O Que É Sexo Oral? - CLT Livre

O Que É Sexo Oral?

Quanto tempo deve durar o sexo oral?

Geralmente as mulheres precisam de cerca de uns 20 minutos para alcançar um orgasmo satisfatório.

Porque fazer sexo oral é bom?

Fazer sexo oral nas mulheres faz bem para a saúde, aponta estudo Muitos homens adoram receber, mas não gostam muito de retribuir sexo oral nas mulheres. No entanto, uma notícia recente quem sabe os faça repensar essa preguiça toda. Um estudo realizado pela, nos Estados Unidos, descobriu que lactobacilos podem ser obtidos através de sexo oral na mulher. No entanto, vale ressaltar, que os probióticos surtem efeito quando consumidos regularmente e, que cada mulher possui uma flora vaginal única e produzem quantidade e espécies de lactobacilos diferentes. Outra ressalva é que, assim como lactobacilos podem ser transmitidos através do sexo oral, doenças sexualmente transmissíveis também.

O que é ter relações sexuais?

Contato ou relação sexual é qualquer aproximação íntima que envolva os órgãos sexuais das pessoas. Dessa forma, ao contrário do que muitas pessoas pensam, diversas práticas que não necessariamente envolvem a penetração vaginal são consideradas relação sexual.

  1. Exemplos: pênis-boca, pênis-vulva, pênis-ânus, vulva-vulva, entre outras possibilidades.
  2. Por outro lado, há o sexo sem penetração, que consiste na estimulação sexual, geralmente com as mãos, sem troca de fluidos corporais, que as pessoas não trocam fluidos corporais.
  3. Do ponto de vista da saúde, é importante diferenciar a relação ou contato sexual do sexo sem penetração.

Isto porque esta última modalidade é considerada uma atividade mais segura no que diz respeito à transmissão de IST s (i nfecções sexualmente transmissíveis ), e à gravidez. Assim, o contato sexual desprotegido pode favorecer a contaminação por AIDS, HPV, candidíase, entre outras enfermidades.

O que é normal na primeira vez?

Sintomas depois da primeira vez: vem saber o que rola depois da primeira transa │ Kira Será que o corpo muda? Será que alguém vai perceber que você transou? Venha saber tudo sobre os sintomas depois da primeira vez. Para muitas pessoas, a primeira transa é um momento especial. O que significa a “primeira vez”? Antes de discutir o que muda depois da primeira vez, é preciso dar um passo atrás e ressignificar o conceito da primeira transa. Um dos estigmas que precisamos derrubar quando se trata de sexo é que o início da vida sexual obrigatoriamente envolve penetração.

  • Você e seu parceiro ou parceira podem sentir prazer de outras formas.
  • E até mesmo sozinha você pode explorar o seu corpo e descobrir muita coisa boa.
  • 😊 Talvez você só faça sexo com penetração anos após o início da sua vida sexual.
  • Ou, então, você pode escolher nunca transar com penetração e tá tudo bem! Também já é hora de superar a ideia de que perder a virgindade significa romper o hímen, aquela película que recobre a entrada da vagina.

“O hímen não é um tampão, é mais como uma coroa. Em algumas mulheres ele pode se romper e sangrar e, em outras, não”, diz a dra. Rebeca. E não é só a penetração envolvendo um pênis que pode romper o hímen não, viu? com o dedo ou com um brinquedo erótico também pode.

Além do sangramento vaginal, que pode ou não acontecer, a primeira vez não deve provocar outros sintomas. Mas olha só: se você não estiver tão relaxada ou a fim de transar, a penetração pode deixar a ppk meio dolorida ou assada. Por isso, é importante estar com vontade e segura do que você quer. Consentir, então, é fundamental.

Lembre-se de que sexo sem consentimento é crime, O corpo muda depois da primeira vez? Pode ficar tranquila, ninguém vai notar que você transou ou que está explorando o seu corpo sozinha em casa. Depois da, o corpo feminino muda mesmo: os seios crescem, o quadril alarga e as curvas ficam mais evidentes.

