Colposcopia O Que É? - CLT Livre

Colposcopia O Que É?

Colposcopia O Que É

O que o exame de colposcopia detecta?

O que é e para que serve a colposcopia? – É um exame ginecológico realizado no consultório ou em laboratórios por ginecologistas. Seu objetivo é analisar de forma detalhada o colo do útero, a vagina e a vulva da mulher, e, assim, investigar lesões benignas (inflamação), pré-malignas (que antecedem o câncer) e malignas (câncer).

Como é feito o exame de colposcopia?

Como é feito o exame de colposcopia? – O exame é semelhante a uma consulta ginecológica convencional, onde a paciente se deita com as pernas afastadas e o médico responsável introduz um espéculo vaginal (aparelho utilizado para manter a vagina aberta durante o exame) e posiciona o colposcópio a cerca de 30cm de distância.

Quando a colposcopia da Positivo?

6- O que é iodo positivo na colposcopia? – Teste de Schiller positivo/Iodo negativo significa que existe alguma alteração ou lesão no colo do útero ou na vagina. Já o teste de Schiller negativo/Iodo positivo significa que não há alteração no colo do útero ou na vagina.

Qual a diferença do exame Papanicolau e colposcopia?

Outros exames – Existem outros exames que complementam o estudo ginecológico mas que não são consideradas alternativas à colposcopia. A colposcopia é o único exame que permite a avaliação detalhada do colo do útero e que permite a biópsia dirigida de áreas suspeitas.

  • A citologia do colo do útero ( Papanicolau ) deve ser realizada antes da colposcopia, uma vez que este é o único exame implementado como rastreio do cancro do colo do útero.
  • A vulvoscopia é o exame que avalia a vulva de forma ampliada, à semelhança do que é feito no colo do útero.
  • Este tipo de exame pode ser realizado para complementar a colposcopia, uma vez que algumas lesões presentes no colo do útero podem ser coexistentes com lesões na vulva, ou sempre que existe alguma lesão suspeita à vista desarmada.

A histeroscopia é o exame que permite a visualização e avaliação da cavidade uterina (interior do útero), estando indicada a sua realização em determinadas alterações citológicas específicas, uma vez que as alterações podem ser provenientes das células endometriais (células do interior do útero).

Por que o médico pede o exame colposcopia?

O que é e para que serve a colposcopia? – É um exame ginecológico realizado no consultório ou em laboratórios por ginecologistas. Seu objetivo é analisar de forma detalhada o colo do útero, a vagina e a vulva da mulher, e, assim, investigar lesões benignas (inflamação), pré-malignas (que antecedem o câncer) e malignas (câncer).

Porque pedem colposcopia?

Geralmente, o médico indica este exame quando o paciente apresenta alguma sintoma relacionado ao intestino, caso de uma alteração no hábito intestinal, presença de sangue nas fezes ou dor abdominal. Uma outra indicação é para a prevenção do câncer de intestino, mesmo para pessoas sem sintomas.

Quanto tempo demora para sair o resultado da colposcopia?

Quanto tempo dura a colposcopia e o que acontece depois? – O exame em si, sem contar a entrevista com o médico examinador, leva cerca de 10 minutos. Caso seja feita uma biópsia, pode levar mais alguns minutos. No total, entre entrevista, troca de roupa e exame, você vai perder cerca de 30 minutos.Durante e após o exame, o médico lhe falará sobre o que viu e o que foi feito.

  1. Caso você tenha feito uma biópsia, poderá ter um pequeno sangramento, “aguado” ou mais escuro.
  2. Não se preocupe, isto para em alguns dias.
  3. Você também deverá evitar as relações sexuais com penetração vaginal por cerca de 7 dias.
  4. Você poderá deixar a clínica desacompanhada e ir trabalhar ou passear, se quiser.

Em cerca de 10 a 15 dias teremos o resultado do exame do fragmento biopsiado e poderemos concluir seu diagnóstico. É então confeccionado um laudo completo com descrição dos aspectos, dos procedimentos executados e resultados de exames, conclusão diagnóstica e recomendações de conduta para seu médico assistente.

Junto a esta parte seguem diagramas e/ou fotografias coloridas. Este laudo será enviado por e-mail para você e seu médico assistente (caso você nos informe), mas também pode ser buscado na clínica. Caso não sejam realizados procedimentos além da colposcopia, o laudo é impresso e liberado em seguida ao exame.

(atualizado em 09/12/2021) : Cervical – Quanto tempo dura a colposcopia e o que acontece depois?

