O Que É Aneurisma? - 2023, CLT Livre

O Que É Aneurisma?

O que leva a pessoa ter um aneurisma?

Aneurisma é a dilatação anormal de uma artéria. Um aneurisma pode se romper e causar uma hemorragia ou permanecer sem estourar durante toda a vida. Os aneurismas podem ocorrer em qualquer artéria do corpo, como as do cérebro, do coração, do rim ou do abdômen.

Os do tipo cerebral e da aorta torácica e abdominal apresentam altas taxas de mortalidade. Causas: O aneurisma surge pelo enfraquecimento ou defeito da parede arterial. A pessoa pode nascer com o problema ou adquiri-lo, a partir de fatores como hipertensão (não controlada com medicamentos), tabagismo ou traumatismo (golpes ou ferimentos penetrantes).

Sintomas: Aneurismas pequenos costumam ser assintomáticos. Quando crescem, podem comprimir uma estrutura cerebral e provocar sintomas que variam conforme a área do cérebro afetada. A intensidade dos sintomas está diretamente relacionada com o tamanho e a extensão do sangramento.

Os mais comuns são dor de cabeça súbita, náuseas, vômitos, perda da consciência. Sangramentos abundantes podem ser fatais. Aneurisma abdominal: Os aneurismas abdominais estão associados à aterosclerose, que é caracterizada pela presença de placas de gordura e calcificação nas artérias, e não têm relação com o aneurisma cerebral.

Mesmo sendo uma doença assintomática, o aneurisma da aorta abdominal pode apresentar alguns sinais, como sensação de pulsação abdominal. Quando um aneurisma se expande rapidamente, está prestes a se romper ou já se rompeu, alguns sintomas podem aparecer de maneira brusca, como dor forte ou persistente no abdômen ou nas costas; náuseas e vômitos; frequência cardíaca acelerada; queda de pressão e choque hemorrágico, quando ocorre grande perda de sangue.

Fatores de risco: Os dois principais fatores de risco para formação e/ou ruptura de um aneurisma são o fumo e a pressão alta não controlada. Doenças que aumentam o risco de fragilidade das artérias cerebrais, como as do colágeno (síndromes de Marfan e de Ehler Danlos) e a renal policística, também influenciam.

Os fatores de risco se dividem em dois grupos: não modificáveis (sexo masculino, história familiar e idade) e modificáveis (fumo, hipertensão arterial, colesterol elevado, obesidade, raça branca e doença aterosclerótica pré-existente). Prevenção: – controlar a pressão arterial; – manter índices adequados de glicose, colesterol e triglicérides; – ter uma alimentação saudável, à base de vegetais, frutas, fibras e carnes magras; – praticar exercícios físicos regularmente; – não fumar; – não ingerir bebidas alcoólicas em excesso.

Se houver casos de aneurisma na família deve-se visitar o neurologista periodicamente para rastrear o risco de surgimento de eventuais dilatações. IMPORTANTE: Somente médicos e cirurgiões-dentistas devidamente habilitados podem diagnosticar doenças, indicar tratamentos e receitar remédios. As informações disponíveis em Dicas em Saúde possuem apenas caráter educativo.

Dica elaborada em junho de 2.018. Fontes: Dr. Dráuzio Varella: aneurisma abdominal Dr. Dráuzio Varella: aneurismas Hospital Sírio-Libanês Rede Brasil AVC

Quando a pessoa tem um aneurisma?

Sintomas de aneurisma –

Os sintomas dos aneurismas são variáveis, uma vez que eles podem atingir diferentes artérias e apresentar diferentes tamanhos. Os aneurismas pequenos podem não provocar sintomas, enquanto os maiores podem provocá-los devido à compressão de alguma estrutura.

Esses últimos podem ser observados no caso de alguns aneurismas cerebrais que pressionam nervos, causando, por exemplo, visão dupla. Podem ser sintomas de um aneurisma : perda de consciência, dor de cabeça súbita, dor abdominal ou dor nas costas, sensação de pulsação abdominal, queda de pressão, aumento da frequência cardíaca, enjoo e vômitos,

Vale lembrar que esses sintomas variam a depender do local do aneurisma. Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉

    Quais são as chances de sobreviver a um aneurisma cerebral?

