Artigo Sobre Alimentação Saudavel Pdf? - CLT Livre

Artigo Sobre Alimentação Saudavel Pdf?

Artigo Sobre Alimentação Saudavel Pdf

Qual a importância da alimentação saudável?

Alimentação saudável e sustentável: uma revisão narrativa sobre desafios e perspectivas – Parte-se do princípio que um sistema alimentar insustentável não é capaz de produzir alimentos saudáveis para o consumo. A alimentação só pode ser considerada saudável se for também sustentável, devendo ultrapassar a perspectiva nutricional.

  1. Assim, realizou-se uma revisão narrativa de literatura acerca de sistemas alimentares saudáveis e sustentáveis, englobando aspectos de produção, processamento, comercialização e consumo, visando levantar seus desafios e perspectivas de consolidação.
  2. A alimentação saudável e sustentável deve estar relacionada à produção de alimentos que protejam a biodiversidade e promovam o consumo variado, resgatando alimentos, preparações e hábitos culturais tradicionais.

Deve ser acessível e disponível a todos, em quantidade e qualidade, baseada em alimentos produzidos e processados na região, por agricultores familiares, de maneira agroecológica, fundamentada na comercialização justa, aproximando a produção do consumo.

Além disso, deve ser isento de contaminantes físicos, biológicos ou químicos que causem malefícios a todos os envolvidos, de maneira aguda ou crônica. Palavras-chave Produção de alimentos; Comercialização de produtos; Indústria de processamento de alimentos; Comportamentos saudáveis As preocupações em relação à alimentação vêm se modificando com o passar do tempo.

O médico e nutrólogo argentino Pedro Escudero recomendou, em 1934, que uma alimentação saudável fosse aquela qualitativamente completa, quantitativamente suficiente, harmoniosa em sua composição e apropriada à sua finalidade e a quem se destina 1 1 Escudero P.

Alimentación. Buenos Aires: Hachette; 1934. Durante muito tempo, as preocupações em relação à alimentação estiveram centradas no elevado consumo de alimentos com alto teor de açúcar, sódio e gordura. As preocupações são pertinentes, já que o elevado consumo desses alimentos, aliado a fatores como sedentarismo e estresse, está relacionado à incidência de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), responsáveis por elevadas taxas de mortalidade da população nos últimos anos 2 2 World Health Organization (WHO).

Noncommunicable diseases progress monitor, 2015. Geneva: WHO; 2015. Considerando essas tendências, a Organização Mundial da Saúde (OMS) fez algumas recomendações por meio da Estratégia Global para Alimentação Saudável, Atividade Física e Saúde 3 3 World Health Organization (WHO).

  • Global Strategy on Diet, Physical Activity and Health.
  • Geneva: WHO; 2004.
  • Vale ressaltar que as recomendações de Escudero, que datam de 1934 e que foram ratificadas pela Estratégia Global, continuam sendo importantes para a qualidade nutricional dos alimentos consumidos, mas é inegável a necessidade de incorporar demandas relacionadas à produção e processamento de alimentos, que na época não se faziam necessárias.

As alterações no sistema alimentar são recentes, mas, apesar disso, vêm causando danos sociais, econômicos e ambientais de forma crescente. Sistema alimentar refere-se ao conjunto de processos que incluem agricultura, pecuária, produção, processamento, distribuição, abastecimento, comercialização, preparação e consumo de alimentos e bebidas 4 4 Sobal J, Kettel Khan L, Bisogni C.

  • A conceptual model of the food and nutrition system.
  • Soc Sci Med 1998; 47(7):853-863.
  • Na abordagem de sistemas alimentares é necessário considerar todos os determinantes do consumo alimentar a partir das relações estabelecidas entre os diferentes agentes participantes da cadeia: produtores, distribuidores e consumidores 5 5 Oliveira SP, Thébaud-Mony A.

Estudo do consumo alimentar: em busca de uma abordagem multidisciplinar. Rev Saude Publica 1997; 31(2):201-208. A alimentação contemporânea tornou-se insustentável 6 6 Auestad N, Fulgoni VL, III. What current literature tells us about sustainable diets: Emerging research linking dietary patterns, environmental sustainability, and economics.

  1. Advances in Nutrition 2015; 6(1):19-36.
  2. 7 7 Gliessman SR.
  3. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável.
  4. Porto Alegre: Ed. Univ.
  5. Federal do Rio Grande do Sul; 2001.
  6. Por ser composta por alimentos que utilizam muita energia para sua produção, que têm grande impacto ambiental e necessitam de vasta extensão de terra para sua produção, podendo exacerbar outros problemas relacionados à produção e ao suprimento de alimentos 7 7 Gliessman SR.

Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Ed. Univ. Federal do Rio Grande do Sul; 2001. Nesse sentido, recomendações para uma alimentação saudável precisam agregar a sustentabilidade como uma de suas principais dimensões.

  • Alimentos saudáveis devem ser relacionados a um sistema alimentar que seja economicamente viável, ambientalmente sustentável e socialmente justo, contemplados por uma alimentação sustentável.
  • O termo dieta ou alimentação sustentável não é recente, entretanto não apresenta uma definição utilizada amplamente.

Foi descrito a primeira vez em 1986 por Gussow e Clancy 8 8 Gussow JD, Clancy KL. Dietary guidelines for sustainability. J Nutr Educ 1986; 18(1):1-5. como uma dieta composta por alimentos que contribuíssem não somente para a saúde, mas também para a sustentabilidade de todo o sistema alimentar.

A complexidade da dieta sustentável foi demonstrada pela Organização das Nações Unidas para agricultura e alimentação (FAO) em 2010. Dietas sustentáveis são definidas como aquelas “com baixo impacto ambiental, que contribuem para a segurança alimentar e nutricional e à vida saudável para as gerações presentes e futuras.

You might be interested:  Declaração Que Não Reside Com O Pai?

Dietas sustentáveis devem proteger e respeitar a biodiversidade e os ecossistemas, culturalmente aceitável e acessível, economicamente justa e acessível; nutricionalmente adequada, segura e saudável; além de otimizar os recursos naturais e humanos” 9 9 Burlingame BA, Dernini S.

  1. Sustainable diets and biodiversity.
  2. In: Food and Agriculture Organization of the United Nations, editor.
  3. International Scientific Symposium Biodiversity and Sustainable Diets United against Hunger (2010: Rome, Italy).
  4. Rome: International Scientific Symposium Biodiversity and Sustainable Diets United against Hunger (2010: Rome, Italy); 2012.

Apesar da abrangência das dimensões da alimentação sustentável, as pesquisas têm dado enfoque no impacto ambiental, particularmente no clima, em termos de emissão de gases de efeito estufa 10 10 Nordic Council of Ministers. Nordic Nutrition Recommendations 2012: Integrating nutrition and physical activity.

  1. Copenhagen: Nordic Council of Ministers; 2014.
  2. Técnicas quantitativas de análise muito usadas, como análise do ciclo de vida 11 11 Calderón LA, Iglesias L, Laca A, Herrero M, Díaz M.
  3. The utility of Life Cycle Assessment in the ready meal food industry.
  4. Resour Conserv Recycl 2010; 54(12):1196-1207.12 Del Borghi A, Gallo M, Strazza C, Del Borghi M.

An evaluation of environmental sustainability in the food industry through Life Cycle Assessment: the case study of tomato products supply chain. J Clean Prod 2014; 78:121-130.13 Cerutti AK, Contu S, Ardente F, Donno D, Beccaro GL. Carbon footprint in green public procurement: Policy evaluation from a case study in the food sector.

  • Food Policy 2016; 58:82-93.
  • 14 14 Baldwin C, Wilberforce N, Kapur A.
  • Restaurant and food service life cycle assessment and development of a sustainability standard.
  • Int J Life Cycle Assess 2011; 16(1):40-49.
  • Possuem enfoque apenas ambiental, ignoram dessa forma, aspectos sociais e econômicos 15 15 Morgan K.

Greening the realm: sustainable food chains and the public plate. Regional Studies 2008; 42(9):1237-1250. Partindo dessa premissa, é possível ter uma dieta com baixa emissão de gases de efeito estufa, mas que não seja saudável, ao mesmo tempo em que se pode ter uma dieta saudável e com alta emissão de gases 16 16 Macdiarmid JI, Kyle J, Horgan GW, Loe J, Fyfe C, Johnstone A, McNeill G.

  • Sustainable diets for the future: can we contribute to reducing greenhouse gas emissions by eating a healthy diet? Am J Clin Nutr 2012; 96(3):632-639.
  • No entanto, em uma perspectiva ampliada, alimentos com um menor impacto ambiental não são necessariamente mais sustentáveis (em seu sentido amplo) do que outros, se esses outros causarem prejuízos à sociedade.

