pode ocorrer através do consumo de verduras e legumes mal lavados ou pelo hábito de levar a mão à boca sem antes lavá-la, sobretudo após a prática de jardinagem ou outras formas de manipular terra e areia.

A infecção (contato com o parasita) não causa, necessariamente, a doença. Para isto, é necessário que o sistema imunológico esteja debilitado, como muitas vezes ocorre com pacientes idosos, portadores de HIV e transplantados. Nem todos os gatos têm toxoplasmose. Na verdade, são poucos os que apresentam a doença. Nem todos os gatos podem transmitir a toxoplasmose através da eliminação de oocistos nas fezes. Quando o fazem, é por um curto período de tempo, e geralmente só nas primeiras semanas de vida. Os oocistos de T. gondii que são eliminados nas fezes não são capazes de causar a doença imediatamente. É preciso que as fezes contaminadas permaneçam no meio ambiente por alguns dias para que os oocistos esporulem. Só então, estes se tornarem infectantes.

PRINCIPAIS SINTOMAS: No homem:

Febre, cansaço, mal estar, dores pelo corpo; Aumento dos linfonodos (íngua); Estes sintomas por vezes se confundem com os de uma forte gripe. Distúrbios da visão, que podem evoluir para a cegueira; Aborto.

Nos animais:

Emagrecimento, fraqueza, apatia, febre alta, vômitos e diarréia; Sintomas oculares (secreção, fotofobia, pupila dilatada, entre outros); Distúrbios respiratórios; Convulsões, tremores, fraqueza muscular, paresia, paralisia e outros sintomas neurológicos.

COMO EVITAR A DOENÇA: Nos humanos:

Lave bem as mãos antes de preparar alimentos; Lave bem as verduras, frutas e legumes antes de consumi-las; Não coma carne crua ou mal passada; Não beba leite que não seja pasteurizado; Mantenha bons hábitos de higiene; Não deixe seus filhos brincarem em areais ou pracinhas que não sejam telados, onde há fezes de animais; Lave bem as mãos após limpar a bandeja sanitária de seu gato ou mexer em terra, e procure sempre usar luvas ao praticar jardinagem.

Nos gatos (ações para prevenir a infecção dos gatos e das pessoas):

Leve seu gato regularmente ao médico veterinário; Mantenha-o sempre bem alimentado com ração comercial: isto reduz a chance de ele caçar e se infectar com a toxoplasmose; Nunca dê carne crua para seu gato; Leve-o ao veterinário se ele apresentar diarréia; Evite que seu gato faça passeios fora de casa; Mantenha sempre uma bandeja com areia sanitária para seu gato fazer as necessidades e remova os dejetos diariamente, sempre com o auxílio de luvas e uma pá; Higienize a bandeja sanitária no mínimo uma vez por semana.

LEMBRE-SE:

Você não pega toxoplasmose ao acariciar um gato. Não abandone seu gato por medo de contrair a doença. Você só pega toxoplasmose se ingerir terra ou alimentos contaminados com fezes de gatos, mas bons hábitos de higiene e limpeza no preparo dos alimentos evitam isso. Cães, pombos e mordidas de gatos ou outros animais NÃO transmitem a toxoplasmose. Não existe vacina contra a toxoplasmose. Você não precisa se desfazer de seu gato se estiver grávida. Basta manter bons hábitos de higiene.

:

Quanto tempo demora para se manifestar a toxoplasmose?

Aproximadamente 90% dos adultos e adolescentes imunocompetentes apresentam infecção assintomática. Quando a toxoplasmose é sintomática, o período de incubação varia entre 10 e 20 dias.

Quem tem toxoplasmose pode ter relação?

Transmissão da toxoplasmose – A toxoplasmose não é contagiosa. Na grande maioria dos casos, a doença é adquirida por via oral, isto é, pela ingestão de carnes cruas ou mal passadas de hospedeiros intermediários que contêm cistos do parasita, ou pelo consumo de água, frutas e verduras cruas que abriguem oocistos do Toxoplasma gondii,

Quanto tempo dura o tratamento da toxoplasmose?

Tratamento/cirurgia da toxoplasmose ocular – O tratamento da depende de algumas variáveis, como aspecto clínico da lesão, localização etc., tendo duração aproximada de 6 a 12 semanas em pacientes imunocompetentes, ou mais tempo em pacientes com sistema imunológico comprometido, como transplantados ou aqueles que possuem AIDS, por exemplo.

A suspensão do tratamento irá depender, essencialmente, do aspecto clínico da lesão ao exame de dilatação pupilar, mapeamento de retina que, em fase ativa, apresenta limites mal definidos, ao contrário da fase cicatricial. As medicações utilizadas para o tratamento são Bactrin F, Clindamicina, Pirimetamina, Sulfadiazina, Espiramicina e Corticosteroides.

Essas medicações, geralmente, são utilizadas em associação. Existem complicações geradas pela doença que necessitam de tratamento cirúrgico. Entre elas, temos:,, turvação vítrea sequelar acentuada que não apresenta resolução e, Se o olho apresentar recorrência de toxoplasmose ocular, o mesmo tratamento pode ser instituído.

  1. Uma vez diagnosticada e tratada, exames posteriores de mapeamento de retina devem ser realizados para acompanhamento e detecção precoce de casos de recorrências.
  2. A prevenção é o grande tratamento a ser seguido, principalmente, por mulheres grávidas que nunca tiveram contato com a doença.
  3. Especialista em toxoplasmose ocular – Prof.

Dr. Rony C. Preti