    Aneurisma é uma palavra que pode assustar muita gente, principalmente aqueles que já tiveram casos na família. Não é para menos, pois esse é um problema que pode ser grave. Para você ter uma idéia, somente 2/3 dos indivíduos que tiveram aneurisma cerebral que rompeu conseguiram sobreviver.

    • Mesmo assim, em metade dos sobreviventes ficam sequelas que prejudicam muito o seu bem-estar.
    • Para que você entenda melhor o aneurisma, preparamos este texto com diversas informações importantes sobre o que é essa doença, quais são seus fatores de risco, seus sintomas e quais sequelas se costuma ter após o problema.

    Então, fique com a gente até o final!

    Como detectar um aneurisma?

    Dentre as perguntas mais frequentes que surgem quando o assunto é aneurisma, seja no consultório, nas aulas ou na mídia é: qual tipo de sintomas os aneurismas cerebrais podem causar? Essa dúvida é natural, já que o os aneurismas são potencialmente graves, levando os pacientes a questionar se são ou não portadores dessa doença.

    1. Revisando rapidamente – o que são aneurismas cerebrais? As artérias do nosso corpo têm formato cilíndrico e “ocas” por dentro, como tubos.
    2. Os aneurismas ocorrem quando uma parte da parede de uma artéria se torna enfraquecida e começa a se esticar, formando um abaulamento semelhante a uma bolha ou bexiga.

    O maior problema surge quando, assim como uma bexiga que cresce e estoura, o aneurisma também pode se romper, levando à hemorragia cerebral subaracnóidea ou AVC hemorrágico – popularmente conhecido como “derrame”. Todo aneurisma cerebral causa sintomas? Não.

    Inclusive, grande parte dos pacientes que têm um ou mais aneurismas cerebrais não apresentam quaisquer sintomas – os chamados “assintomáticos”. São esses os pacientes que só descobriram serem portadores porque os aneurismas foram encontrados por acaso, ou de maneira “incidental”. Como um aneurisma é descoberto de forma “incidental”? Os aneurismas podem ser detectados em exames de imagem não-invasivos, como a Tomografia Computadorizada e Ressonância Nuclear Magnética.

    Mesmo que esses exames tenham sido solicitados para investigar outras condições que não tem relação ao aneurisma, eles podem servir para detectá-los. Como aproximadamente 1-3% da população possui aneurisma cerebral, muitos deles vão ser identificados nos exames dessa maneira “incidental”.

    Onde se localiza o aneurisma?

    Os aneurismas podem ocorrer em qualquer artéria do corpo, como as do cérebro, do coração, do rim ou do abdômen. Os do tipo cerebral e da aorta torácica e abdominal apresentam altas taxas de mortalidade. Causas: O aneurisma surge pelo enfraquecimento ou defeito da parede arterial.

    Onde é a dor de cabeça da aneurisma?

    Quando presentes, os sintomas de um aneurisma cerebral não rompido podem incluir: Dor de cabeça ou dor atrás ou acima do olho. Fraqueza ou dormência que afeta um lado do seu rosto.

    Qual o tipo de aneurisma mais grave?

    Aneurisma de Aorta Torácica – ‍ Estima-se que uma em cada 10.000 pessoas tenha um aneurisma da aorta torácica (peito). O maior risco dessa condição rara é uma dissecção, um rasgo na parede interna da aorta, que pode criar um canal cheio de sangue que interrompe o fluxo sanguíneo para o corpo.

    Os sintomas incluem dor súbita, intensa e aguda no peito, pescoço ou costas. As pessoas que têm parentes de primeiro grau com aneurisma torácico devem ser rastreadas; o mesmo deve acontecer com pessoas com histórico pessoal ou familiar de problemas na válvula aórtica ou certas condições genéticas, incluindo síndrome de Marfan, síndrome vascular de Ehlers-Danlos, síndrome de Loeys-Dietz e síndrome de Turner.

    ‍ Fonte: : Entendendo os diferentes tipos de aneurismas | SIR — Excelência em Laudos, Consultoria Diagnóstica e Residência Médica

    É grave aneurisma?