Por exemplo, a eficiência ambiental pode ser alcançada mediante produção em larga escala, mas quando realizada em pequena escala pode apoiar pequenos produtores e contribuir com o desenvolvimento local 17 17 Goggins G, Rau H. Beyond calorie counting: assessing the sustainability of food provided for public consumption.

J Clean Prod 2016; 112(1):257-266. Considerando que não é possível ter uma alimentação saudável sem que seja sustentável em todas as suas dimensões, e a carência dessa reflexão na área de alimentação e nutrição, pretende-se realizar um exercício reflexivo da literatura científica sobre os principais desafios e perspectivas da alimentação saudável e sustentável.

Trata-se de uma tentativa de aproximação e problematização da temática, considerando a necessidade de explorar os principais desafios para sua concretização.
Ver resposta completa

Quais são os riscos da alimentação saudável?

Page 8 – Manter uma alimentação saudável ao longo da vida evita não só a má nutrição em todas as suas formas, mas também uma gama de DCNT e outras condições de saúde. No entanto, o aumento da produção de alimentos processados, a rápida urbanização e a mudança de estilos de vida deram lugar a uma alteração nos padrões alimentares.

As pessoas agora consomem mais alimentos ricos em calorias, gorduras, açúcares livres e sal/sódio – e muitas não comem frutas, vegetais e outras fibras alimentares o suficiente. A composição exata de uma dieta diversificada, equilibrada e saudável varia de acordo com as características individuais de cada pessoa (idade, sexo, estilo de vida e grau de atividade física), contexto cultural, alimentos disponíveis localmente e hábitos alimentares.

No entanto, os princípios básicos do que constitui uma alimentação saudável permanecem os mesmos para todas e todos.

Uma alimentação saudável ajuda a proteger contra a má nutrição em todas as suas formas, bem como contra as doenças crônicas não transmissíveis (DCNT), entre elas diabetes, doenças cardiovasculares, AVC e câncer. A alimentação não saudável e a falta de atividade física são os principais riscos globais para a saúde. Práticas alimentares saudáveis começam cedo na vida. A amamentação, por exemplo, promove crescimento e melhora o desenvolvimento cognitivo. Além disso, pode ter benefícios a longo prazo para a saúde, reduzindo o risco de obesidade e de sobrepeso, bem como de desenvolvimento de DCNT. A ingestão calórica deve estar em equilíbrio com o gasto calórico. Para evitar um ganho de peso não saudável, as gorduras não devem exceder 30% da ingestão calórica total (1, 2, 3). As gorduras saturadas devem representar menos de 10% da ingestão calórica total. O consumo de gorduras trans, por sua vez, deve ser inferior a 1% do consumo total. Para isso ser possível, o consumo de gorduras deveria ser modificado para reduzir as gorduras saturadas e trans para gorduras insaturadas (3), com o objetivo de eliminar a gordura trans produzida industrialmente (4, 5, 6). Limitar o consumo de açúcares livres para menos de 10% da ingestão calórica total (2, 7) faz parte de uma alimentação saudável. Uma redução adicional para menos de 5% é sugerida para benefícios adicionais à saúde (7). Manter o consumo diário de sal abaixo de 5g (o equivalente a menos de 2g de sódio) ajuda a prevenir a hipertensão e reduz o risco de doença cardiovascular e AVC entre a população adulta (8). Os Estados Membros da OMS concordaram em reduzir a ingestão de sal da população mundial em 30% até 2025. Também concordaram em deter o aumento do diabetes e da obesidade entre adultos e adolescentes, bem como o sobrepeso durante a infância até 2025 (9, 10).

You might be interested:  Artigo Sobre Formação De Professores?

(Folha informativa atualizada em janeiro de 2019)
Ver resposta completa

Quais são os alimentos saudáveis?

Alimentação saudável e sustentável: uma revisão narrativa sobre desafios e perspectivas – Parte-se do princípio que um sistema alimentar insustentável não é capaz de produzir alimentos saudáveis para o consumo. A alimentação só pode ser considerada saudável se for também sustentável, devendo ultrapassar a perspectiva nutricional.

  • Assim, realizou-se uma revisão narrativa de literatura acerca de sistemas alimentares saudáveis e sustentáveis, englobando aspectos de produção, processamento, comercialização e consumo, visando levantar seus desafios e perspectivas de consolidação.
  • A alimentação saudável e sustentável deve estar relacionada à produção de alimentos que protejam a biodiversidade e promovam o consumo variado, resgatando alimentos, preparações e hábitos culturais tradicionais.