  • Mas nada disso tem a ver com sexo – é 100% “culpa” dos hormônios.
  • Pode ser que você também sinta um turbilhão de sentimentos.
  • Isso, adivinha só, também tem a ver com os hormônios e é típico da puberdade.
  • Mas quando começamos a e a sentir atração por outras pessoas, pode rolar paixão, medo, expectativa e as inúmeras sensações que vêm junto.

Faz parte e é assustador, mas também é muito bom! O início da vida sexual não se trata de, mas de abrir espaço para descobrir o próprio corpo, do que você gosta e o que não te agrada. Sozinha ou acompanhada, a jornada é sua. Se você já menstruou, a dica é parceira que também poderá tirar todas as suas dúvidas.

Afinal, a jornada é sua, mas você não precisa passar por ela sozinha. 🙌 Camila Luz Jornalista formada pela Cásper Líbero, estudou Mídias Internacionais na Université Paris 8 e é mestre em Jornalismo e Direitos Humanos, com especialização em Diplomacia, pela Sciences Po Paris. Escreve sobre saúde, ciência e tecnologia desde 2016, com maior dedicação à saúde da mulher.

Também é consultora em comunicação para organizações internacionais. Vive em Washington D.C. (EUA) e é fã assídua dos livros da Elena Ferrante. : Sintomas depois da primeira vez: vem saber o que rola depois da primeira transa │ Kira

É normal ficar com corrimento depois de uma relação?

Corrimento após a relação sexual é normal? O registro de secreções vaginais não é uma ocorrência incomum entre as mulheres, mas vamos esclarecer logo no início: nem sempre isso exige preocupação. É importante conhecer a diferença entre uma secreção normal e um corrimento vaginal para identificar quando isso é um problema mais sério.

  1. Após a relação sexual, é normal a vagina apresentar algumas alterações, o que dependerá também da intensidade da relação.
  2. Nos casos de elevada lubrificação vaginal, a presença de secreções fluidas após a relação pode ser registrada, sim.
  3. Contudo, qualquer dor durante ou após a relação, assim como a presença de corrimento, devem ser avaliados com atenção pela mulher.

Ao contrário das secreções naturais da vagina, o corrimento pode ser um indicador de que tem algo errado com a saúde íntima. Embora a secreção possa aumentar após a relação, isso não é o mesmo que um corrimento, que costuma ter um odor forte e ser amarelado ou até mesmo mais marrom.

You might be interested:  Quando É O Enem?

Quando o que você reparar for identificado como semelhante ao corrimento, o ideal é procurar um ginecologista para a avaliação, pois pode se tratar de alguma Infecção Sexualmente Transmissível (IST), bactéria ou fungo.Essa medida de procurar o médico é importante pois a falta de tratamento dos corrimentos vaginais pode ocasionar infecções no colo do útero, arriscando a saúde dos ovários e tubas uterinas ou ainda afetar a fertilidade em casos mais graves.#obstetricia #mastologia #cirurgiaplastica #saudesp #bemestar #saude #ginecologiasp #mastologiasp #obstetriciaperdizes #ginecologiaperdizes #mastologiapedizes #ginecologiamooca #obstetriciamooca #mastologiamooca #drmarcelodaia #draliviadaia #saudedamulher #saudefeminina

: Corrimento após a relação sexual é normal?

O que quer dizer quando sai uma gosma transparente?

Características do corrimento transparente –

  • Com certeza, você já deve ter percebido que, de vez em quando, aparecem líquidos diferentes na calcinha, não é mesmo?
  • Existem diversos tipos de corrimento vaginal que são considerados fisiológicos, ou seja, normais e não precisam de tratamento.
  • Por isso, é normal haver um corrimento mais abundante em algumas situações determinadas, como por exemplo, no período periovulatório (corrimento transparente), no pré-menstrual (corrimento branco) entre outros.

O muco transparente é algo natural, e indica que o seu ciclo está atuando a todo vapor. Isto é, que você está no período fértil do ciclo menstrual.