Quanto tempo demora para fazer uma colposcopia?

Quanto tempo dura a colposcopia e o que acontece depois? – O exame em si, sem contar a entrevista com o médico examinador, leva cerca de 10 minutos. Caso seja feita uma biópsia, pode levar mais alguns minutos. No total, entre entrevista, troca de roupa e exame, você vai perder cerca de 30 minutos.Durante e após o exame, o médico lhe falará sobre o que viu e o que foi feito.

  • Caso você tenha feito uma biópsia, poderá ter um pequeno sangramento, “aguado” ou mais escuro.
  • Não se preocupe, isto para em alguns dias.
  • Você também deverá evitar as relações sexuais com penetração vaginal por cerca de 7 dias.
  • Você poderá deixar a clínica desacompanhada e ir trabalhar ou passear, se quiser.
You might be interested:  Por Que Nao Consigo Atualizar Meu Cadastro No Caixa Tem?

Em cerca de 10 a 15 dias teremos o resultado do exame do fragmento biopsiado e poderemos concluir seu diagnóstico. É então confeccionado um laudo completo com descrição dos aspectos, dos procedimentos executados e resultados de exames, conclusão diagnóstica e recomendações de conduta para seu médico assistente.

Junto a esta parte seguem diagramas e/ou fotografias coloridas. Este laudo será enviado por e-mail para você e seu médico assistente (caso você nos informe), mas também pode ser buscado na clínica. Caso não sejam realizados procedimentos além da colposcopia, o laudo é impresso e liberado em seguida ao exame.

(atualizado em 09/12/2021) : Cervical – Quanto tempo dura a colposcopia e o que acontece depois?

Tem que se depilar para fazer colposcopia?

Cuidados pré-procedimento – Primeiramente, é preciso que o médico seja informado sobre qualquer condição de saúde da paciente, medicamentos que esteja tomando e alergias que possa ter. Além disso, quando a colposcopia é indicada, deve-se realizar o agendamento preferencialmente para uma data em que a paciente não esteja menstruada, dado que é um exame de observação visual.

  1. Em casos de mulheres que estejam no climatério ou após a menopausa, é importante que seja feito preparo com estrogênio via vaginal por pelo menos 14 dias antes do exame, para evitar que a atrofia e o ressecamento da menopausa causem falsas alterações e atrapalhem a identificação de lesões reais.
  2. O mesmo é recomendado no caso de infecções genitais ou corrimento, como candidíase e vaginose bacteriana.

É importante que seja feito o tratamento antes da realização do exame. Outras recomendações que devem ser seguidas para garantir um resultado mais satisfatório são a de evitar ter relações sexuais 24 horas antes e a de não fazer ducha vaginal ou depilar a região genital nas 72 horas que antecedem o procedimento.

Quando a colposcopia indica câncer?

Home Sua Saúde Oncologia Câncer De Colo De Útero O câncer do colo do útero é o terceiro tipo de câncer mais comum em mulheres e a quarta causa de morte por câncer entre elas no Brasil. O principal fator de risco é a infecção pelo papilomavírus humano (HPV), que é transmitido sexualmente.

  1. Quando é descoberto na fase inicial, o câncer do colo do útero tem 100% de chances de cura.
  2. Veja quais as formas de prevenção e diagnóstico precoce do câncer do colo do útero e a quais sinais ficar atenta para procurar o médico.
  3. Como o câncer do colo do útero se desenvolve? O colo do útero é considerado uma área de transição, onde o tecido da vagina passa a ter as características necessárias para que o útero possa hospedar o feto enquanto ele se desenvolve.

Esta região é vulnerável a diversos agentes agressores, que podem provocar lesões com células anormais (chamadas de pré-cancerosas) e, ao longo do tempo, evoluir para o câncer do colo do útero. Geralmente, o câncer de colo do útero se desenvolve de forma lenta, seguindo alguns estágios de evolução.

Isso aumenta as chances de ser diagnosticado precocemente. Mas, quando demora para ser detectado e tratado, o câncer pode invadir o útero, a vagina e gânglios linfáticos, o que permite às células cancerosas entrarem na circulação sanguínea. Com isso, migram para partes distantes do corpo e o câncer pode afetar outras partes, dando origem a metástases.

Qual a incidência do câncer do colo do útero? De acordo com os dados de 2022 do Instituto Nacional de Câncer (INCA), as estimativas são de 17.010 novos casos de câncer do colo do útero ao ano, no Brasil. Quais as causas e fatores de risco para o câncer do colo do útero? A infecção pelo vírus HPV tem papel importante no desenvolvimento anormal das células do colo do útero e na sua possível transformação em células cancerosas.