Deve ser acessível e disponível a todos, em quantidade e qualidade, baseada em alimentos produzidos e processados na região, por agricultores familiares, de maneira agroecológica, fundamentada na comercialização justa, aproximando a produção do consumo.

  • Além disso, deve ser isento de contaminantes físicos, biológicos ou químicos que causem malefícios a todos os envolvidos, de maneira aguda ou crônica.
  • Palavras-chave Produção de alimentos; Comercialização de produtos; Indústria de processamento de alimentos; Comportamentos saudáveis As preocupações em relação à alimentação vêm se modificando com o passar do tempo.

O médico e nutrólogo argentino Pedro Escudero recomendou, em 1934, que uma alimentação saudável fosse aquela qualitativamente completa, quantitativamente suficiente, harmoniosa em sua composição e apropriada à sua finalidade e a quem se destina 1 1 Escudero P.

  • Alimentación.
  • Buenos Aires: Hachette; 1934.
  • Durante muito tempo, as preocupações em relação à alimentação estiveram centradas no elevado consumo de alimentos com alto teor de açúcar, sódio e gordura.
  • As preocupações são pertinentes, já que o elevado consumo desses alimentos, aliado a fatores como sedentarismo e estresse, está relacionado à incidência de Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNT), responsáveis por elevadas taxas de mortalidade da população nos últimos anos 2 2 World Health Organization (WHO).

Noncommunicable diseases progress monitor, 2015. Geneva: WHO; 2015. Considerando essas tendências, a Organização Mundial da Saúde (OMS) fez algumas recomendações por meio da Estratégia Global para Alimentação Saudável, Atividade Física e Saúde 3 3 World Health Organization (WHO).

  • Global Strategy on Diet, Physical Activity and Health.
  • Geneva: WHO; 2004.
  • Vale ressaltar que as recomendações de Escudero, que datam de 1934 e que foram ratificadas pela Estratégia Global, continuam sendo importantes para a qualidade nutricional dos alimentos consumidos, mas é inegável a necessidade de incorporar demandas relacionadas à produção e processamento de alimentos, que na época não se faziam necessárias.

As alterações no sistema alimentar são recentes, mas, apesar disso, vêm causando danos sociais, econômicos e ambientais de forma crescente. Sistema alimentar refere-se ao conjunto de processos que incluem agricultura, pecuária, produção, processamento, distribuição, abastecimento, comercialização, preparação e consumo de alimentos e bebidas 4 4 Sobal J, Kettel Khan L, Bisogni C.

A conceptual model of the food and nutrition system. Soc Sci Med 1998; 47(7):853-863. Na abordagem de sistemas alimentares é necessário considerar todos os determinantes do consumo alimentar a partir das relações estabelecidas entre os diferentes agentes participantes da cadeia: produtores, distribuidores e consumidores 5 5 Oliveira SP, Thébaud-Mony A.

Estudo do consumo alimentar: em busca de uma abordagem multidisciplinar. Rev Saude Publica 1997; 31(2):201-208. A alimentação contemporânea tornou-se insustentável 6 6 Auestad N, Fulgoni VL, III. What current literature tells us about sustainable diets: Emerging research linking dietary patterns, environmental sustainability, and economics.

  1. Advances in Nutrition 2015; 6(1):19-36.
  2. 7 7 Gliessman SR.
  3. Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável.
  4. Porto Alegre: Ed. Univ.
  5. Federal do Rio Grande do Sul; 2001.
  6. Por ser composta por alimentos que utilizam muita energia para sua produção, que têm grande impacto ambiental e necessitam de vasta extensão de terra para sua produção, podendo exacerbar outros problemas relacionados à produção e ao suprimento de alimentos 7 7 Gliessman SR.
You might be interested:  Declaração Universal Dos Direitos Humanos Quem Escreveu?

Agroecologia: processos ecológicos em agricultura sustentável. Porto Alegre: Ed. Univ. Federal do Rio Grande do Sul; 2001. Nesse sentido, recomendações para uma alimentação saudável precisam agregar a sustentabilidade como uma de suas principais dimensões.

  1. Alimentos saudáveis devem ser relacionados a um sistema alimentar que seja economicamente viável, ambientalmente sustentável e socialmente justo, contemplados por uma alimentação sustentável.
  2. O termo dieta ou alimentação sustentável não é recente, entretanto não apresenta uma definição utilizada amplamente.

Foi descrito a primeira vez em 1986 por Gussow e Clancy 8 8 Gussow JD, Clancy KL. Dietary guidelines for sustainability. J Nutr Educ 1986; 18(1):1-5. como uma dieta composta por alimentos que contribuíssem não somente para a saúde, mas também para a sustentabilidade de todo o sistema alimentar.