  1. Desta forma, podemos dizer que o corrimento transparente é algo completamente normal, e muito comum em todas as mulheres.
  2. Mas, deve-se lembrar também que ele é um importante indicativo de como anda a sua saúde íntima e reprodutiva.
  3. Por isso, é muito importante que você esteja atenta a qualquer alteração que possa considerar anormal, ou em casos onde ele estiver com mau cheiro ou viscosidade.

Esclarecemos suas dúvidas neste conteúdo? Deixe um comentário abaixo! Compartilhe também em suas redes sociais! : Corrimento transparente é normal? Descubra!

Quando o homem ejacula dentro pode causar mau cheiro?

Bactérias no pênis e no sêmen afetam a saúde íntima feminina | O TEMPO SÃO FRANSCISCO, EUA. Os especialistas não cansam de alertar sobre a importância do uso da camisinha para prevenir doenças como Aids, hepatite e sífilis. Mas um novo estudo ressalta que o preservativo também é fundamental para manter a flora bacteriana da vagina em perfeita harmonia.

O órgão sexual feminino é composto por micro-organismos essenciais para a região. Porém, bactérias presentes no sêmen e no pênis podem afetar a vagina, segundo um estudo publicado na revista “Plos One”. Esse desequilíbrio pode levar a uma infecção que causa mau cheiro, coceira e corrimento. De acordo com a pesquisa comandada por Lenka Vodstrcil, do Melbourne Sexual Health Center, na Austrália, a vagina saudável possui um tipo predominante de bactéria, os lactobacilos ( Lactobacillus crispatus ).

Elas protegem contra a proliferação de outras bactérias que podem prejudicar a região. E quando há um desequilíbrio nessa flora vaginal ocorre uma infecção conhecida como “vaginose bacteriana”. Até então, a redução dos lactobacilos e o aumento da população de corpos estranhos à flora vaginal não era associado à atividade sexual.

O estudo inova ao mostrar que essas bactérias invasoras, apesar de não causarem doenças de forma direta, são passadas pelo sexo da mesma forma que bactérias patogênicas – como as que causam a clamídia, Doença Sexualmente Transmissível (DST). A vaginose também pode estar associada à ocorrência de partos prematuros, quando bactérias que se proliferam no trato vaginal chegam a regiões próximas à placenta.

O problema costuma desaparecer espontaneamente, quando a flora de lactobacilos se recompõe. Quando isso não ocorre, pode ser necessário tomar antibióticos para eliminar as bactérias estranhas. Amostras. Na pesquisa, a análise das bactérias que vivem na vagina de 52 mulheres foi associada à atividade sexual.

  1. Para isso, as voluntárias colheram amostras de secreção da vagina a cada três meses, durante um ano, e registraram suas atividades sexuais.
  2. Dentre as participantes, 19 nunca tinham tido relações sexuais.
  3. As mulheres que fizeram sexo sem proteção tinham maior presença das bactérias Gardnerella vaginalis e Lactobacillus iners – mais associadas à vaginose.

“O sexo sem proteção aumenta a diversidade de G.vaginalis em mulheres com e sem vaginose bacteriana, sugerindo a transmissão sexual de bactérias”, aponta a conclusão do estudo. As formas até então recomendadas pelos médicos para prevenir desequilíbrios na flora vaginal eram evitar duchas vaginais, cosméticos íntimos, roupas justas ou que promovem contato quase direto entre as regiões anal e genital, o que facilita a proliferação de bactérias.

  • Com os resultados do novo estudo, é possível pensar que a higiene íntima do homem pode ajudar as mulheres a não desenvolverem vaginose bacteriana.
  • Janneke van de Wijgert, da Universidade de Liverpool, disse à revista “New Scientist” que mulheres com parceiro fixo podem ter maior equilíbrio da flora bacteriana vaginal, já que as bactérias do homem se harmonizariam com as da mulher com o tempo.

Segundo a revista, também estão em estudo o desenvolvimento de probióticos que poderiam restaurar o equilíbrio bacteriano da vagina – como alguns iogurtes fazem com o intestino.