Quase todos os casos de câncer de colo do útero estão relacionados ao HPV, especialmente os tipos 16 e 18, que correspondem a 70% dos casos da doença. No entanto, é importante alertar que a maioria das infecções pelo HPV não evoluem para o câncer, Estima-se que 80% das mulheres sexualmente ativas irão adquirir o vírus ao longo da vida e, na maior parte dos casos, essas infecções vão regredir espontaneamente entre seis meses a dois anos após a exposição.

As situações em que as lesões evoluem para o câncer dependem do subtipo do vírus e de alguns outros fatores de risco, tais como:

Atividade sexual com múltiplos parceiros; Infecção múltipla pelo HPV; Tabagismo; Infecção por clamídia e/ou HIV; Atividade sexual sem proteção.

O uso de preservativo nas relações sexuais é sempre aconselhável para prevenir infecções sexualmente transmissíveis, mas ele só protege parcialmente do contágio pelo HPV, que também pode ocorrer pelo contato com a pele da vulva, região perineal, perianal e bolsa escrotal.

You might be interested:  O Que É Atmosfera?

Meninas de 9 a 14 anos; Meninos de 11 a 14 anos;

Em 2021, mulheres imunossuprimidas até 45 anos também foram incluídas. Em 2022, ocorreu a ampliação da vacinação para meninos de 9 e 10 anos e para homens imunossuprimidos com até 45 anos. No sistema de saúde privado, também está disponível outra vacina, que protege contra nove tipos do vírus.

Esta última, é indicada, segundo a SBIm, para os seguintes grupos: Meninas e meninos de 9 a 14 anos – não vacinados ou já vacinados com uma ou duas doses da vacina disponível no SUS, que protege contra 4 tipos do vírus; Jovens e adultos de 15 a 45 anos – mulheres e homens não vacinados ou já vacinados com uma, duas ou três doses da vacina disponível no SUS.

Sinais e sintomas do câncer do colo do útero Por ser uma doença de desenvolvimento lento, a fase inicial do câncer do colo de útero não costuma apresentar sinais e sintomas, Em estágios mais avançados ou quando já acometeu outras regiões, a doença pode causar:

Sangramento vaginal anormal; Sangramento e dor após a relação sexual; Menstruação mais longa que o comum; Dor abdominal; Secreção vaginal anormal, acompanhada ou não de sangue.

Esses sinais e sintomas não são exclusivos do câncer do colo do útero, também podem acontecer devido a outros fatores. Mas, caso perceba algum deles, procure um ginecologista para ele identificar o motivo e indicar o melhor tratamento para o seu caso.

Como é feito o diagnóstico do câncer do colo do útero O diagnóstico das lesões pré-cancerosas e cancerosas é feito pelo exame de Papanicolau, que deve ser realizado em mulheres a partir dos 25 anos, com vida sexual ativa, como prevenção e rastreamento precoce de doenças; pela colposcopia – que permite a visualização do colo do útero e da vagina com lentes de aumento – e pela biópsia do tecido do colo do útero.

Quando o resultado das amostras de tecido colhidas no exame Papanicolau (citologia), que é feito para rastrear a doença, indicam a existência de alterações celulares que podem ser precursoras ou indicativas desse tipo de câncer, as diretrizes brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero recomendam os seguintes procedimentos iniciais: Presença de células escamosas atípicas de significado indeterminado possivelmente não cancerosas (ASC-US) – o exame citológico deve ser repetido em um período que varia conforme a idade da mulher.

  • Se tem menos de 25 anos, deve repetir em três anos.
  • Se tem entre 25 e 29 anos, deve repetir em 12 meses.
  • Mas, se tem 30 anos ou mais, deve repetir em seis meses.
  • Presença de células escamosas atípicas de significado indeterminado em que não é possível afastar lesão de alto grau (ASC-H) – a mulher deve ser encaminhada para colposcopia.

Presença de células glandulares atípicas de significado indeterminado (AGC) – a mulher deve ser encaminhada para colposcopia. Presença de células atípicas de origem indefinida (AOI) – deve ser encaminhada para colposcopia. Presença de lesão de baixo grau (LSIL) – se a mulher tiver menos que 25 anos, deve repetir a citologia em três anos.