    Quais são os sintomas do aneurisma? – Quando o aneurisma é pequeno, ele não costuma ter sintomas. À medida que vai ficando maior, é possível que ele comprima uma parte do cérebro e provoque certos sintomas que dependem da região do órgão que foi afetada.

    É perigoso a cirurgia de aneurisma?

    Cirurgia aberta – A Cirurgia Aberta, também conhecida como operação aberta ou tratamento cirúrgico do Aneurisma de Aorta, é um procedimento de caráter invasivo. Esse tipo de tratamento existe e tem seu êxito consagrado há décadas, mesmo sendo de grande porte e sendo considerado perigoso.

    1. O procedimento trata-se de um grande corte ou incisão no abdômen ou no tórax do paciente onde se encontra a área danificada do aneurisma.
    2. Para ser realizada a cirurgia, é necessária uma interrupção momentânea do fluxo sanguíneo arterial, pois o cirurgião deve separar a parte lesionada e substituí-la por um tubo sintético, conhecido como enxerto aórtico.

    Para que seja realizada a cirurgia, que leva, em média, de três a quatro horas, o paciente deve passar por uma anestesia geral e tem uma recuperação lenta, sendo necessário ficar sob intenso acompanhamento hospitalar por até dez dias após o procedimento.

    Quando o aneurisma e perigoso?

    Você sabia que um aneurisma pode ocorrer em qualquer artéria e veia do corpo? Essa condição se caracteriza pela dilatação segmentar das paredes dos vasos e geralmente apresenta poucos sintomas relacionados, mas que podem evoluir para o rompimento da artéria e até apresentar alta chance de mortalidade.

    Por isso, é preciso estar atento aos sinais. Continue lendo os próximos tópicos e se informe melhor. O que é um aneurisma? Ele pode ter nomes diferentes dependendo da parte do corpo onde ele se forma, é resultado de uma dilatação anormal que se forma na parede enfraquecida das artérias ou veias, Esse enfraquecimento faz com que alguma parte dessas estruturas sofram dilatação e formem uma bolsa, que cresce com o passar do tempo.

    A aparência é semelhante a uma bolha. Quando o rompimento é rápido e o paciente não recebe tratamento médico imediato, as chances de óbito são bastante elevadas, Regularmente, é importante o acompanhamento médico e a realização de exames de imagem quando já há o diagnóstico de aneurisma, prevenindo assim os possíveis rompimentos e ou tromboses.

    Qual o exame que detecta aneurisma cerebral?

    Sintomas – O sintoma mais conhecido é a dor de cabeça com início súbito e forte intensidade, decorrente da ruptura da parede do aneurisma e sangramento ao redor do cérebro, conhecido como hemorragia subaracnóidea. Entre os pacientes que apresentam sangramento do aneurisma, 50 a 60% morrem por consequência direta do aneurisma e complicações associadas.

    Destes, 10% morrem antes de serem atendidos por um médico.​ A maioria dos aneurismas cerebrais pequenos não promovem sintomas (assintomáticos) e são descobertos por acaso (incidentalmente) em exames de imagem do crânio, como tomografia ou ressonância magnética, nas investigações de alteração de memória, sinusites, enxaqueca, trauma e infecções.

    Os aneurismas grandes podem comprimir o cérebro (ou nervos) promovendo vários tipos de sintomas neurológicos. Procure imediatamente um médico caso sinta:

    Dor de cabeça súbita acentuada (“pior dor de cabeça de sua vida”); Perda ou alteração no nível de consciência súbita; Rigidez no pescoço; Súbita presença de visão dupla ou borrada; Súbita dor acima ou atrás dos olhos ou dificuldade para enxergar; Súbita dificuldade para andar ou tontura; Súbita fraqueza e alteração de sensibilidade; Sensibilidade à luz (fotofobia); Convulsões; Queda da pálpebra.

    Quanto tempo a pessoa fica com aneurisma?

    Esse é o aneurisma que afeta as artérias que fornecem sangue ao cérebro. Quando rompido, pode ser fatal em até 24 horas.