Quando tenho relação sinto um cheiro forte?

Como saber se o Odor Vaginal é preocupante? – Quando o odor vaginal muda suas características habituais e passa a apresentar um cheiro desagradável (de peixe), acompanhado de outros sintomas como:

  • Coceira;
  • Ardência ao urinar;
  • Incômodo na relação sexual;
  • Corrimento acinzentado ou amarelo-esverdeado.

É provável que seja alguma infecção vaginal, como a vaginose bacteriana ou até mesmo, alguma doença sexualmente transmissível. Por isso, ao reconhecer qualquer um desses sintomas, é importante consultar o ginecologista imediatamente.

O que pode ser uma massa amarela que sai da Vargina?

Corrimento espumoso (às vezes parece ‘pus’) e amarelo-esverdeado é um sintoma de uma infecção comum e facilmente tratável causada por Trichomonas vaginalis chamada tricomoníase ou clamídia. Seu corrimento pode ser amarelo escuro, verde-amarelado ou verde-acinzentado, e provavelmente presente em grande quantidade.

O que sai antes da menstruação?

O Corrimento Branco e Pastoso – Esse tipo de secreção mais comum de acontecer, portanto é necessário identificar as características que irão defini-lo como um corrimento fisiológico ou patológico,

  • Antes da menstruação: Corrimento branco pastoso antes da menstruação é natural, contando que não esteja acompanhado de mau cheiro, ardor ou coceira.
  • Depois da ovulação: O corrimento branco pastoso depois da ovulação, representa o período fértil, por facilitar a chegada de espermatozóides no óvulo.
  • Durante a relação sexual : Pode indicar a lubrificação natural ou ejaculação feminina.
  • Sinal de Gravidez: Alguns sintomas de gravidez são caracterizados pelo atraso menstrual, corrimento branco pastoso e dor no pé da barriga e costas.
  • Durante a gestação: É natural ocorrer um aumento desse tipo de corrimento durante a gravidez, porém é necessário estar atento ao cheiro, coceira ou ardência após urinar.
  • Infecção: Corrimento branco e pastoso ou leitoso acompanhado de coceira intensa, mau cheiro e dor ao urinar, pode significar infecção por candidíase.
You might be interested:  Enjoo De Gravidez Começa Quando?

O que o corrimento pode causar no homem?

Corrimento uretral em homens: o que é, causas e tratamento O corrimento uretral em homens é um dos sinais mais comuns de infecções sexualmente transmissíveis (ISTs) e pode causar desconforto e preocupação. É importante que os homens estejam cientes dos sinais e sintomas da doença, bem como das opções de tratamento disponíveis. Causas de corrimento uretral O corrimento uretral em homens é geralmente causado por uma infecção bacteriana, viral ou fúngica. As ISTs mais comuns associadas ao corrimento uretral incluem a clamídia, gonorreia e tricomoníase. Outras causas incluem infecções do trato urinário, prostatite, trauma na uretra e alergias.

Corrimento de pus ou muco da uretra Dor ou desconforto durante a micção Sensação de queimação ou coceira na uretra Dor ou desconforto durante a relação sexual Inchaço ou dor nos testículos

Diagnóstico e tratamento de corrimento uretral Para diagnosticar a causa subjacente do corrimento uretral, é necessário um exame físico e alguns exames laboratoriais. O Protocolo Clínico e Diretrizes Terapêuticas para Atenção Integral às Pessoas com Infecções Sexualmente Transmissíveis (IST) estabelece que o diagnóstico da infecção por clamídia ou gonorreia deve ser confirmado por teste laboratorial, independentemente da aparência do corrimento.

O tratamento do corrimento uretral depende da causa subjacente da infecção. Geralmente, as ISTs são tratadas com antibióticos, mas outras causas podem requerer outros tipos de tratamento. É importante que os homens sigam as instruções de dosagem e duração do tratamento prescrito para garantir que a infecção seja completamente eliminada.

Prevenção do corrimento uretral A melhor maneira de prevenir o corrimento uretral é praticando sexo seguro. Isso significa usar preservativos durante as relações sexuais. Também é importante fazer testes regulares de ISTs, especialmente se tiver sintomas de infecção.

