O Que Causa Enxaqueca? - [] CLT Livre

O Que Causa Enxaqueca?

O que leva a pessoa a ter enxaqueca?

Enxaqueca | Biblioteca Virtual em Saúde MS

A enxaqueca é uma doença neurológica, genética e crônica cuja principal característica é a dor de cabeça latejante, em um ou nos dois lados da cabeça. Outros sintomas muito comuns da enxaqueca: – sensibilidade à luz, a cheiros, ao barulho; – náuseas, vômitos; – sintomas visuais, como pontos luminosos, escuros, linhas em ziguezague que antecedem ou acompanham as crises de dor; – formigamento e dormências no corpo (as auras da enxaqueca); – tonturas, sensibilidade a movimentos ou passar mal em viagens de carro, ônibus, barco.Atualmente já se sabe que a enxaqueca é uma doença de todo o cérebro, onde a tendência genética e o ambiente (gatilhos) interagem o tempo todo. Dez principais causas de enxaqueca:

– preocupações excessivas, ansiedade, tensão, estresse; – ficar sem comer. O jejum é o aspecto alimentar mais importante para desencadear dores de cabeça. Longo tempo sem comer pode gerar uma queda na taxa de açúcar do sangue e provocar a produção de substâncias que causam dor.

O ideal é comer algo a cada 3 ou 4 horas, e também não exagerar na comida quando passar muito tempo em jejum; – dormir mal. Bom sono é uma condição fundamental para o bem estar de uma maneira geral, e também para o equilíbrio das enxaquecas e outras dores de cabeça. Dormir pouco, dormir muito, demorar para pegar no sono, acordar no meio da noite, roncar e ter sonolência de dia, ir dormir e acordar muito tarde são todos possíveis desencadeantes de dor de cabeça; – ciclo hormonal.

A temida TPM (tensão pré-menstrual) carrega consigo crises de cefaleia. As enxaquecas na mulher tendem a ser mais concentradas no período menstrual ou pré-menstrual. Irregularidades menstruais, endometriose, ovários policísticos e reposição hormonal, podem ser fatores que agravam as enxaquecas; – irritação e alterações do humor.

  1. A irritabilidade aparece normalmente junto com uma crise de enxaqueca, mas também pode ser um motivo gerador de novas dores.
  2. Altos e baixos no humor, pavio curto, passar muita raiva (guardando ou explodindo, tanto faz), impaciência, são combinações para desencadear uma enxaqueca.
  3. Tudo o que for feito no sentido de relaxar, acalmar e treinar a paciência é útil; – excesso de cafeína.

Tomar muito café, bebidas cafeinadas (coca-cola, chás pretos), chocolates, e até mesmo analgésicos que contenham cafeína são provocadores de enxaqueca; – falta de exercícios físicos. Realizar exercícios faz com que o organismo produza endorfinas, regulariza a produção de neurotransmissores como a serotonina, melatonina, tornando o organismo mais saudável e mais resistente à dor; – uso excessivo de analgésicos.

  1. Analgésicos não tratam a enxaqueca, só aliviam a intensidade e a duração das crises.
  2. O uso de analgésicos pode vir a tornar crônica, piorar a enxaqueca, tornando-a mais resistente e mais frequente; – alimentos como chocolate, frutas cítricas, alimentos muito gelados (sorvetes), nozes, alimentos gordurosos, condimentados, ricos em glutamato monossódico (presente em salgadinhos, molhos, adoçantes), podem agravar as enxaquecas; – causas genéticas.

Deve-se reconhecer rapidamente a enxaqueca na infância, adolescência, início da vida adulta em filhos de pessoas que sofrem com a enxaqueca, para que ela possa ser tratada adequadamente, preventivamente, evitando que as crises apareçam e que a enxaqueca se desenvolva até um estágio crônico.

O que se deve evitar quando se tem enxaqueca?

Como a alimentação pode contribuir para a melhora da enxaqueca? – Se você foi diagnosticado com a doença, fique tranquilo: existem vários tipos de tratamentos. Um deles é a alimentação, que ajuda na melhora dos sintomas. No entanto, é preciso consultar um médico ou nutricionista para fazer uma detalhada e identificar fatores que estão contribuindo para a enxaqueca, além de investigar quais alimentos podem estar desencadeando as crises.

