Flavonid Para Que Serve? - CLT Livre

Flavonid Para Que Serve?

Para que é indicado o Flavonid?

Flavonid ® é destinado ao: –

Tratamento das manifestações da insuficiência venosa crônica, funcional e orgânica, dos membros inferiores; Tratamento dos sintomas funcionais relacionados à insuficiência venosa do plexo hemorroidário; No período pré e pós-operatório de safenectomia (retirada cirúrgica da veia safena) para alívio dos sinais e sintomas resultantes deste procedimento; Alívio da dor pélvica crônica associada à Síndrome da Congestão Pélvica.

O conteúdo desta bula foi extraído manualmente da bula original, sob supervisão técnica da farmacêutica responsável: Rafaela Sarturi Sitiniki (CRF-PR 37364). Consulte a bula original, Última atualização: 24 de Novembro de 2022

Quanto tempo o Flavonid começa a fazer efeito?

Bula do Flavonid Tratamento das manifestações da insuficiência venosa crônica, funcional e orgânica, dos membros inferiores; Tratamento dos sintomas funcionais relacionados à.

  • Tratamento das manifestações da insuficiência venosa crônica, funcional e orgânica, dos membros inferiores;
  • Tratamento dos sintomas funcionais relacionados à insuficiência venosa do plexo hemorroidário;
  • No período pré e pós-operatório de safenectomia (retirada cirúrgica da veia safena) para alívio dos sinais e sintomas resultantes deste procedimento;
  • Alívio da dor pélvica crônica associada à Síndrome da Congestão Pélvica.

Como o Flavonid funciona? Flavonid atua no sistema vascular, aumentando a velocidade de circulação do sangue nas veias, normalizando a permeabilidade capilar e reforçando a resistência capilar na microcirculação e aumentando a drenagem linfática. Toda essa ação leva a uma melhora dos sintomas relacionados à insuficiência venosa crônica dos membros inferiores.

A ação de Flavonid também é responsável por atenuar a intensidade da dor, reduzir e acelerar a reabsorção dos hematomas e edemas, melhorar os sintomas relacionados à doença venosa crônica (sensação de pernas pesadas, fadiga dos membros inferiores, câimbras) e aumentar a tolerância ao exercício no período pós-operatório de safenectomia (retirada cirúrgica da veia safena).

O tempo médio estimado para início da ação farmacológica é de 2 horas.

  • Contraindicação do Flavonid
  • Flavonid não deve ser utilizado nos casos de hipersensibilidade previamente conhecida a qualquer um dos componentes da fórmula.
  • Este medicamento é contraindicado para uso em crianças.
  • Como usar o Flavonid
  • Uso oral.
  • Posologia do Flavonid
  • Doença venosa crônica
  • 2 comprimidos ao dia, sendo um pela manhã e outro à noite.
  • Os comprimidos devem ser administrados preferencialmente durante as refeições, por pelo menos 6 meses ou de acordo com a prescrição médica.
  • Crise hemorroidária aguda
  • 6 comprimidos ao dia durante os quatro primeiros dias e, em seguida, 4 comprimidos ao dia durante três dias, após este período, 2 comprimidos ao dia por pelo menos 3 meses ou de acordo com a prescrição médica.
  • Período pré operatório de safenectomia
  • 2 comprimidos ao dia.
  • Os comprimidos devem ser administrados durante 4 a 6 semanas ou de acordo com a prescrição médica.
  • Período pós operatório de safenectomia
  • 2 comprimidos ao dia.
  • Os comprimidos devem ser administrados por pelo menos 4 semanas ou de acordo com a prescrição médica.
  • Dor pélvica crônica
  • 2 comprimidos ao dia.
  • Os comprimidos devem ser administrados por pelo menos 4 a 6 meses ou de acordo com a prescrição médica.
  • Caso desejar os comprimidos de Flavonid podem ser dissolvidos em água antes de administrá-los.
  • Nesse caso, você deve dissolver o comprimido em um copo de água com quantidade suficiente para completa dissolução até que uma suspensão homogênea seja obtida.
  • Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.
  • Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico.
  • Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado.
  • O que devo fazer quando eu me esquecer de usar o Flavonid?

Caso você esqueça de tomar Flavonid no horário receitado pelo seu médico, tome-o assim que se lembrar. Porém se já estiver próximo ao horário de tomar a dose seguinte, pule a dose esquecida e tome a próxima, continuando normalmente o esquema de doses receitado pelo seu médico.