    Como saber se uma veia estourou na cabeça?

    Aneurisma Cerebral Descrição: Aneurisma é uma dilatação anormal na parede de uma artéria, a qual é um vaso sanguíneo que carrega sangue rico em oxigênio do coração para outras partes do corpo. Quando o aneurisma ocorre em uma artéria do cérebro ele é chamado de aneurisma cerebral.

    Quando a arteriosclerose desenvolve-se, a parede da artéria fica grossa, danificando e perdendo seu revestimento interno normal. A área danificada da artéria pode se dilatar em decorrência da pressão sanguínea, resultando em aneurisma. Causa: Um aneurisma pode ser resultado de arteriosclerose. O aneurisma também pode ocorrer em decorrência da constante pressão alta dentro de uma artéria.

    Prevenção: É importante estar atento aos fatores de risco, que são: arteriosclerose, fumo (há oito vezes mais risco de desenvolver aneurisma se a pessoa fuma), histórico familiar de aneurisma, doença cardíaca ou outros problemas nas artérias, pressão muito alta e contínua entre os 35 e 60 anos de idade, uso de entorpecentes como cocaína.

    Sintomas: Se o aneurisma cerebral pressionar nervos do cérebro, ele pode causar sinais e sintomas que incluem: pálpebra caída, visão dupla ou outras alterações na vista, dor acima ou atrás do olho, pupila dilatada, fraqueza ou falta de sensibilidade em um lado da face ou do corpo. Quando o aneurisma cerebral cresce demais ele pode romper-se, causando sangramento perigoso, e frequentemente fatal, dentro do corpo.

    Um aneurisma cerebral que rompe causa derrame, o qual pode incluir como sintomas dor de cabeça forte e súbita, náusea, vômito, pescoço duro, fraqueza repentina em uma área do corpo, dificuldade repentina de falar e até perda de consciência, coma ou morte.

    Quando desconfiar de aneurisma?

    Sintomas de aneurisma –

Os sintomas dos aneurismas são variáveis, uma vez que eles podem atingir diferentes artérias e apresentar diferentes tamanhos. Os aneurismas pequenos podem não provocar sintomas, enquanto os maiores podem provocá-los devido à compressão de alguma estrutura.

  1. Esses últimos podem ser observados no caso de alguns aneurismas cerebrais que pressionam nervos, causando, por exemplo, visão dupla.
  2. Podem ser sintomas de um aneurisma : perda de consciência, dor de cabeça súbita, dor abdominal ou dor nas costas, sensação de pulsação abdominal, queda de pressão, aumento da frequência cardíaca, enjoo e vômitos,

Vale lembrar que esses sintomas variam a depender do local do aneurisma. Não pare agora. Tem mais depois da publicidade 😉

    O que fazer em caso de aneurisma?

    Tratamento minimamente invasivo – É realizada uma incisão inguinal (na virilha) de 2 cm, feita sob efeito de anestesia local e geral, sendo um sistema de cateteres inseridos por esta via até o cérebro, de maneira coaxial, para implantar os dispositivos responsáveis pela oclusão dos aneurismas, como espirais destacáveis (coils) e stents, de acordo com a técnica escolhida.

    Esses procedimentos são conhecidos como embolização e realizados por médicos com treinamento especializado. O tempo de internação e recuperação, após um procedimento minimamente invasivo (endovascular), é menor em comparação com a cirurgia convencional. O tratamento minimamente invasivo endovascular (embolização) é a melhor escolha de acordo com as características do paciente e aneurisma e pode ser realizado na grande maioria dos casos.

    No entanto, em alguns casos específicos, a cirurgia convencional ou a observação clínica são preferíveis. Consulte sempre o seu médico para avaliarem juntos qual o melhor tratamento para o seu caso. O paciente fica internado por 3 dias no hospital e volta às suas atividades regulares em cerca de uma semana, na maioria dos aneurismas tratados de forma eletiva e programada, ou seja, aqueles que não romperam (sangraram) antes do tratamento.

    Qual o tratamento adequado para aneurisma?