Itens como chocolate, carnes processadas, gorduras, frutas cítricas, bebidas alcoólicas ou com cafeína, laticínios, alimentos com glúten, sementes, oleaginosas, conservas, glutamato monossódico, leveduras e adoçantes artificiais são muito prejudiciais para uma pessoa que sofre de enxaqueca. Por outro lado, peixes gordos e frescos, chá de ervas e de gengibre, banana, aveia, abacate, alimentos ricos em magnésio — como arroz integral e aveia — e suco de couve com água de coco têm ação relaxante e anti-inflamatória, além de diminuir substâncias que transmitem a dor.

Logo, ajudam a promover o bem-estar. Ou seja, a alimentação pode ser um remédio ou um veneno, a depender da dieta adotada na sua rotina — e, principalmente, durante as crises. Por isso, é válido fazer um diário alimentar para anotar os alimentos que foram ingeridos e destacar o período que surgiu a enxaqueca, para tentar achar uma relação.

Como saber se é enxaqueca ou não?

Enxaqueca | Biblioteca Virtual em Saúde MS

A enxaqueca é uma doença neurológica, genética e crônica cuja principal característica é a dor de cabeça latejante, em um ou nos dois lados da cabeça. Outros sintomas muito comuns da enxaqueca: – sensibilidade à luz, a cheiros, ao barulho; – náuseas, vômitos; – sintomas visuais, como pontos luminosos, escuros, linhas em ziguezague que antecedem ou acompanham as crises de dor; – formigamento e dormências no corpo (as auras da enxaqueca); – tonturas, sensibilidade a movimentos ou passar mal em viagens de carro, ônibus, barco.Atualmente já se sabe que a enxaqueca é uma doença de todo o cérebro, onde a tendência genética e o ambiente (gatilhos) interagem o tempo todo. Dez principais causas de enxaqueca:

– preocupações excessivas, ansiedade, tensão, estresse; – ficar sem comer. O jejum é o aspecto alimentar mais importante para desencadear dores de cabeça. Longo tempo sem comer pode gerar uma queda na taxa de açúcar do sangue e provocar a produção de substâncias que causam dor.

  1. O ideal é comer algo a cada 3 ou 4 horas, e também não exagerar na comida quando passar muito tempo em jejum; – dormir mal.
  2. Bom sono é uma condição fundamental para o bem estar de uma maneira geral, e também para o equilíbrio das enxaquecas e outras dores de cabeça.
  3. Dormir pouco, dormir muito, demorar para pegar no sono, acordar no meio da noite, roncar e ter sonolência de dia, ir dormir e acordar muito tarde são todos possíveis desencadeantes de dor de cabeça; – ciclo hormonal.

A temida TPM (tensão pré-menstrual) carrega consigo crises de cefaleia. As enxaquecas na mulher tendem a ser mais concentradas no período menstrual ou pré-menstrual. Irregularidades menstruais, endometriose, ovários policísticos e reposição hormonal, podem ser fatores que agravam as enxaquecas; – irritação e alterações do humor.

  1. A irritabilidade aparece normalmente junto com uma crise de enxaqueca, mas também pode ser um motivo gerador de novas dores.
  2. Altos e baixos no humor, pavio curto, passar muita raiva (guardando ou explodindo, tanto faz), impaciência, são combinações para desencadear uma enxaqueca.
  3. Tudo o que for feito no sentido de relaxar, acalmar e treinar a paciência é útil; – excesso de cafeína.
You might be interested:  Fenergan Para Que Serve?

Tomar muito café, bebidas cafeinadas (coca-cola, chás pretos), chocolates, e até mesmo analgésicos que contenham cafeína são provocadores de enxaqueca; – falta de exercícios físicos. Realizar exercícios faz com que o organismo produza endorfinas, regulariza a produção de neurotransmissores como a serotonina, melatonina, tornando o organismo mais saudável e mais resistente à dor; – uso excessivo de analgésicos.