  1. Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.
  2. Precauções do Flavonid
  3. Gravidez
  4. Nenhum efeito teratogênico foi demonstrado em vários estudos e nenhum evento adverso foi reportado em humanos.
  5. Um estudo aberto com produto contendo a associação diosmina + hesperidina, realizado com 50 mulheres com gestação entre 8 semanas antes do parto e até após 4 semanas do parto sofrendo de crise hemorroidária, registrou alívio dos sintomas agudos a partir do 4 o dia de tratamento.
  6. O tratamento foi bem aceito e não afetou a gravidez, o desenvolvimento fetal, o peso do neonato, seu crescimento e amamentação materna.
  7. Lactação
  8. Em razão da ausência de dados extensos sobre a passagem deste medicamento para o leite materno, a amamentação não é recomendada durante o tratamento.
  9. Fertilidade
  10. Estudos de toxicidade reprodutiva não mostraram efeito na fertilidade de ratos do sexo feminino e masculino.
  11. Efeito na capacidade dirigir e operar máquinas
  12. Nenhum estudo sobre o efeito da fração de flavonoides na habilidade de dirigir e operar máquinas foi realizado.
  13. Contudo, baseado no perfil de segurança global da fração flavonoica, Flavonid não tem influência ou tem influência insignificante sobre a capacidade de dirigir e operar máquinas.
  14. Advertências do Flavonid
  15. Crise hemorroidária aguda
  16. A administração de Flavonid para o tratamento sintomático da hemorroida aguda não substitui o tratamento específico de outros distúrbios anais e o seu uso deve ser feito por curto período de tempo.
  17. Se os sintomas não desaparecerem rapidamente, deve-se proceder com um exame proctológico e o tratamento deve ser revisto.
  18. Idosos
  19. A posologia para o uso de Flavonid em idosos é a mesma utilizada para pacientes com menos de 65 anos.
  20. Crianças
  21. Flavonid não se destina ao uso em crianças e adolescentes (com idade inferior a 18 anos).
  22. Reações Adversas do Flavonid
  23. Assim como todos os medicamentos, Flavonid pode causar eventos adversos, porém nem todos os pacientes irão apresentá-los.
  24. Os seguintes eventos adversos foram reportados com o uso de produtos contendo a associação diosmina + hesperidina e estão classificados usando a seguinte frequência:
  • Muito comuns (ocorre em mais de 10% dos pacientes que utilizam este medicamento);
  • Comuns (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento);
  • Reação incomum (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento);
  • Reação rara (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • Reação muito rara (ocorre em menos de 0,01% dos pacientes que utilizam este medicamento);
  • Reações com frequência desconhecida (não pode ser estimada pelos dados disponíveis).

Reações comuns (ocorre entre 1% e 10% dos pacientes que utilizam este medicamento)

  • Diarreia;
  • Dispepsia (indigestão);
  • Náusea;
  • Vômitos.
  • Reações incomuns (ocorre entre 0,1% e 1% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • Colite (inflamação do intestino).
  • Reações raras (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento)
  • Tontura;
  • Dor de cabeça;
  • Mal estar;
  • Rash cutâneo (erupções avermelhadas);
  • Prurido (coceira);
  • Urticária (erupção cutânea).

Reações com frequência desconhecida

  • Edema de face isolada, lábios e pálpebras;
  • Excepcionalmente edema de Quinke (tal como inchaço da face, lábios, boca, língua ou garganta, dificuldade em respirar ou engolir).
  1. Se algum dos eventos adversos se tornar sério, ou se você notar algum evento adverso não listado nessa bula, favor informar o seu médico ou farmacêutico.
  2. Informe ao seu médico, cirurgião-dentista ou farmacêutico o aparecimento de reações indesejáveis pelo uso do medicamento.
  3. Informe também à empresa através do seu serviço de atendimento.
  4. Composição do Flavonid
  5. Apresentações
  6. Comprimido revestido
  7. Embalagens contendo 30 ou 60 comprimidos revestidos.
  8. Via de administração: oral.
  9. Uso adulto.
  10. Composição
  11. Cada comprimido revestido contém
Diosmina (sob a forma micronizada) 450mg
Flavonoides expressos em hesperidina 50mg
Excipientes* 1 comprimido revestido

ul>

  • *Celulose microcristalina, povidona, talco, croscarmelose sódica, estearato de magnésio, copolímero de ácido metacrílico e metacrilato de etila, polissorbato 80, citrato de trietila, dióxido de titânio, amarelo crepúsculo laca de alumínio, macrogol, hidróxido de sódio e silicona.
  • Superdosagem do Flavonid
  • Nenhum caso de overdose com Flavonid foi reportado até o momento.
  • Em caso de uso de grande quantidade deste medicamento, procure rapidamente socorro médico e leve a embalagem ou bula do medicamento, se possível.
  • Ligue para 0800 722 6001, se você precisar de mais orientações.
  • Interação Medicamentosa do Flavonid
  • Nenhum estudo de interação medicamentosa foi realizado com a associação diosmina + hesperidina. Entretanto, levando-se em consideração a extensa experiência pós-comercialização de produtos contendo a associação diosmina + hesperidina, nenhuma interação medicamentosa foi reportada até o momento.

    1. Interação Alimentícia do Flavonid
    2. Não há relatos até o momento.
    3. Ação da Substância Flavonid
    4. Resultados de eficácia
    5. Farmacologia clínica
    6. Os estudos controlados duplo-cegos, utilizando métodos que permitem objetivar e quantificar a atividade de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) sobre a hemodinâmica venosa, confirmaram as propriedades farmacológicas deste medicamento em humanos.
    7. Relação dose-efeito

    A existência de relações dose-efeito, estatisticamente significativas, baseia-se nos parâmetros pletismográficos venosos: capacitância, distensibilidade e tempo de escoamento. A melhor relação dose-efeito é obtida com a posologia de 2 comprimidos ao dia (1000mg/dia).

    Atividade venotônica Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) aumenta o tônus venoso. A pletismografia de oclusão venosa por manguito de compressão de mercúrio evidencia uma diminuição dos tempos de escoamento venoso. Atividade microcirculatória Os estudos duplo-cegos realizados mostraram uma diferença estatisticamente significativa entre o medicamento e o placebo.

    Nos pacientes que apresentam sinais de fragilidade capilar, Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) aumenta a resistência capilar medida por angioesterometria.