Porém, se tiver 25 anos ou mais, deve repetir em seis meses. Presença de lesão de alto grau (HSIL) – podendo ou não ser excluida a microinvasão da HSIL no colo do útero, a mulher deve ser encaminhada para colposcopia. Presença de carcinova escamoso invasor ou adenocarcinoma in situ (AIS) ou invasor – deve ser encaminhada para colposcopia.

Dependendo do resultado do procedimento inicial recomendado para cada tipo de alteração identificada na citologia, outros exames podem ser indicados para o diagnóstico do câncer de colo do útero. Tratamento das lesões pré-cancerosas Geralmente, elas podem ser tratadas no nível ambulatorial com eletrocirurgia, que também é chamada de cirurgia por radiofrequência.

Cistoscopia, exame que visualiza o interior da bexiga; Tomografia; Ressonância magnética; Ultrassom; Raio X de tórax; Exames de sangue; Urografia, exame feito com contraste para verificar os rins, bexiga e ureteres; Retossigmoidoscopia, um exame que verifica o interior do reto, cólon e intestino grosso.

Tratamentos para o câncer de colo de útero O tipo de tratamento depende de fatores como estágio do câncer, extensão da doença e se a mulher deseja ter filhos ou não. As abordagens mais usadas são: Cirurgia – quando o tumor está restrito à região do colo do útero, a cirurgia leva à cura na maioria dos casos.

  • Às vezes, pode ser complementada com a radioterapia.
  • Em casos mais avançados, o médico vai avaliar se vai ser necessário remover útero, ovários e outros tecidos próximos.
  • Radioterapia – costuma ser usada para atingir a cura total quando o tumor ainda está localizado e pequeno.
  • Em tumores maiores, ajuda a controlar a doença e aliviar sintomas.

Braquiterapia – é uma forma de radioterapia em que materiais radioativos são implantados próximos do tumor. As doses de radiação são liberadas para atacar as células tumorais, tentando evitar que células sadias sejam afetadas. Quimioterapia – pode ser usada em alguns casos específicos isoladamente ou combinada com a radioterapia.

Câncer do colo do útero. Instituto Nacional de Câncer (INCA), 2023. Disponível em: https://www.gov.br/inca/pt-br/assuntos/cancer/tipos/colo-do-utero, Acesso em: 27/07/2023; HPV. Instituto Nacional de Câncer (INCA), 2023. Disponível em: https://www.gov.br/inca/pt-br/acesso-a-informacao/perguntas-frequentes/hpv, Acesso em: 27/07/2023. Calendário nacional de vacinação. Ministério da Saúde, 2022. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/saude-de-a-a-z/c/calendario-nacional-de-vacinacao/calendario-vacinal-2022/anexo-calendario-de-vacinacao-da-crianca_atualizado_-final-20-09-2022.pdf, Acesso em: 27/07/2023. LEVI, Mônica. Atualização das vacinas HPV em uso no Brasil: introdução da nonavalente (HPV9). Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIm), 2023. Disponível em: https://sbim.org.br/images/files/notas-tecnicas/nt-sbim-vacina-hpv9-230505.pdf, Acesso em: 27/07/2023. Diretrizes brasileiras para o rastreamento do câncer do colo do útero. Instituto Nacional de Câncer (INCA), 2016. Disponível em: https://www.inca.gov.br/sites/ufu.sti.inca.local/files//media/document//diretrizes_para_o_rastreamento_do_cancer_do_colo_do_utero_2016_corrigido.pdf, Acesso em: 27/07/2023. Treatment – Cervical cancer. NHS, 2021. Disponível em: https://www.nhs.uk/conditions/cervical-cancer/treatment/, Acesso em: 27/07/2023. Cervical Cancer Treatment. National Cancer Institute (NIH), 2015. Disponível em: https://www.cancer.gov/types/cervical/treatment, Acesso em: 27/07/2023. HPV and Pap Test Results: Next Steps after an Abnormal Cervical Cancer Screening Test. National Cancer Institute (NIH), 2023. Disponível em: https://www.cancer.gov/types/cervical/screening/abnormal-hpv-pap-test-results, Acesso em: 27/07/2023. Cervical Cancer Diagnosis. National Cancer Institute (NIH), 2023. Disponível em: https://www.cancer.gov/types/cervical/diagnosis, Acesso em: 27/07/2023, Terapia Alvo para Câncer de Colo do Útero. Oncoguia. Disponível em: http://www.oncoguia.org.br/conteudo/terapia-alvo-para-cancer-de-colo-do-utero/6720/285/, Acesso em: 27/07/2023.