Analgésicos não tratam a enxaqueca, só aliviam a intensidade e a duração das crises. O uso de analgésicos pode vir a tornar crônica, piorar a enxaqueca, tornando-a mais resistente e mais frequente; – alimentos como chocolate, frutas cítricas, alimentos muito gelados (sorvetes), nozes, alimentos gordurosos, condimentados, ricos em glutamato monossódico (presente em salgadinhos, molhos, adoçantes), podem agravar as enxaquecas; – causas genéticas.

Deve-se reconhecer rapidamente a enxaqueca na infância, adolescência, início da vida adulta em filhos de pessoas que sofrem com a enxaqueca, para que ela possa ser tratada adequadamente, preventivamente, evitando que as crises apareçam e que a enxaqueca se desenvolva até um estágio crônico.

O que acontece na cabeça quando temos enxaqueca?

Causas da Enxaqueca – Enxaquecas ocorrem em pessoas cujo sistema nervoso é mais sensível no que de outras. Para essas pessoas, as células nervosas do cérebro são facilmente estimuladas, produzindo atividade elétrica. Conforme a atividade elétrica se espalha pelo cérebro, várias funções, como visão, sensação, equilíbrio, coordenação muscular e fala, são temporariamente perturbadas.

Esses distúrbios causam os sintomas que ocorrem antes da cefaleia (chamados de aura). A cefaleia ocorre quando o 5º nervo craniano (trigêmeo) é estimulado. Este nervo envia impulsos (incluindo impulsos de dor) dos olhos, couro cabeludo, testa, pálpebras superiores, boca e mandíbula para o cérebro. Quando estimulados, os nervos podem liberar substâncias que causam inflamação dolorosa dos vasos sanguíneos do cérebro (os vasos sanguíneos cerebrais) e as camadas de tecidos que cobrem o cérebro (meninges).

A inflamação provoca cefaleia latejante, náuseas, vômitos e sensibilidade à luz e ao som. A enxaqueca hemiplégica familiar, um subtipo raro de enxaqueca, está associada a defeitos genéticos do cromossomo 1, 2 ou 19. O papel dos genes nas formas mais comuns da enxaqueca está em estudo.

  • Acredita-se que o estrogênio, o principal hormônio feminino, desencadeia a enxaqueca, o que explicaria o fato de ela ser mais frequente nas mulheres.
  • Enxaquecas podem provavelmente ser desencadeadas quando os níveis de estrogênio aumentam ou flutuam.
  • Durante a puberdade (quando os níveis de estrogênio aumentam), a enxaqueca é muito mais frequente entre as jovens mulheres do que entre os rapazes da mesma idade.

Algumas mulheres têm enxaquecas antes, durante ou imediatamente após a menstruação. Enxaquecas ocorrem com menos frequência e tornam-se menos graves nos últimos trimestres da gravidez quando os níveis de estrogênio estão relativamente estáveis, e se agravam após o parto quando os níveis de estrogênio diminuem rapidamente.

Quando devo me preocupar com a enxaqueca?

Muita gente ainda busca uma resposta em exames para justificar o diagnóstico da enxaqueca, mas o que pouca gente sabe é que a enxaqueca é uma doença do cérebro, adquirida de forma genética, quando a pessoa nasce com um desequilíbrio bioquímico nos neurotransmissores que trabalham no sistema controlador da dor.

“Podemos dizer que o alarme cerebral do portador de enxaqueca veio com “defeito” e por isso ele dispara sem motivo, permitindo que a pessoa tenha dores de cabeça desnecessariamente”, explica a neurologista Elza Magalhães, especialista em dores de cabeça. De acordo com a médica, o sistema modulador da dor funciona como um alarme que deve disparar apenas quando algo de errado acontece com nosso corpo.

Atinge mais as mulheres A enxaqueca é uma condição predominantemente feminina, chegando a uma proporção de 5 mulheres para 1 homem. A neurologista explica que o desequilíbrio hormonal que ocorre na fisiologia feminina deixa as mulheres mais suscetíveis à doença, e esse desequilíbrio já se manifesta na puberdade onde tem início as flutuações dos hormônios sexuais (estrogênios, ou estrógenos).