    • Atividade anti-inflamatória endotelial
    • Estudos realizados em células, em modelos animais e estudos clínicos comprovaram a ação de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) na inibição da expressão de moléculas de adesão intracelular responsáveis pelo processo de inflamação endotelial, inibindo a adesão e/ou a migração leucocitária, bem como da síntese de mediadores inflamatórios como PGE2 e tromboxano.
    • Prática clínica
    • Estudos controlados duplo-cegos com placebo demonstraram a atividade de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) na flebologia, no tratamento da insuficiência venosa crónica dos membros inferiores (tanto funcionais como orgânicos).
    • Estudos clínicos
    • Eficácia no tratamento das manifestações da insuficiência venosa crônica, orgânica e funcional dos membros inferiores
    • Os estudos clínicos duplo-cegos realizados contra placebo colocam em evidência a atividade terapêutica de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) na dose diária de 1000mg em flebologia, no tratamento da insuficiência venosa crônica, funcional e orgânica dos membros inferiores.
    You might be interested:  Taurina O Que É?

    Em estudo duplo-cego placebo controlado incluindo 160 pacientes (134 mulheres e 26 homens), a eficácia de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) na dose diária de 1000mg por dois meses, foi dirigida aos sintomas (desconforto, peso, dor, cãimbras noturnas, sensação de inchaço, vermelhidão/cianose, calor/queimação, sinais clínicos (condição da pele, distúrbios tróficos) e edema de perna.

    Desde o primeiro mês e continuamente até o final do segundo mês, a intensidade máxima dos sintomas foi significativamente reduzida no grupo do Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) comparado ao grupo placebo (Gilly, 1994). Um estudo multicêntrico internacional envolvendo 5052 pacientes com duração de 2 anos, com pacientes sintomáticos para insuficência venosa crônica (C0s – C4 – Classificação Clínica CEAP) com ou sem refluxo venoso, divididos em grupos, placebo e grupo de tratamento ativo.

    O tratamento ativo consistiu na administração de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) na dose diária de 1000mg. Durante o tratamento com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) todos os sintomas (dor, peso nas pernas, formigamento e cãimbras) apresentaram uma forte melhora, sobretudo no grupo com refluxo venoso, em comparação ao outro grupo.

    A avaliação do índice de Qualidade de Vida foi significativamente melhorada independente do grupo, com ou sem refluxo venoso. A melhora significativa e progressiva dos sinais de insuficiência venosa crônica se refletiu em alterações significativas na classificação CEAP, i.e., de estágios mais severos para estágios mais leves.

    A melhora clínica contínua acompanhou o período de tratamento durante 6 meses, com melhora progressiva também dos índices de qualidade de vida de todos os pacientes. Em estudo aberto, multicêntrico, controlado, randomizado, 140 pacientes portadores de insuficiência venosa crônica e úlcera de perna foram divididos em dois grupos, tratamento de compressão associado a medicamento tópico; e este tratamento associado à Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) na dose diária de 1000mg por 24 semanas.

    O percentual de pacientes com úlcera de perna cicatrizada ao término do período de tratamento foi definitivamente maior no grupo tratado com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento). Eficácia no tratamento dos sintomas funcionais relacionados a insuficiência do plexo hemorroidário Em um estudo randomizado, duplo-cego, placebo controlado, 90 pacientes (49 no grupo Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) e 41 no grupo placebo) com crise hemorroidária aguda foram tratados durante 7 dias no seguinte esquema: 3000 mg de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) diariamente durante os primeiros 4 dias e, em seguida, 2000 mg de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) diariamente durante 3 dias (Jiang, 2006).

    Os critérios de eficácia foram avaliados conforme evolução dos sinais e sintomas ( dor e edema, os mais frequentemente reportados), sangramento, tenesmo, prurido, secreção de muco, e prolapso. A eficácia do tratamento em D4 foi significativamente melhor no grupo Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento), com melhora da dor (p = 0,01) e do sangramento (p = 0,01).

    Estes resultados foram ainda mais pronunciados em D7, com uma melhora significativa nos seguintes parâmetros: dor (p lt;0,001), edema (p = 0,01), sangramento (p = 0,02), e tenesmo (p = 0,02). A eficácia global do tratamento avaliada pelo paciente foi considerada como muito boa ou boa em 75.6% dos pacientes no grupo Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) versus 39% dos pacientes no grupo placebo (p = 0.007).

    A avaliação dos investigadores alcançou uma eficácia muito boa ou boa em 75.5% dos pacientes no grupo de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) versus 39% no grupo placebo (p = 0,006). Eficácia no alívio dos sinais e sintomas pós operatórios de safenectomia Estudo aberto, multicêntrico, prospectivo e randomizado, com 181 pacientes com indicação cirúrgica para a retirada da veia safena (safenectomia) foram divididos em dois grupos, grupo tratado com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) na dose diária de 1000mg no período pré e pós operatório de safenectomia e grupo controle (pacientes não tratados com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento)).

    Os pacientes tratados com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) obtiveram uma maior redução da intensidade da dor e menor consumo de analgésicos no período pós operatório, além de uma redução do tamanho dos hematomas e melhora dos sintomas associados à doença venosa crônica (diminuição do edema, cãibras, fadiga dos membros inferiores e sensação de pernas pesadas).

    Estudo aberto, multicêntrico, não randomizado, envolvendo 245 pacientes com indicação cirúrgica para a extirpação da veia safena (safenectomia) foram divididos em dois grupos, grupo tratado com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) na dose diária de 1000mg no período pré e pós operatório de safenectomia e grupo controle (pacientes não tratados com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento)).