É normal durar quanto tempo na primeira vez?

Não há um prazo fixo. Se contabilizarmos só a penetração, uma relação sexual dura, em média, três minutos. * A camisinha atrapalha? Claro que a sensibilidade é diferente com ou sem camisinha.

O que acontece depois que tem a primeira vez?

Primeira Relação Sim, é possível “perder a virgindade” com o dedo, se perder a virgindade nesse caso significa o rompimento do hímen, Qualquer objeto introduzido na vagina, inclusive os dedos, pode romper o hímen, o que está usualmente associado à perda da virgindade.

A perda da virgindade é usualmente representada pela primeira relação sexual com penetração vaginal. Nesse ato sexual, há o rompimento do hímen, uma membrana localizada no introito vaginal. Essa perda da virgindade, porém envolve algo mais complexo como o início da vida sexual ativa, a percepção e interação do seu corpo com o corpo de outras pessoas além dos vínculos de intimidade.

O que é o hímen? O hímen é uma película localizada na entrada da vagina e que normalmente se rompe quando a mulher perde a virgindade de fato, ou seja, durante a primeira relação sexual. Porém, nem sempre acontece dele se romper na primeira vez, pois há hímens que são mais elásticos (complacentes) e a ruptura pode ocorrer só depois de várias relações.

Como saber se perdi a virgindade? O rompimento do hímen provoca um pequeno sangramento e pode ou não causar alguma dor, dependendo do tipo de hímen. Porém, esse sangramento nem sempre acontece. O hímen é muito fino e em alguns casos, ele se adapta à mucosa da vagina quando é rompido. Também vale lembrar que em hímens complacentes fica mais difícil de detectar a sua ruptura.

É importante estar atenta ao próprio corpo, tocar-se para entender a sua anatomia e ficar conectada com suas sensações de intimidade. Essa é a melhor maneira de saber sobre sua virgindade e vida sexual. Para tirar a dúvida de que o hímen pode ter se rompido com o dedo e mesmo para conversar sobre aspectos da sexualidade, consulte o médico de família, clínico geral ou ginecologista.

  • Essa perda da virgindade porém, envolve algo mais complexo como o início da vida sexual ativa, a percepção e interação do seu corpo com o corpo de outras pessoas além dos vínculos de intimidade,
  • Como o sangramento depois de perder a virgindade é pouco, caso a mulher observe a presença contínua desse sangramento ou dor e laceração na vagina, ela deve procurar um centro de saúde para uma avaliação.
  • Leia também:

Não, Depois de perder a virgindade o corpo não muda. Alguns e algumas adolescentes têm a primeira relação sexual na puberdade, época que acontecem as mudanças no corpo. Por isso, acham que o corpo mudou após começar a vida sexual. Mas, na verdade, o seu corpo iria passar pelas mesmas transformações, quer você fosse virgem ou não.

  1. Deve seguir o que seu coração manda, porém deve fazer as coisas de forma consciente, se esse rapaz realmente merece o seu amor ele terá paciência e esperará o tempo que for preciso.
  2. O ideal é ele falar com sua família, pedir permissão para namorar, falar de suas boas intenções (se forem realmente boas) e assim por diante.
  3. Não faça da sua primeira relação um tormento para sua vida, esse momento deve ser especial em todos os sentidos.
  4. Eu como médico não poderia deixar de dizer que independente de sua decisão, o mais importante é cuidar do seu corpo, proteção acima de tudo, usar camisinha sempre.
  5. Veja também:

Não, nem toda menina sangra na primeira vez, O sangramento pode ou não ocorrer, pois existe uma grande variedade de formatos e elasticidade entre os hímens. Algumas meninas sangram na primeira relação, outras só após várias relações e há meninas inclusive que nunca chegam a sangrar.