Geralmente a enxaqueca inicia junto com a TPM, melhora na gravidez, e pode até dimunir na menopausa, embora mulheres que fazem Terapia de Reposição Hormonal (TRH) costumam piorar da enxaqueca, e aquelas que deixaram a enxaqueca ficar crônica antes de entrar na menopausa podem não ter o benefício da melhora.

“Por isso, é importante estimular o tratamento adequado e precoce dessa doença, que muitas vezes é negligenciada”, reforça a neurologista. Os gatilhos Quando exposto a alguns estímulos externos, ou mudanças metabólicas ou hormonais, o cérebro portador de enxaqueca é mais suscetível a manifestar crises: • Preocupações excessivas, ansiedade, tensão, estresse • Ficar sem comer por muito tempo • Insônia ou noite mal dormida • Irritação e alterações de humor • Excesso de cafeína • Falta de atividade física • Uso excessivo de analgésicos • Alguns alimentos também podem agravar: excesso de chocolate, frutas cítricas, alimentos muito gelados, gordurosos, condimentados e ricos em glutamato monossódico (salgadinhos, molhos, adoçantes) Sintomas da dor da enxaqueca • É latejante, e predomina mais de um lado da cabeça • Vem associada a náuseas ou vômitos • Provoca aversão à luz (fotofobia), ao som (fonofobia) e a odores (osmofobia) • Piora com esforço físico mínimo, como, por exemplo, subir alguns lances de escada Dicas para evitar as crises Além do tratamento farmacológico orientado pelo médico, é importante que o portador de enxaqueca identifique quais são seus gatilhos para evitar e reduzir o número de crises. O abuso de analgésicos A enxaqueca é considerada crônica quando acontece pelo menos 15 dias por mês, por pelo menos 3 meses consecutivos. Existem alguns fatores que transformam uma enxaqueca episódica em crônica, e o mais preocupante é o uso abusivo de analgésicos.

  • É importante que as pessoas que sofrem de enxaqueca procurem tratamento, e que o uso de analgésicos seja evitado”, alerta a neurologista.
  • De acordo a médica, a pessoa que faz uso de 15 comprimidos ou mais de analgésicos simples para tratar enxaqueca, ou 10 comprimidos de analgésicos mais complexos por mês, já é considerado usuário abusivo e isso pode transformar a dor em uma condição crônica e de difícil tratamento.

O diagnóstico é simples O diagnóstico é baseado nos critérios clínicos definidos pela Sociedade Internacional de Cefaleia que, junto com os sintomas associados, são suficientes para confirmar, não sendo necessário realizar exames complementares, como tomografia ou ressonância magnética.

Onde pressionar para aliviar enxaqueca?

Quem sofre constantemente de enxaqueca e não consegue ter alívio dos incômodos com remédios tradicionais podem apostar em métodos menos tradicionais, mas possivelmente bastante eficientes para combater as dores através da acupressão. A acupressão consiste na pressão sobre pontos específicos do corpo para tratamentos terapêuticos, semelhante à acupuntura.

  • A técnica, criada na China, não substitui consultas médicas e não oferece curas, mas tem função analgésica e pode fornecer alívio momentâneo de forma natural.
  • Como aliviar enxaqueca sem remédios Para praticar a acupressão em casa, basta pressionar e massagear os pontos determinados por um período entre 5 e 10 minutos, até obter alívio dos incômodos.

Conheça as partes do corpo que devem ser pressionadas se você sofre de enxaqueca: 1. Pressione o ponto que fica no centro do rosto, especificamente entre as sobrancelhas, no encontro entre o início da testa e o fim do nariz.2. Outros dois pontos que, quando pressionados, aliviam a enxaqueca, estão localizados na parte interna das sobrancelhas, próximas ao fim do nariz.3.

Pressione ainda a região da parte de trás da cabeça, onde começa a coluna vertebral, de ambos os lados.4. Vale ainda pressionar e massagear a região acima das orelhas, nos dois pontos das têmporas, onde inicia o cabelo.5. Na parte de fora das mãos, entre os dedos indicador e polegar, fica outro ponto que, se pressionado, alivia dores de cabeça e reduz a tensão muscular.

You might be interested:  O Que É Neoplasia?