    1. Eficácia no alívio da dor pélvica crônica associada à Síndrome de Congestão Pélvica
    2. Revisão de estudos clínicos (estudo clínico duplo-cego, randomizado e cruzado, envolvendo 10 mulheres com diagnóstico de Síndrome Pélvica Congestiva e estudo clínico envolvendo 20 mulheres com diagnóstico de Síndrome Pélvica Congestiva) demostrou que pacientes tratadas com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) na dose diária de 1000mg apresentaram melhora na frequência e gravidade da dor pélvica, a partir do segundo mês de tratamento com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) quando comparadas com pacientes tratadas com placebo (vitaminas).
    3. Eficácia no alívio dos sinais e sintomas pós-operatórios de hemorroidectomia

    Estudo clínico prospectivo e randomizado, envolvendo 112 pacientes enquadrados no terceiro ou quarto estágio de sintomas provenientes da patologia de hemorroidas e com indicação cirúrgica para a retirada da veia hemorroidal, foram randomizados em dois grupos (grupo tratamento e grupo controle).

    De acordo com os resultados obtidos, os pacientes tratados com o medicamento Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) 500 mg (diosmina + hesperidina micronizada), apresentaram uma redução significativa no sintoma da dor pós-operatória do que os pacientes do grupo controle que não foram tratados com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) 500 mg.

    Além disso, pode-se ainda observar um menor consumo de analgésicos e um menor período de hospitalização no grupo tratado com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) 500 mg (diosmina + hesperidina micronizada) conforme os resultados descritos no estudo.

    • Estudo clínico cego e randomizado, foi realizado envolvendo 86 pacientes com indicação para procedimento cirúrgico devido ao critério de inclusão
    • Estágio III e IV do quadro patológico de hemorroidas. Os pacientes envolvidos no estudo foram randomizados em dois grupos (grupo tratamento e grupo controle) e os resultados obtidos demostraram que os pacientes tratados com o medicamento Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) 500 mg (diosmina + hesperidina micronizada) apresentaram diminuição estatisticamente significativa dos seguintes sintomas: dor, sangramento, peso e prurido após a realização da cirurgia do que no grupo controle de pacientes que
    • não
    • foram tratados com Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) 500 mg.
    • Dados de Segurança Pré-Clínicos
    • Dados pré-clínicos de estudos toxicológicos convencionais de toxicidade de dose repetida, função genotóxica e função reprodutiva não revelaram qualquer risco particular para humanos.

    A administração oral aguda em camundongos, ratos e macacos de uma dose 180 vezes maior que a dose terapêutica em humanos não teve nenhum efeito tóxico ou letal e não causou nenhuma anormalidade comportamental, biológica, anatômica ou histológica. Estudos em ratos e coelhos não demonstraram nenhum efeito embriotóxico ou teratogênico.

    1. Características farmacológicas
    2. Propriedades Farmacodinâmicas
    3. Venotônico e vasculoprotetor.
    4. Farmacologia
    5. Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) exerce uma ação sobre o sistema vascular de retorno da seguinte maneira:
    • Nas veias, diminui a distensibilidade venosa e reduz a estase venosa;
    • Na microcirculação, normaliza a permeabilidade capilar e reforça a resistência capilar;
    • Ao nível linfático: aumento da drenagem linfática por diminuir a pressão intra-linfática e aumentar o número de linfáticos funcionais, promovendo uma maior eliminação do líquido intersticial.

    Efeitos Farmacodinâmicos Relação dose-efeito A relação dose-efeito estatisticamente significativa foi comprovada para os seguintes parâmetros pletismográficos venosos: capacidade venosa, distensibilidade venosa e tempo de esvaziamento venoso. A faixa de dose-feito ideal é obtida com a dose diária de 1000mg de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) na forma de comprimidos revestidos (Amiel, 1987).

    • Tempo para atividade
    • O tempo para início da ação é de 2 horas após uma administração única de 1000mg de Diosmina + Hesperidina (substância ativa deste medicamento) comprimidos com significante diminuição (plt;0,001) para distensibilidade venosa e tempo de esvaziamento venoso quando comparado ao placebo (Amiel, 1985).
    • Propriedades Farmacocinéticas
    • Em humanos, após administração oral da substância que contém 14C diosmina, verifica-se:
    • Rápida absorção pela mucosa digestiva;
    • Meia-vida de eliminação de 11 horas com excreção essencialmente fecal (80%) e urinária de aproximadamente 14%;
    • Forte metabolização que é evidenciada pela presença de diferentes fenóis ácidos na urina.

    Cuidados de Armazenamento do Flavonid Conservar em temperatura ambiente (entre 15 e 30°C). Proteger da luz e umidade. Número do lote e datas de fabricação e validade: vide embalagem. Não use medicamento com o prazo de validade vencido. Guarde-o em sua embalagem original.

    • Características físicas Flavonid é apresentado na forma de comprimido oblongo, revestido e alaranjado.
    • Antes de usar, observe o aspecto do medicamento.
    • Caso ele esteja no prazo de validade e você observe alguma mudança no aspecto, consulte o farmacêutico para saber se poderá utilizá-lo.
    • Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
    You might be interested:  App Que Paga Por Cadastro Na Hora Via Pix 2022?

    Dizeres Legais do Flavonid Registro M.S. n° 1.5584.0254. Farm. Responsável: Dr. Marco Aurélio Limirio G. FilhoCRF-GO n° 3.524 Registrado por: Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A.VPR 3 – Quadra 2-C – Módulo 01-B – DAIAAnápolis – GOCEP 75132-015C.N.P.J.: 05.161.069/0001-10

    1. Indústria Brasileira.
    2. Fabricado por:

    Brainfarma Indústria Química e Farmacêutica S.A.VPR 1 – Quadra 2-A – Módulo 4 – DAIAAnápolis – GO

    • CEP 75132-020.
    • Venda sob prescrição médica.​

    : Bula do Flavonid

    Qual é a contra indicação do Flavonid?