  • Alguns hímens são mais espessos e podem causar dor no momento do rompimento, enquanto outros são tão finos que a mulher nem sente que ele se rompeu.
  • O médico ginecologista pode facilmente detectar a presença do hímen ao fazer o exame ginecológico clínico e esclarecer eventuais dúvidas sobre o sangramento na primeira relação.
  • Saiba mais em:

Não é comum, Em geral o sangramento após a primeira relação sexual dura no máximo algumas horas, e em pequena quantidade. Talvez, dependendo do atrito, ou da menor lubrificação vaginal, pode ter ocorrido uma irritação maior na parede da vagina e aumentado essa permanência do sangramento, porém não é o habitual.

O sangramento na primeira relação ocorre pelo rompimento do hímen, película que se encontra no interior da vagina durante a penetração. Na maioria das vezes não causa grande incômodo ou sangramento, embora algumas mulheres apresentem uma sensibilidade maior. Outras não apresentam sequer sangramento, esse primeiro evento pode variar bastante entre as mulheres e as características de seu hímen.

Por isso o mais adequado é que procure um médico da família, clínico geral ou ginecologista para realizar uma avaliação específica e assim definir suas orientações e tratamento, se necessário. Pode lhe interessar também: Não. O ciclo menstrual não muda depois da primeira relação sexual,

O ciclo menstrual é coordenado por vários hormônios do corpo feminino. A liberação desses hormônios pela glândula hipófise e pelos ovários determinará a duração do ciclo menstrual. Quando a mulher inicia-se na vida sexual ativa, não ocorre alteração na produção e liberação desses hormônios. Por isso, o ciclo menstrual não muda depois da primeira relação.

O ciclo menstrual muda com o passar dos anos e após a gestação. Em geral, após a menarca (primeira menstruação), a adolescente apresenta ciclo menstrual longo e sangramentos mais prolongados durante a menstruação. Isso vai mudando ao longo da vida da mulher e, perto da menopausa, os ciclos vão tornando curtos e o sangramento escasso.

  1. A realização de relações sexuais não irá alterar esse equilíbrio hormonal capaz de fazer funcionar o ciclo menstrual.
  2. Leia também:
You might be interested:  Quando É A Primeira Parcela Do Decimo Terceiro?

Perder a virgindade dói?​ A dor na hora de perder a virgindade é muito individual de cada mulher, para algumas a dor é muito grande e insuportável a ponto de não prosseguir o ato e outras mulheres não sentem dor nenhuma, quanto mais ansiedade e expectativa pior é a dor, se está esperando dor nesse momento provavelmente vai ser um momento ruim para você.

Espere o melhor e terá o melhor, é para ser bom e não ruim, se ainda não está preparada espera mais. Depois de fazer sexo pela primeira vez, pode haver ardência nos órgãos genitais, tanto na vagina quanto no pênis. Pela fricção que ocorre durante o ato sexual, é normal arder nos primeiros dias. Essa ardência, em geral, deixa de existir após passar esses primeiros dias e nas próximas relações.

O ato sexual pode provocar esse ardor principalmente quando não há tanta lubrificação dos órgãos genitais. Para isso, é importante estar com o desejo sexual preservado e se sentir à vontade com a pessoa. Nos momentos iniciais da relação, as pessoas podem fazer carícias e outras ações que estimulam a lubrificação e garantem uma comodidade maior no momento da penetração.

Com relação à dor, isso é algo relativo, pois cada pessoa tem uma percepção diferente da dor, Porém, a relação sexual não deve ser dolorosa nem causar dor nos primeiros dias. A pessoa deve observar a ardência e a dor. Caso elas fiquem incomodando e causando desconforto, é recomendável procurar um serviço de saúde para uma avaliação.

Sim, depois da primeira relação sexual é normal fazer mais xixi. Embora isso não ocorra sempre, pode ser causado pela irritação do canal do xixi (uretra) devido à sua proximidade com a vagina que sofreu o atrito com o pênis. Isso pode provocar um estímulo para fazer xixi, às vezes em pequenas quantidades, e acompanhada de dor e ardência.