(Fonte: Vix) Comente, QUE VOCÊ TENHA UMA ÓTIMA TERÇA-FEIRA! /*–*/

Como aliviar enxaqueca com gelo?

Uma compressa quente ou fria pode aliviar dor de cabeça tensional? – Apesar de sábios, em sua maioria, os ditados populares podem às vezes trazer alguns conhecimentos com os quais a Medicina não corrobora. É um mito, por exemplo, acreditar que a compressa de água quente pode aliviar a dor de cabeça e na nuca provocada pela cefaleia tensional, como explica o clínico geral Sérgio Varella (CRM-RJ: 381885): “A dor de cabeça tensional dilata os vasos sanguíneos e a compressa de água quente piora o quadro com o aumento da vasodilatação”.

No entanto, segundo o médico, a aplicação de uma compressa de água fria na região afetada pela dor de cabeça tensional pode ser um grande aliado no alívio do problema. “Como a dor de cabeça faz dilatar os vasos sanguíneos, a água gelada ajuda a contrair essa dilatação, melhorando a dor”, esclarece o profissional.

Para ele, o ideal é usar a compressa entre 20 e 30 minutos. Por que a enxaqueca acontece? Ainda não são conhecidas com clareza as causas da enxaqueca. A teoria anterior de que a enxaqueca seria um problema vascular no cérebro 3,está sendo refutada com pesquisas mais recentes que consideram a enxaqueca como um distúrbio cerebral complexo em várias áreas do cérebro e que não tem uma causa ou gatilho único 4,

Tratamento pode ser feito sem o auxílio de medicamentos O tratamento da dor de cabeça tensional deve passar necessariamente por uma investigação sobre os fatores que estão causando esse problema. A partir daí, podem ser recomendados o uso de analgésicos, anti-inflamatórios e até antidepressivos. Em alguns casos, abordagens que não envolvem o uso de medicamentos podem ser mais eficazes, como a terapia comportamental e a fisioterapia, quando há comprometimento muscular.2 Embora o uso de analgésicos seja uma das formas de tratar a dor de cabeça tensional, é preciso ficar atento: o uso abusivo de medicamentos pode piorar o problema.3 or isso, é importante consultar um médico se apresentar algum dos sintomas da dor de cabeça tensional para saber como tratá-la.

Saiba mais sobre a dor de cabeça tensional A cefaleia tensional, a depender do caso de cada paciente, pode ser episódica ou crônica. A dor episódica ocorre menos de 15 vezes ao mês, enquanto a dor crônica surge mais de 15 vezes por mês, podendo durar até anos.

  • Nesses casos, o sintoma pode vir acompanhado de náusea, fotofobia e fonofobia.1 4 A dor de cabeça tensional crônica é considerada um grave problema de saúde, pode ser incapacitante e pode reduzir consideravelmente a qualidade de vida de um indivíduo.4 De acordo com Dr.
  • Varella, a dor de cabeça tensional pode ter causas físicas ou emocionais: “Uma alimentação errônea, com horários desajustados, pode causar uma cefaleia forte.

O calor também provoca muita dor tensional porque o corpo perde muito líquido com a desidratação”. Segundo o médico, distúrbios emocionais, como ansiedade, depressão e sono desregulado, também podem ser responsáveis por esse tipo de dor. O quadro ainda pode piorar com o consumo de tabaco, álcool e cafeína.2

Qual a fruta é boa para enxaqueca?

Frutas e vegetais – Quantos vegetais você consome por dia? E frutas? Que tal melhorar isso e incluir esses itens na sua salada ou nas suas refeições? Folhas verdes, como o alface, o espinafre e a acelga, são ricas em magnésio — e o mesmo vale para o brócolis e a couve-flor.

O que piora uma enxaqueca?