    As formas de tratamento de aneurisma cerebral consistem, basicamente, na abordagem cirúrgica com clipagem e no processo de embolização endovascular. Cada tratamento possui suas indicações e contraindicações, suas vantagens e desvantagens.

    Quais são os três tipos de aneurisma?

    Aneurisma periférico – Aneurismas podem ocorrer em qualquer lugar, em uma artéria periférica. São menos propensos a ruptura do que os aneurismas aórticos. Dentre os outros tipos de aneurisma, os mais comuns são:

      Aneurisma da artéria poplítea : ocorre na perna, atrás do joelho. É um dos tipos de aneurisma periférico mais comum. Aneurisma da artéria mesentérica : afeta a artéria que transporta o sangue para os intestinos. Aneurisma da artéria esplênica : ocorre em uma artéria próxima ao baço. Aneurisma da artéria carótida : ocorre no pescoço. Aneurisma da artéria femoral : ocorre na virilha. Aneurisma visceral : é uma protuberância das artérias que fornecem sangue ao intestino ou rins.

    Se você teve um diagnóstico de aneurisma, trabalhe junto com o seu médico para monitorar quaisquer alterações. Sua condição pode exigir exames regulares, dependendo do tamanho e localização do aneurisma. Alguns aneurismas podem exigir cirurgia para reforçar a parede da artéria com um stent,

    A cirurgia preventiva para aneurismas cerebrais é realizada com mais cautela, por causa do risco de complicações. Nos casos em que o aneurisma tenha inflado pela lateral do vaso sanguíneo, um procedimento de enrolamento pode ser feito para fechar a área. Um aneurisma que se rompe é uma emergência médica e precisa ser imediatamente tratado, pois o risco de morte após o rompimento aumenta muito.

    Cuide-se!!!! Opte por uma qualidade de vida mais saudável:

    gerencie o estresse; pare de fumar; tenha uma alimentação saudável ; pratique exercícios físicos regularmente; controle a pressão, e, principalmente, não se esqueça de fazer seus exames.

    Os exames de rotina podem ajudar seu médico a verificar se há sinais de algum dos tipos de aneurisma. Esses cuidados podem evitar que os aneurismas saiam do controle. Se você precisar de um exame de triagem para concluir o diagnóstico de aneurisma, conte com a estrutura da Eigier Diagnósticos e pré-agende seu exame direto do nosso site com conforto e segurança.

    Raio X Digital Ressonância magnética Tomografia computadorizada Mamografia Digital Densitometria Óssea Ultrassonografia Doppler Medicina Fetal, entre outros.

    Agende hoje mesmo seu horário e tenha o melhor atendimento e cuidado com a sua saúde.

    Como é a dor no pescoço de aneurisma?

    Dor no pescoço pode ser problema vascular? Sim! E é preciso atenção – apesar dessa não ser a condição mais comum, já que a maioria das dores cervicais é causada por problemas nos músculos e na coluna vertebral.

    As dores musculares no pescoço, popularmente conhecidas como torcicolos, geralmente surgem após longas horas de postura incorreta no trabalho ou após uma noite de sono em posição inadequada. Estão associadas ao estresse e à ansiedade. Também podem aparecer em decorrência do desgaste da coluna vertebral (hernia de disco, estreitamento do canal medular, artrose) Mas, em alguns casos, as artérias carótidas podem gerar um desconforto importante se tiverem algum comprometimento. Explico: Essas duas artérias – uma de cada lado do pescoço – são as principais responsáveis por levar o sangue até o cérebro. Quando a camada mais interna de sua composição se rasga, temos uma condição chamada dissecção, que pode ocorrer de maneira espontânea ou após movimentos exagerados na cabeça e região cervical. A dor é intensa e geralmente em um dos lados do pescoço. Quando a circulação sanguínea para o cérebro é afetada, pode dar fraqueza no braço ou na perna. O tratamento mais indicado costuma ser com medicamentos anticoagulantes – e quando feito de maneira adequada, evita sequelas. As artérias carótidas também podem se inflamar – predominantemente devido à doenças auto-imunes. Nesses quadros, ocorre uma “reação inflamatória” do organismo contra a própria artéria carótida, que fica dolorida. Pode haver febre, mal estar, dor de cabeça, além de outras queixas. Mais uma vez, o tratamento é feito com medicamentos. Mas é importante procurar um médico vascular para avaliar o caso e acompanhar.