    CONTRAINDICAÇÕES É CONTRAINDICADO PARA PACIENTES COM HIPERSENSIBILIDADE A QUAISQUER COMPONENTES DA FÓRMULA. PRECAUÇÕES Não se dispõe, até o momento, de dados sobre o uso de Flavonid em portadores de insuficiência hepática ou renal.

    Como tomar Flavonid para dor nas pernas?

    Na dor pélvica crônica, a posologia usual é: – 2 comprimidos revestidos ao dia. Os comprimidos revestidos devem ser administrados por pelo menos 4 a 6 meses ou de acordo com a prescrição médica. Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

    Não interrompa o tratamento sem o conhecimento do seu médico. Este medicamento não deve ser partido, aberto ou mastigado. O que eu devo fazer quando esquecer de usar o Flavonid? Caso você esqueça de tomar Flavonid ® no horário receitado pelo seu médico, tome-o assim que se lembrar. Porém se já estiver próximo ao horário de tomar a dose seguinte, pule a dose esquecida e tome à próxima, continuando normalmente o esquema de doses receitado pelo seu médico.

    Neste caso, não tome o medicamento duas vezes para compensar a dose esquecida. O esquecimento da dose pode, entretanto, comprometer a eficácia do tratamento. Em caso de dúvidas, procure orientação do farmacêutico ou de seu médico, ou cirurgião-dentista.

    Quais cuidados devo ter ao usar o Flavonid? Nenhum efeito teratogênico foi demonstrado em vários estudos e nenhum evento adverso foi reportado em humanos. Um estudo aberto com produto contendo a associação diosmina + hesperidina, realizado com 50 mulheres com gestação entre 8 semanas antes do parto e até após 4 semanas do parto sofrendo de crise hemorroidária, registrou alívio dos sintomas agudos a partir do 4º dia de tratamento.

    O tratamento foi bem aceito e não afetou a gravidez, o desenvolvimento fetal, o peso do neonato, seu crescimento e amamentação materna. Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica ou do cirurgião-dentista.

    Qual o melhor horário de tomar o remédio Flavonid?

    PLASIL 10 mg: 1 comprimido, 3 vezes ao dia, via oral, 10 minutos antes das refeições. Não há estudos dos efeitos de PLASIL administrado por vias não recomendadas. Portanto, por segurança e para garantir a eficácia deste medicamento, a administração deve ser somente por via oral.

    Como devo tomar Flavonid para hemorroidas?

    Na crise hemorroidária aguda, a posologia usual é: – 6 comprimidos revestidos ao dia durante os quatro primeiros dias e, em seguida, 4 comprimidos revestidos ao dia durante três dias. E após este período, 2 comprimidos revestidos ao dia por pelo menos 3 meses ou de acordo com a prescrição médica.

    Quantos dias devo tomar o Flavonid?

    Na dor pélvica crônica, a posologia usual é: – 2 comprimidos revestidos ao dia. Os comprimidos revestidos devem ser administrados por pelo menos 4 a 6 meses ou de acordo com a prescrição médica. Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

    O que é uma insuficiência venosa?

    Recursos do assunto A insuficiência venosa crônica se caracteriza por uma lesão nas veias da perna que não permite que o sangue flua normalmente. A síndrome pós-flebite é uma insuficiência venosa crônica decorrente de um coágulo de sangue nas veias.

    A insuficiência venosa crônica pode provocar desconforto e inchaço nas pernas e erupção, descoloração e/ou úlceras na pele. Os médicos usam ultrassonografia duplex para estabelecer o diagnóstico. Manter a perna elevada, usar meias de compressão e tratar cuidadosamente qualquer ferimento são medidas necessárias para o tratamento.

    As artérias transportam o sangue com oxigênio e nutrientes do coração para o resto do corpo. As veias levam o sangue do resto do corpo de volta para o coração. O sangue retorna das pernas por meio de veias superficiais e profundas. A contração dos músculos da perna empurra o sangue pelas veias profundas Veias profundas das pernas As válvulas das veias mantêm o sangue fluindo para cima no sentido do coração e impedem que o sangue flua no sentido retrogrado. A insuficiência venosa crônica ocorre quando algo dilata as veias da perna e/ou danifica as válvulas nas veias. Essas alterações reduzem o fluxo sanguíneo nas veias e aumentam a pressão dentro delas.

    O que o diosmin faz no organismo?

    Diosmin, para o que é indicado e para o que serve? Diosmin é indicado no tratamento sintomático das varizes e de outros sintomas relacionados à Insuficiência Venosa Crônica como dor nas pernas, sensação de queimação, inchaços, etc. Diosmin é indicado no tratamento dos sintomas relacionados à insuficiência venosa do plexo hemorroidário (hemorroidas) como dor, inchaço local, sensação de queimação, sangramento.

    Quais os efeitos colaterais da Flavonid?

    Reações raras (ocorre entre 0,01% e 0,1% dos pacientes que utilizam este medicamento) –

    Tontura, dor de cabeça, mal-estar, rash cutâneo (erupções avermelhadas), prurido (coceira) e urticária (erupção cutânea).

    Pode tomar Flavonid uso contínuo?

    Na dor pélvica crônica, a posologia usual é: – 2 comprimidos revestidos ao dia. Os comprimidos revestidos devem ser administrados por pelo menos 4 a 6 meses ou de acordo com a prescrição médica. Siga a orientação de seu médico, respeitando sempre os horários, as doses e a duração do tratamento.

    Pode tomar Flavonid à noite?