  • Essa sensação geralmente desaparece depois de alguns dias sem relações sexuais.
  • Quando esses sintomas não desaparecem pode significar a presença de uma infecção urinária, que será preciso tratar com medicamentos.
  • Os sinais e sintomas que podem estar presentes em uma infecção urinária são: dor e ardência para urinar, vontade de urinar com frequência, urinar em pequenas quantidades, sensação de urgência para urinar, dores nas costas, febre, calafrios, enjoos, mal-estar geral.

Para evitar as infecções urinárias é importante manter uma boa higiene, tomar líquidos, evitar prender a urina por muito tempo e procurar urinar após a relação sexual. O ginecologista é o médico indicado para orientar as dúvidas em relação a atividade sexual e diagnosticar as alterações surgidas delas.

As primeiras vezes que a mulher tem relação são, vamos assim dizer, um pouco dolorosas, não somente a primeira, principalmente se a segunda vez for muito próxima da primeira, devido aos ferimentos na entrada da vagina causados pela primeira relação. Sim. A mulher pode engravidar mesmo na primeira relação sexual,

Após a menarca, primeira menstruação, a mulher se encontra apta à engravidar. Por isso, uma relação sexual desprotegida é capaz de ter como consequência uma gravidez não desejada.

  • A mulher que pretende iniciar suas atividades sexuais e não deseja engravidar deve utilizar algum método contraceptivo,
  • O preservativo ( camisinha ) masculino ou feminino são eficazes na prevenção de doenças sexualmente transmissíveis, bem como na prevenção de gravidez.
  • Caso pretenda utilizar outro método anticoncepcional de longa duração, é recomendada uma consulta com o/a médico/a de família, clínico/a geral ou ginecologista para uma avaliação pormenorizada de qual método é mais indicado no seu caso.

: Primeira Relação

Quais os riscos da primeira vez?

O que pode acontecer na primeira vez? | DG Reprodução / Reprodução Recebemos muitas questões sobre a primeira vez e a virgindade. Este momento pode gerar insegurança. O ato sexual é muito abrangente e, muitas vezes, uma brincadeira pode ocasionar situações para as quais as meninas não estão preparadas ou não sabem o que aconteceu.

  • Separamos alguns tópicos: O hímen é uma película fina, com 3 milímetros de espessura, localizada na entrada da vagina.
  • Ele tem o papel de proteger a região, já que, na infância, a menina não produz hormônios suficientes para se defender de infecções.
  • Esta membrana possui orifícios de vários tipos que recebem nomes diferentes: anular, bilabiado, cribriforme, septado/separado ou complacente/elástico, que é aquele que possui uma abertura maior e suporta a passagem do pênis sem se romper.

Embora geralmente se rompa assim que o pênis penetra na vagina, a membrana também pode ser rompida num acidente ou na introdução de um dedo. Homens e mulheres devem saber que a primeira relação sexual não precisa, necessariamente, doer. Primeiramente, porque o hímen não tem nenhuma enervação para transmitir a dor.

  • Depois, porque durante o ato sexual, a vagina se dilata para receber o pênis.
  • Assim, quando a mulher está excitada, o órgão desliza pelas paredes da vagina devido à sua lubrificação.
  • Muitas vezes, a tensão do momento e o lugar escolhido não ajudam o casal a relaxar e, deste modo, o clima tenso impede que a mulher se prepare para a penetração.

O rompimento pode ocorrer em várias partes do hímen. Quando acontece em um local por onde passa um vaso sanguíneo, poderá sangrar em quantidade maior ou menor. Assim, algumas mulheres sangram na primeira relação sexual devido à ruptura do hímen. Em outras, o sangramento pode acontecer porque faltou tranquilidade na hora H.

Como saber se o hímen foi rompido ou não?

Sangramento – O sintoma mais comum do rompimento do hímen é o sangramento vaginal que pode ocorrer ou não. Quando acontece é em pequena quantidade e tem coloração vermelho vivo. Em algumas mulheres o rompimento acontece, mas o hímen fica aderido às paredes da vagina sem sangrar. Por este motivo, somente um ginecologista ou médico de família pode detectar a sua ruptura.