Enxaqueca | Biblioteca Virtual em Saúde MS

A enxaqueca é uma doença neurológica, genética e crônica cuja principal característica é a dor de cabeça latejante, em um ou nos dois lados da cabeça. Outros sintomas muito comuns da enxaqueca: – sensibilidade à luz, a cheiros, ao barulho; – náuseas, vômitos; – sintomas visuais, como pontos luminosos, escuros, linhas em ziguezague que antecedem ou acompanham as crises de dor; – formigamento e dormências no corpo (as auras da enxaqueca); – tonturas, sensibilidade a movimentos ou passar mal em viagens de carro, ônibus, barco.Atualmente já se sabe que a enxaqueca é uma doença de todo o cérebro, onde a tendência genética e o ambiente (gatilhos) interagem o tempo todo. Dez principais causas de enxaqueca:

– preocupações excessivas, ansiedade, tensão, estresse; – ficar sem comer. O jejum é o aspecto alimentar mais importante para desencadear dores de cabeça. Longo tempo sem comer pode gerar uma queda na taxa de açúcar do sangue e provocar a produção de substâncias que causam dor.

O ideal é comer algo a cada 3 ou 4 horas, e também não exagerar na comida quando passar muito tempo em jejum; – dormir mal. Bom sono é uma condição fundamental para o bem estar de uma maneira geral, e também para o equilíbrio das enxaquecas e outras dores de cabeça. Dormir pouco, dormir muito, demorar para pegar no sono, acordar no meio da noite, roncar e ter sonolência de dia, ir dormir e acordar muito tarde são todos possíveis desencadeantes de dor de cabeça; – ciclo hormonal.

A temida TPM (tensão pré-menstrual) carrega consigo crises de cefaleia. As enxaquecas na mulher tendem a ser mais concentradas no período menstrual ou pré-menstrual. Irregularidades menstruais, endometriose, ovários policísticos e reposição hormonal, podem ser fatores que agravam as enxaquecas; – irritação e alterações do humor.

  • A irritabilidade aparece normalmente junto com uma crise de enxaqueca, mas também pode ser um motivo gerador de novas dores.
  • Altos e baixos no humor, pavio curto, passar muita raiva (guardando ou explodindo, tanto faz), impaciência, são combinações para desencadear uma enxaqueca.
  • Tudo o que for feito no sentido de relaxar, acalmar e treinar a paciência é útil; – excesso de cafeína.

Tomar muito café, bebidas cafeinadas (coca-cola, chás pretos), chocolates, e até mesmo analgésicos que contenham cafeína são provocadores de enxaqueca; – falta de exercícios físicos. Realizar exercícios faz com que o organismo produza endorfinas, regulariza a produção de neurotransmissores como a serotonina, melatonina, tornando o organismo mais saudável e mais resistente à dor; – uso excessivo de analgésicos.

  1. Analgésicos não tratam a enxaqueca, só aliviam a intensidade e a duração das crises.
  2. O uso de analgésicos pode vir a tornar crônica, piorar a enxaqueca, tornando-a mais resistente e mais frequente; – alimentos como chocolate, frutas cítricas, alimentos muito gelados (sorvetes), nozes, alimentos gordurosos, condimentados, ricos em glutamato monossódico (presente em salgadinhos, molhos, adoçantes), podem agravar as enxaquecas; – causas genéticas.

Deve-se reconhecer rapidamente a enxaqueca na infância, adolescência, início da vida adulta em filhos de pessoas que sofrem com a enxaqueca, para que ela possa ser tratada adequadamente, preventivamente, evitando que as crises apareçam e que a enxaqueca se desenvolva até um estágio crônico.

Quais alimentos piora enxaqueca?

Home Notícias Alimentação balanceada pode ajudar contra as crises de enxaqueca

Gerente de Nutrição do HCor sugere evitar alimentos gordurosos, cafeinados e alcoólicos para a diminuição das crises e aponta os tipos que devem ser consumidos Quem sofre com as crises de enxaqueca sabe o quanto isso é incômodo. Embora seja uma doença genética, crônica e afete 30 milhões de brasileiros há uma boa notícia: os sintomas podem ser amenizados com uma boa alimentação.

Incluir na dieta alimentos como a castanha-do-pará, atum, canela, grão de bico, granola, pães, entre outros podem ajudar a diminuir as crises de enxaqueca. Para a Gerente de Nutrição do HCor, Hospital do Coração, em São Paulo, Rosana Perim alguns alimentos que contém selênio (encontrados na castanhas) podem ajudar a diminuir o estresse.