    Até o momento não foram relatadas alterações em exames clínicos e laboratoriais. Porém, recomenda-se informar ao laboratório clínico o uso de Flavonid. A posologia usual é de 2 (dois) comprimidos revestidos ao dia: 1 (um) pela manhã e 1 (um) à noite, de preferência durante às refeições.

    Quem toma Flavonid pode tomar vinho?

    Não foram relatadas até a presente data, restrições do uso de Flavonid concomitantemente a bebidas alcoólicas ou alimentos.

    Qual é o genérico do medicamento Flavonid?

    Venovaz 450mg + 50mg, caixa com 500 comprimidos revestidos (embalagem hospitalar)

    Quem tem pressão alta pode tomar diosmin?

    Diosmina 450mg Hesperidina 50mg – Ativador da Circulação Sanguínea Para que serve Diosmina 450mg? Diosmina 450mg é utilizada no tratamento dos distúrbios venosos e da circulação periférica de retorno. É um antivaricoso sistêmico e vasoprotetor que ativa a circulação sanguínea por aumentar a norepinefrina e a elasticidade das veias, ajudando a melhorar o fluxo de sangue.

    1. Reduz a impermeabilidade e reforça a resistência dos vasos capilares, o que resulta na redução do edema (inchaço) de origem venosa.
    2. Age basicamente de três formas na circulação de retorno: prolonga a atividade da norepinefrina parenteral das veias, aumentando o tônus venoso e reduzindo a venostase; na microcirculação, reduz a impermeabilidade capilar e reduz a fibrinólise; nos vasos linfáticos, aumenta a frequência e a intensidade das contrações.

    A Diosmina costuma ser utilizada em associação com a Hesperidina, outro flavonoide, que reforça a ação da Diosmina. Portanto, é indicada para todas as manifestações de doença venosa dos membros inferiores, incluindo hemorroidas e crises hemorroidárias, estados hemorrágicos ligados à fragilidade capilar (petéquias) e hemorragias ginecológicas.

    • Composição
    • Diosmina 450mg, Hesperidina 50mg.
    • Indicações
    • • Insuficiência venosa crônica;
    • • Vasculopatias, capilaropatias;
    • • Impermeabilidade capilar;
    • • Também usada em processos inflamatórios, hemorroidas, edemas estáticos e traumáticos, flebites e tromboflebites e na profilaxia de tromboses pré e pós-operatórias.
    • Como tomar Diosmina?

    Tomar 1 cápsula de 12/12 horas por 30 dias. Após o período, tomar 1 cápsula ao dia. Orientações Gerais • Toda a fórmula merece um cuidado especial em relação ao uso. Evite a automedicação. • Nunca compre medicamento sem orientação de um profissional habilitado.

    • Pessoas com insensibilidade à(s) substância(s) contida(s) no produto não devem ingeri-lo. Confira sempre se você possui alergia a algum componente da fórmula. • Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar um médico. • Não use medicamento com prazo de validade vencido.

    • Manter em temperatura ambiente (15 °C a 30 °C). Proteger da luz, do calor e da umidade. Nestas condições, o medicamento se manterá próprio para o consumo, uma vez respeitado o prazo de validade indicado na embalagem.

    1. • Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
    2. • Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.
    3. • Este medicamento não deve ser utilizado durante o período de amamentação sem orientação médica.
    4. • Medicamentos em cápsulas não podem ser partidos ou mastigados.
    5. • Este medicamento não pode ser utilizado por indivíduos hiperglicêmicos sem orientação médica.
    6. • Este medicamento não pode ser utilizado por indivíduos hipertensos sem orientação médica.
    7. “Se persistirem os sintomas, um médico deverá ser consultado”.

    • Segundo as normas da ANVISA, os produtos da categoria manipulados devem ser produzidos de acordo com o pedido do comprador. Eles somente serão manipulados após aprovação do farmacêutico.

    • • Não consuma bebidas alcoólicas enquanto estiver em tratamento medicamentoso.
    • • Caso já faça uso de outro medicamento ou suplemento, informe o profissional de saúde responsável antes de ingerir o produto manipulado.
    • Referências

    As referências bibliográficas encontram-se em nosso departamento técnico farmacêutico e são baseadas nas literaturas e nos materiais de nossos fornecedores. Qualquer dúvida, com um de nossos farmacêuticos. “A linha de produtos Danielli é rigorosamente analisada para garantir procedência, qualidade e segurança aos nossos clientes.” : Diosmina 450mg Hesperidina 50mg – Ativador da Circulação Sanguínea

    Quantas vezes tomar Flavonid?

    Até o momento não foram relatadas alterações em exames clínicos e laboratoriais. Porém, recomenda-se informar ao laboratório clínico o uso de Flavonid. A posologia usual é de 2 (dois) comprimidos revestidos ao dia: 1 (um) pela manhã e 1 (um) à noite, de preferência durante às refeições.

    You might be interested:  O Que É Administração?

    O que é o remédio profenid?

    PROFENID IV é um medicamento anti-inflamatório, analgésico e antitérmico, sendo indicado no tratamento de inflamações e dores decorrentes de processos reumáticos e traumatismos, e de dores em geral. Desta forma, PROFENID IV pode ser utilizado no tratamento da dor no pré e pós-operatório e outras patologias dolorosas.

    Qual é o melhor remédio para hemorroida inflamada?

    7 formas de aliviar a dor da hemorroida A hemorroida trata-se de uma doença que causa dor e desconforto durante ou após a evacuação, assim como outros sintomas como coceira anal, sangramentos e até formação de nódulos endurecidos na região próxima ao ânus.