    : Dor no pescoço pode ser problema vascular?

    Qual a diferença entre aneurisma e AVC?

    Ou seja, um AVC ocorre quando há um vaso sanguíneo rompido no cérebro ou o suprimento de sangue ao cérebro foi bloqueado. Já o aneurisma é o resultado de uma parede arterial enfraquecida. Os aneurismas causam protuberâncias em seu corpo, que também podem se romper e, subsequentemente, sangrar.

    É normal ter aneurisma?

    Aneurisma cerebral – O aneurisma cerebral acontece quando uma artéria intracraniana apresenta uma dilatação anormal de suas paredes. Esse aneurisma pode romper-se ou não, sendo a ruptura uma situação preocupante e que necessita de atenção imediata para evitar sequelas e até mesmo a morte do indivíduo. No aneurisma cerebral, temos o acometimento de artérias intracranianas. Normalmente o aneurisma cerebral não provoca sintoma, sendo, portanto, um problema silencioso. Uma dor de cabeça muito forte, diferente das usualmente sentidas, pode ser sinal de um sangramento inicial provocado por um aneurisma cerebral.

    • Além da dor de cabeça, quando há a ruptura do aneurisma, o paciente pode apresentar alterações visuais, paralisia dos membros, perda da consciência, crises convulsivas e até mesmo entrar em coma,
    • O aneurisma cerebral é uma das causas de acidente vascular cerebral ( AVC ).
    • O tratamento do aneurisma cerebral dependerá do estado de saúde do paciente bem como da localização e do tamanho do aneurisma.

    Duas formas de tratamento podem ser realizadas: a embolização e a clipagem. Na embolização, um microcateter é introduzido por uma artéria até a região do aneurisma. Geralmente, a artéria escolhida para o acesso é a femoral. Ao chegar-se ao local do aneurisma, é colocado um dispositivo, geralmente molas de platina, que impedem o fluxo sanguíneo no local e seu sangramento.

    Qual a chance de ter um aneurisma?

    Diagnóstico – O diagnóstico de um aneurisma cerebral é feito por exames, como angioressonância ou angiotomografia. Dependendo do local que ele se encontra, pode comprimir estruturas próximas ao cérebro e causar alguns sintomas, como visão dupla, perda da visão, dor de cabeça, nos olhos, no pescoço, náuseas e vômitos, perda da consciência, confusão, fotofobia ou convulsões.

    Uma dor de cabeça forte e súbita (descrita como a pior da vida) pode significar que o aneurisma se rompeu. Também podem ser sinais de rompimento: confusão mental, letargia, sonolência ou estupor, queda da pálpebra, fraqueza muscular ou dificuldade de mobilidade de qualquer parte do corpo, dormência ou diminuição da sensibilidade de qualquer parte do corpo, convulsões, fala prejudicada e rigidez no pescoço.

    No entanto, uma pessoa pode ter um aneurisma cerebral sem nunca ter nenhum sintoma. Dados mostram que entre 1-5% da população têm aneurisma sem saber. São aneurismas pequenininhos, que podem ficar a vida inteira sem sangrar. Nesses casos, a doença só é identificada quando a pessoa passa por uma ressonância magnética ou uma tomografia computadorizada por um outro motivo.

    Qual a probabilidade de ter um aneurisma?

    Se o aneurisma é tão comum, todo aneurisma rompe? – Não necessariamente. A taxa de hemorragia intracraniana por rotura de um aneurisma cerebral é estimada em 4 a 10 rupturas para cada 100.000 pessoas. Portanto, pode-se concluir que, apesar do aneurisma cerebral não ser uma situação tão rara, a maioria deles não se rompe. Muitas pessoas morrem de outras causas sem saber que tinham um aneurisma!

Eu sou Julián Díaz Pinto, tenho 48 anos e sou o fundador e administrador do site cltlivre.com.br, um portal jurídico dedicado a descomplicar as complexidades da legislação trabalhista brasileira.