O tripofano (contidos em alimentos como a banana) libera seratonina e traz a sensação de bem-estar. Já os anti-histamínicos (presentes na canela e gengibre) inibem a produção de prostaglandina, responsável pela sensação de dor. “Já no período menstrual, os alimentos ricos em magnésio (encontrado na castanha-do-pará) e em ômega 3 (presentes no salmão) representam um importante papel nesta fase e ajudam no controle das crises, podendo ser consumidos tranquilamente durante este período”, explica a Gerente de Nutrição.

You might be interested:  Por Que Quarta Feira De Cinzas?

Em contrapartida, é importante também evitar alguns alimentos gordurosos (que liberam a prostaglandina, hormônio responsável pela sensação de dor), cafeinados (substâncias que alteram a circulação sanguínea) e bebidas alcoólicas (provocam vasoconstrição dos vasos sanguíneos). Segundo as diretrizes da Sociedade Brasileira de Cefaléia (SBCe), a restrição dietética é específica e individualizada indicada apenas para indivíduos com histórico comprovado da associação com esses alimentos desencadeantes.

“A inclusão ou exclusão de certos alimentos deverá ser de acordo com a sensibilidade de cada indivíduo. Porém a relação entre dieta e enxaqueca precisa de maiores investigações”, explica Perim, do HCor. As pessoas com diagnóstico de enxaqueca devem tratar os sintomas de forma correta.

Semente de linhaça, atum, sardinha, salmão ou cavala, pois são ricos em ômega 3; Castanhas, amêndoas e amendoim: ricos em selênio, que diminui o estresse; O triptofano ajuda a liberar serotonina, que proporciona sensação de bem-estar. Alimentos como a banana, erva-cidreira, maracujá, pão, arroz, feijão e granola contêm essa substância; Os anti-histamínicos inibem a produção de prostaglandina, responsável pela sensação de dor. São encontrados no orégano, cravo, canela e gengibre; Alguns estudos demonstram que a deficiência de magnésio pode representar um importante papel no desenvolvimento da enxaqueca no período menstrual. Encontrado em amêndoas, avelã, castanha-do-pará, amendoim, alcachofra e espinafre. O consumo de alimentos ricos em vitaminas do complexo B, como feijão, lentilha e grão de bico, também ajuda a prevenir a enxaqueca.

Alimentos que podem desencadear as crises de enxaqueca:

Adoçantes artificiais e produtos diet e light (aspartame e sucralose); Carnes curadas, defumadas, embutidos, salsicha e linguiça, contêm nitratos e nitritos, substâncias que aumentam a dilatação dos vasos sanguíneos; Refrigerantes a base de cola, guaraná, café e o chá mate devem ser evitados, pois possui cafeína, substância estimulante que pode alterar a circulação sanguínea; Bebidas alcoólicas como: vinho tinto, espumantes e destilados em geral possuem fenóis, aldeídos e sulfetos. Essas substâncias podem provocar vasoconstrição dos vasos sanguíneos; Chocolates, queijos duros e frutas cítricas contêm tiramina, substância que libera a prostaglandina, hormônio responsável pela sensação de dor; Aditivos alimentares, como o glutamato de monossódico presente em temperos e alimentos industrializados e embutidos.

O que acontece no cérebro quando a pessoa tem enxaqueca?

Causas da Enxaqueca – Enxaquecas ocorrem em pessoas cujo sistema nervoso é mais sensível no que de outras. Para essas pessoas, as células nervosas do cérebro são facilmente estimuladas, produzindo atividade elétrica. Conforme a atividade elétrica se espalha pelo cérebro, várias funções, como visão, sensação, equilíbrio, coordenação muscular e fala, são temporariamente perturbadas.

  • Esses distúrbios causam os sintomas que ocorrem antes da cefaleia (chamados de aura).
  • A cefaleia ocorre quando o 5º nervo craniano (trigêmeo) é estimulado.
  • Este nervo envia impulsos (incluindo impulsos de dor) dos olhos, couro cabeludo, testa, pálpebras superiores, boca e mandíbula para o cérebro.
  • Quando estimulados, os nervos podem liberar substâncias que causam inflamação dolorosa dos vasos sanguíneos do cérebro (os vasos sanguíneos cerebrais) e as camadas de tecidos que cobrem o cérebro (meninges).