You might be interested:  Por Que Os Zigurates Eram Importantes Para Os Mesopotâmicos?

Learn More

Quando o resultado da colposcopia e preocupante?

COMO SÃO OS RESULTADOS DE COLPOSCOPIA? – O resultado da colposcopia pode ser normal ou anormal. É normal quando não há presença de nenhuma área lesionada. O resultado pode ser anormal quando são encontradas células estranhas no colo do útero. O principal foco é observar as lesões causadas pelo HPV, essas células podem se tornar câncer, caso não sejam tratadas.

Como saber se deu câncer na colposcopia?

Se uma área anormal é encontrada no colo do útero será realizada uma biópsia, que consiste na remoção de uma pequena amostra de tecido da área de aparência anormal. A biópsia é a única maneira de se saber com certeza se uma área anormal é um pré-câncer, um câncer ou nada significativo.

Quais doenças detecta na colposcopia?

Doenças que a colposcopia detecta – Pela colposcopia é possível identificar lesões benignas, pré-malignas, que antecedem o câncer, e malignas. Dentre elas estão a inflamação do colo do útero, dor pélvica, pólipos benignos, sangramentos e verrugas genitais no colo do útero (geralmente causadas pelo vírus do HPV).

Como descobrir se está com HPV pela colposcopia?

8- Como identificar HPV no exame de colposcopia? – O papanicolau ou colposcopia não conseguem detectar a presença do vírus HPV ou o tipo de HPV.O que eles detectam são as lesões provocadas pelo vírus HPV, como as neoplasias intraepiteliais, verrugas (condilomas) e até mesmo o câncer. já e agende sua consulta. : Colposcopia: 08 principais dúvidas

Quando é necessário fazer biópsia na colposcopia?

Colposcopia com biópsia – A colposcopia é considerada normal se não houver nenhuma lesão ou alteração no colo do útero, na vagina ou na vulva. Nestes casos, e de acordo com o resultado prévio da citologia, pode não haver indicação para realizar mais nenhum tipo de exame (colposcopia sem biópsia).

O que fazer depois da colposcopia?

Cuidados pós Colposcopia – Após a colposcopia, a mulher pode apresentar algum sangramento devido à manipulação da área, principalmente se fizer biópsia. Também pode eliminar um líquido acastanhado em decorrência do Lugol. Assim, é recomendado que a paciente leve um absorvente para utilizar após o procedimento.

O que o exame de colposcopia detecta no homem?

Indicação – A avaliação médica pode ser realizada tanto em homens quanto em mulheres que apresentam lesões clínicas (verrugas características do HPV ou outros tipos de manchas suspeitas nos genitais).

O que quer dizer iodo positivo na colposcopia?

6- O que é iodo positivo na colposcopia? – Teste de Schiller positivo/Iodo negativo significa que existe alguma alteração ou lesão no colo do útero ou na vagina. Já o teste de Schiller negativo/Iodo positivo significa que não há alteração no colo do útero ou na vagina.

Como é o resultado de uma colonoscopia normal?

Resultados do exame – Na colonoscopia o resultado é mostrado ao vivo para o colonoscopista que é capaz de dizer imediatamente se existe ou não algum problema com o paciente. Ele avalia se há alguma alteração na cor e textura da mucosa do intestino, ou a presença de sangramentos, e alterações.

Quando é necessário fazer biópsia na colposcopia?

Colposcopia com biópsia – A colposcopia é considerada normal se não houver nenhuma lesão ou alteração no colo do útero, na vagina ou na vulva. Nestes casos, e de acordo com o resultado prévio da citologia, pode não haver indicação para realizar mais nenhum tipo de exame (colposcopia sem biópsia).

Como descobrir se está com HPV pela colposcopia?

8- Como identificar HPV no exame de colposcopia? – O papanicolau ou colposcopia não conseguem detectar a presença do vírus HPV ou o tipo de HPV.O que eles detectam são as lesões provocadas pelo vírus HPV, como as neoplasias intraepiteliais, verrugas (condilomas) e até mesmo o câncer. já e agende sua consulta. : Colposcopia: 08 principais dúvidas

Qual melhor exame para ver o útero?

O que é ultrassom ginecológico? – O ultrassom ginecológico é o exame responsável por avaliar útero e ovários, assim como a presença de outras estruturas como massas pélvicas, tumores, cistos e miomas na região. Essa categoria de exame é dividida em 3 tipos: ultrassom transvaginal, ultrassom pélvico e ultrassom para avaliação de endometriose.