A complexidade da dieta sustentável foi demonstrada pela Organização das Nações Unidas para agricultura e alimentação (FAO) em 2010. Dietas sustentáveis são definidas como aquelas “com baixo impacto ambiental, que contribuem para a segurança alimentar e nutricional e à vida saudável para as gerações presentes e futuras.

Dietas sustentáveis devem proteger e respeitar a biodiversidade e os ecossistemas, culturalmente aceitável e acessível, economicamente justa e acessível; nutricionalmente adequada, segura e saudável; além de otimizar os recursos naturais e humanos” 9 9 Burlingame BA, Dernini S.

Sustainable diets and biodiversity. In: Food and Agriculture Organization of the United Nations, editor. International Scientific Symposium Biodiversity and Sustainable Diets United against Hunger (2010: Rome, Italy). Rome: International Scientific Symposium Biodiversity and Sustainable Diets United against Hunger (2010: Rome, Italy); 2012.

Apesar da abrangência das dimensões da alimentação sustentável, as pesquisas têm dado enfoque no impacto ambiental, particularmente no clima, em termos de emissão de gases de efeito estufa 10 10 Nordic Council of Ministers. Nordic Nutrition Recommendations 2012: Integrating nutrition and physical activity.

Copenhagen: Nordic Council of Ministers; 2014. Técnicas quantitativas de análise muito usadas, como análise do ciclo de vida 11 11 Calderón LA, Iglesias L, Laca A, Herrero M, Díaz M. The utility of Life Cycle Assessment in the ready meal food industry. Resour Conserv Recycl 2010; 54(12):1196-1207.12 Del Borghi A, Gallo M, Strazza C, Del Borghi M.

An evaluation of environmental sustainability in the food industry through Life Cycle Assessment: the case study of tomato products supply chain. J Clean Prod 2014; 78:121-130.13 Cerutti AK, Contu S, Ardente F, Donno D, Beccaro GL. Carbon footprint in green public procurement: Policy evaluation from a case study in the food sector.

Food Policy 2016; 58:82-93. – 14 14 Baldwin C, Wilberforce N, Kapur A. Restaurant and food service life cycle assessment and development of a sustainability standard. Int J Life Cycle Assess 2011; 16(1):40-49. possuem enfoque apenas ambiental, ignoram dessa forma, aspectos sociais e econômicos 15 15 Morgan K.

Greening the realm: sustainable food chains and the public plate. Regional Studies 2008; 42(9):1237-1250. Partindo dessa premissa, é possível ter uma dieta com baixa emissão de gases de efeito estufa, mas que não seja saudável, ao mesmo tempo em que se pode ter uma dieta saudável e com alta emissão de gases 16 16 Macdiarmid JI, Kyle J, Horgan GW, Loe J, Fyfe C, Johnstone A, McNeill G.

  1. Sustainable diets for the future: can we contribute to reducing greenhouse gas emissions by eating a healthy diet? Am J Clin Nutr 2012; 96(3):632-639.
  2. No entanto, em uma perspectiva ampliada, alimentos com um menor impacto ambiental não são necessariamente mais sustentáveis (em seu sentido amplo) do que outros, se esses outros causarem prejuízos à sociedade.

Por exemplo, a eficiência ambiental pode ser alcançada mediante produção em larga escala, mas quando realizada em pequena escala pode apoiar pequenos produtores e contribuir com o desenvolvimento local 17 17 Goggins G, Rau H. Beyond calorie counting: assessing the sustainability of food provided for public consumption.

J Clean Prod 2016; 112(1):257-266. Considerando que não é possível ter uma alimentação saudável sem que seja sustentável em todas as suas dimensões, e a carência dessa reflexão na área de alimentação e nutrição, pretende-se realizar um exercício reflexivo da literatura científica sobre os principais desafios e perspectivas da alimentação saudável e sustentável.

Trata-se de uma tentativa de aproximação e problematização da temática, considerando a necessidade de explorar os principais desafios para sua concretização.
Ver resposta completa

Qual a importância do consumo alimentar e da atividade física para a saúde?

Incluir o consumo alimentar e a atividade física no âmbito de comportamentos para uma vida saudável é talvez a mais importante tarefa de promoção da saúde. Do ponto de vista da alimentação saudável, sugere-se que as recomendações devem basear-se em alimentos mais do que em nutrientes.
Ver resposta completa