A inflamação provoca cefaleia latejante, náuseas, vômitos e sensibilidade à luz e ao som. A enxaqueca hemiplégica familiar, um subtipo raro de enxaqueca, está associada a defeitos genéticos do cromossomo 1, 2 ou 19. O papel dos genes nas formas mais comuns da enxaqueca está em estudo.

Acredita-se que o estrogênio, o principal hormônio feminino, desencadeia a enxaqueca, o que explicaria o fato de ela ser mais frequente nas mulheres. Enxaquecas podem provavelmente ser desencadeadas quando os níveis de estrogênio aumentam ou flutuam. Durante a puberdade (quando os níveis de estrogênio aumentam), a enxaqueca é muito mais frequente entre as jovens mulheres do que entre os rapazes da mesma idade.

Algumas mulheres têm enxaquecas antes, durante ou imediatamente após a menstruação. Enxaquecas ocorrem com menos frequência e tornam-se menos graves nos últimos trimestres da gravidez quando os níveis de estrogênio estão relativamente estáveis, e se agravam após o parto quando os níveis de estrogênio diminuem rapidamente.

Quando é que a enxaqueca é preocupante?

1. Enxaqueca – A enxaqueca pode ser descrita como uma dor de cabeça mais intensa e pulsante que, em algumas crises, pode vir acompanhada de náuseas, vômito, sensibilidade à luz ou ao som e tonturas. Geralmente, a dor de cabeça da enxaqueca varia da intensidade moderada à intensa.

Quais os riscos que a enxaqueca pode causar?

Prevenção: Enxaqueca x AVC – Estudos em grandes populações mostram que pessoas que sofrem de enxaqueca têm risco aumentado de Acidente Vascular Cerebral. Dessa forma, pacientes que sofrem com este problema devem evitar e tratar com atenção os fatores de risco para doença vascular como a hipertensão arterial, o tabagismo, o diabetes e a obesidade.

Como fica a cabeça depois de uma crise de enxaqueca?

Para quem tem enxaqueca, entender melhor esta condição é fundamental. Pouca gente sabe que a crise de enxaqueca tem quatro fases, cada uma com seus próprios sintomas em potencial. Nem todo mundo experiencia todas as fases, pois cada caso tem suas características particulares.

  • Conheça no post de hoje essas quatro fases e saiba quais são seus principais sintomas potenciais.
  • FASE 1 – PRÓDROMO Esta fase inicial pode começar horas e até dias antes de uma crise.
  • Cerca de 30 a 40 % das pessoas com enxaqueca passam por essa fase, que pode ser útil no sentido de alertar que uma nova crise está se aproximando.

Alguns dos sintomas potenciais são:

Constipação Dificuldade de se concentrar Fadiga Bocejos constantes Aumento da sede

FASE 2 – AURA A aura pode acontecer antes ou até durante a enxaqueca. Costuma afetar apenas 25% dos pacientes. Trata-se de um sintoma ligado ao sistema nervoso. Mais comumente, são distúrbios visuais, mas também podem ser sensações táteis ou de movimento. Os sintomas começam gradualmente e duram de 20 a 60 minutos. São exemplos de sintomas desta fase:

Enxergar formas, pontos de claridade ou raios de luz Perda de visão Sensações de agulhadas nos braços ou pernas Sensação de dormência na face Ouvir barulho Movimentos descontrolados

FASE 3 – CRISE DE ENXAQUECA Se não tratada, a crise de enxaqueca costuma durar de 4 a 72 horas. A frequência com que elas ocorrem variam muito para cada pessoa. Os principais sintomas são:

Dor latejante e pulsante geralmente de um lado, mas pode ocorrer em ambos os lados da cabeça Sensibilidade a luz, sons Piora com atividade física Confusão Tontura Náusea/vômito Visão turva

FASE 4 – PÓSDROMO Muitas pessoas relatam uma sensação de “ressaca” após a crise de enxaqueca. Essa sensação é a quarta fase da enxaqueca, conhecido como pósdromo. Os sintomas costumam durar algumas horas, ou até poucos dias:

Fadiga Diminuição da capacidade cognitiva