    • Diarreia crônica;
    • Obesidade;
    • Demorar para evacuar mesmo quando sente vontade;
    • Ficar muito tempo sentado no vaso sanitário;
    • Fazer esforço excessivo;
    • Gravidez;
    • Baixa ingestão de fibras;
    • Trabalhar de pé;
    • Idade avançada;
    • Alimentação rica em pimenta ou demais condimentos.
    • No entanto, existem algumas medidas caseiras que podem ajudar a amenizar tal desconforto, além de tratar a inflamação de forma mais rápida, principalmente em casos onde a pessoa não pode tomar nenhum tipo de remédio, como acontece durante a gestação.
    • Alguns dos cuidados para tratar as hemorroidas mais rápido incluem:
    • Manter uma dieta rica em fibras

    Para quem sofre com hemorróidas, recomenda-se aumentar o consumo de alimentos que sejam ricos em fibras, como o arroz integral, a linhaça, pão com cereais e gérmen de trigo. Esses alimentos conseguem tornar as fezes mais moles, o que acaba facilitando o funcionamento do intestino e, consequentemente, diminui as dores na hora de ir ao banheiro.

    1. Beber 2 litros de água por dia
    2. Seguindo nesse mesmo raciocínio, a ingestão de água também é altamente recomendada uma vez que ajuda a manter as fezes hidratadas, o que acaba facilitando em sua eliminação, reduzindo a dor no momento de defecar e facilitando a cicatrização da hemorroida.
    3. Recomenda-se a ingestão de 1,5 a 2 litros de água diariamente.
    4. Não segurar a vontade de evacuar
    5. Quando uma pessoa segura a vontade de ir ao banheiro por muito tempo, o intestino acaba absorvendo a água que está contida nas fezes, ou seja, assim que essa pessoa finalmente for ao banheiro, as fezes vão estar desidratadas e assim, haverá aumento de pressão sobre a hemorroida, o que, por consequência, vai resultar no aumento da dor.
    6. Evitar o uso de papel higiênico

    Por se tratar de uma região bastante sujeita à contaminações, a região anal carece de um grande cuidado no que diz respeito à higiene. Mesmo sendo uma das principais formas para se fazer a limpeza após a utilização do banheiro, o papel higiênico pode não ser a melhor escolha para pessoas que sofrem com hemorróidas.

    • O indicado é a utilização de outros recursos como a ducha, água com sabonete ou, então, lenços umedecidos, por exemplo.
    • Praticar exercícios regularmente
    • A prática regular de exercícios físicos como natação ou caminhadas, aumenta a mobilidade do intestino, o que também colabora para que as fezes sejam eliminadas com mais facilidade e menos dor.

    Pessoas que trabalham sentadas também devem reservar alguns minutos do dia para levantar e caminhar. Isso porque passam muito tempo com o peso do corpo sobre o quadril, o que faz com que a circulação do sangue na região anal seja prejudicada, intensificando os riscos de dilatação das veias locais.

    Fazer o uso de pomadas específicas para o tratamento de hemorróidas Existem pomadas que possuem propriedades analgésicas, secativas, vasoconstritoras e anti-inflamatórias que são muito utilizadas no tratamento das hemorroidas como, por exemplo, a Hemovirtus, Ultraproct ou Proctyl. Nesse ponto vale salientar que tais pomadas devem ser recomendadas pelo seu médico e devem ser aplicadas diretamente sobre a hemorroida, a partir de uma massagem suave, de 2 a 3 vezes por dia, enquanto durar o tratamento.

    Fazer banhos de assento Dentre todas as alternativas apresentadas até aqui, o banho de assento é um dos principais e mais indicado tratamento natural para hemorroidas. Ele pode ser feito com água morna de 3 a 4 vezes por dia, uma vez que a água morna tem o poder de aliviar a dor e o desconforto.

    1. Sinais de melhora
    2. Os principais sinais de melhora das hemorroidas incluem o alívio do desconforto e da dor, especialmente durante a ida ao banheiro, o desaparecimento de sangue na evacuação ou após a limpeza da região anal e o desaparecimento dos papos na região, em casos de hemorroidas externas.
    3. Sinais de piora
    4. Dentre os sinais de piora das hemorroidas podemos destacar o aumento da dor e do desconforto ao evacuar ou sentar, o aumento do volume dos papos na região anal, além do aumento de sangue no papel higiênico e nas fezes.

    Mesmo podendo contar com todos os tratamentos alternativos citados, lembre-se que é necessário fazer uma investigação adequada. Por isso, evite se autodiagnosticar. Ao perceber os sintomas, procure um médico especializado para averiguar seu caso o quanto antes.

    • Conte com a orientação de um médico especializado no assunto
    • Com experiência de mais de 30 anos na área e diversos cursos de atualização, estou pronto para atendê-lo com toda excelência e segurança.
    • Agende um horário!
    • Médico Coloproctologista – Dr Paulo Klein

    : 7 formas de aliviar a dor da hemorroida

    Pode tomar Flavonid e tomar cerveja?

    Não foram relatadas até a presente data, restrições do uso de Flavonid concomitantemente a bebidas alcoólicas ou alimentos. REAÇÕES ADVERSAS Alguns casos de alterações digestivas leves e de alterações neurovegetativas foram observados, nunca obrigando a interrupção do tratamento.

    Pode tomar 2 comprimidos de Flavonid?

    Porém, recomenda-se informar ao laboratório clínico o uso de Flavonid. A posologia usual é de 2 (dois) comprimidos revestidos ao dia : 1 (um) pela manhã e 1 (um) à noite, de preferência durante às refeições.

    Precisa de receita para comprar Flavonid?

    Vendido e entregue por Drogasil

    Neo Química30 Comprimidos RevestidosDIOSMINA,HESPERIDINA

    FLAVONID É UM MEDICAMENTO. SEU USO PODE TRAZER RISCOS. PROCURE UM MÉDICO OU UM FARMACÊUTICO. LEIA A BULA. MEDICAMENTOS PODEM CAUSAR EFEITOS INDESEJADOS. EVITE A AUTOMEDICAÇÃO: INFORME-SE COM O FARMACÊUTICO. Venda sob prescrição médica.

    Quem tem pressão alta pode tomar diosmin?

    Diosmina 450mg Hesperidina 50mg – Ativador da Circulação Sanguínea Para que serve Diosmina 450mg? Diosmina 450mg é utilizada no tratamento dos distúrbios venosos e da circulação periférica de retorno. É um antivaricoso sistêmico e vasoprotetor que ativa a circulação sanguínea por aumentar a norepinefrina e a elasticidade das veias, ajudando a melhorar o fluxo de sangue.

    • Reduz a impermeabilidade e reforça a resistência dos vasos capilares, o que resulta na redução do edema (inchaço) de origem venosa.
    • Age basicamente de três formas na circulação de retorno: prolonga a atividade da norepinefrina parenteral das veias, aumentando o tônus venoso e reduzindo a venostase; na microcirculação, reduz a impermeabilidade capilar e reduz a fibrinólise; nos vasos linfáticos, aumenta a frequência e a intensidade das contrações.

    A Diosmina costuma ser utilizada em associação com a Hesperidina, outro flavonoide, que reforça a ação da Diosmina. Portanto, é indicada para todas as manifestações de doença venosa dos membros inferiores, incluindo hemorroidas e crises hemorroidárias, estados hemorrágicos ligados à fragilidade capilar (petéquias) e hemorragias ginecológicas.

    • Composição
    • Diosmina 450mg, Hesperidina 50mg.
    • Indicações
    • • Insuficiência venosa crônica;
    • • Vasculopatias, capilaropatias;
    • • Impermeabilidade capilar;
    • • Também usada em processos inflamatórios, hemorroidas, edemas estáticos e traumáticos, flebites e tromboflebites e na profilaxia de tromboses pré e pós-operatórias.
    • Como tomar Diosmina?

    Tomar 1 cápsula de 12/12 horas por 30 dias. Após o período, tomar 1 cápsula ao dia. Orientações Gerais • Toda a fórmula merece um cuidado especial em relação ao uso. Evite a automedicação. • Nunca compre medicamento sem orientação de um profissional habilitado.

    • Pessoas com insensibilidade à(s) substância(s) contida(s) no produto não devem ingeri-lo. Confira sempre se você possui alergia a algum componente da fórmula. • Em caso de hipersensibilidade ao produto, recomenda-se descontinuar o uso e consultar um médico. • Não use medicamento com prazo de validade vencido.

    • Manter em temperatura ambiente (15 °C a 30 °C). Proteger da luz, do calor e da umidade. Nestas condições, o medicamento se manterá próprio para o consumo, uma vez respeitado o prazo de validade indicado na embalagem.

    1. • Todo medicamento deve ser mantido fora do alcance das crianças.
    2. • Este medicamento não deve ser utilizado por mulheres grávidas sem orientação médica.
    3. • Este medicamento não deve ser utilizado durante o período de amamentação sem orientação médica.
    4. • Medicamentos em cápsulas não podem ser partidos ou mastigados.
    5. • Este medicamento não pode ser utilizado por indivíduos hiperglicêmicos sem orientação médica.
    6. • Este medicamento não pode ser utilizado por indivíduos hipertensos sem orientação médica.
    7. “Se persistirem os sintomas, um médico deverá ser consultado”.

    • Segundo as normas da ANVISA, os produtos da categoria manipulados devem ser produzidos de acordo com o pedido do comprador. Eles somente serão manipulados após aprovação do farmacêutico.

    • • Não consuma bebidas alcoólicas enquanto estiver em tratamento medicamentoso.
    • • Caso já faça uso de outro medicamento ou suplemento, informe o profissional de saúde responsável antes de ingerir o produto manipulado.
    • Referências

    As referências bibliográficas encontram-se em nosso departamento técnico farmacêutico e são baseadas nas literaturas e nos materiais de nossos fornecedores. Qualquer dúvida, com um de nossos farmacêuticos. “A linha de produtos Danielli é rigorosamente analisada para garantir procedência, qualidade e segurança aos nossos clientes.” : Diosmina 450mg Hesperidina 50mg – Ativador da Circulação Sanguínea

    Para que serve Diosmina hesperidina 450 mg 50 mg?

    Diosmin é indicado no tratamento sintomático das varizes e de outros sintomas relacionados à Insuficiência Venosa Crônica como dor nas pernas, sensação de queimação, inchaços, etc.

    O que é hesperidina e para que serve?

    Tratamento das manifestações da insuficiência venosa crônica, funcional e orgânica, dos membros inferiores; Tratamento dos sintomas funcionais relacionados à insuficiência venosa do plexo hemorroidário; Alívio dos sinais e sintomas pré e pós-operatórios de safenectomia; Alívio dos sinais e sintomas pós-operatórios de hemorroidectomia; Alívio da dor pélvica crônica associada à Síndrome da Congestão Pélvica.

    O conteúdo desta bula foi extraído manualmente da bula original, sob supervisão técnica da farmacêutica responsável: Rafaela Sarturi Sitiniki (CRF-PR 37364). Consulte a bula original. Última atualização: 17 de Novembro de 2020